Ordenanças para Israel

Malaquias 4.4: As práticas do Antigo Testamento não são para os cristãos.

“Lembrem-se da Lei do meu servo Moisés, dos decretos e das ordenanças que lhe dei em Horebe para todo o povo de Israel” Malaquias 4.4.

Os profetas do Antigo Testamento sempre voltaram à lei de Moisés como base para a aliança que o Senhor Deus tinha feito com o povo de Israel. A mensagem de arrependimento dos profetas incluiu um apelo para a restauração da lei. O povo não tinha opção: tinha de obedecer à lei, para ter com Deus relacionamento íntimo.

“Decretos” é termo que significa estatutos, ou algo prescrito ou feito obrigatório. “Ordenanças” indica juízos ou sentenças, algo determinado. Uma versão traduz como “regras e regulamentos”. Os termos descrevem o que era necessário para Israel observar ou obedecer.

Hoje, temos de tomar cuidado ao usar o Antigo Testamento. Não podemos impor práticas exigidas do povo de Israel, tais como o dízimo, Malaquias 3.10. Somente as práticas repetidas no Novo Testamento deve ser impostas na igreja de Deus. O dízimo não o é.

Há coisas no Novo Testamento obrigatórias aos cristãos. Mas as suas práticas não são iguais àquelas determinadas no Antigo Testamento para o povo de Israel.

As verdades e os princípios encontrados no Antigo Testamento são permanentes. O Antigo tem grande valor para os cristãos hoje, Romanos 15.4. Na hora de determinar quais as práticas que devemos seguir, porém, o Novo Testamento tem de ser a nossa fonte.

Deixe uma resposta