Ordene aos ricos

1 Timóteo 6.17: Trata-se abertamente os desafios de cada grupo.

Quem gosta de receber ordens? Se alguém está acostumado a dar ordens aos outros, seriam os ricos. Na igreja de Deus, porém, estes têm de receber ordens também.

 

Ordene aos que são ricos no presente mundo que não sejam arrogantes, nem ponham sua esperança na incerteza da riqueza, mas em Deus, que de tudo nos provê ricamente, para a nossa satisfação.
1 Timóteo 6.17 NVI

 

Em alguns lugares, presbíteros e pregadores tratam os ricos de modo especial, com medo de ofendê-los e de perder as suas ofertas. Precisam ler Tiago 2! Devem, ao invés disso, ter medo de ofender ao Senhor e perder as próprias almas.

Paulo lança mão da palavra “ordenar”, uma palavra forte. O mestre é ordenado a ordenar outros. Nada de sugestão ou delicadeza! Aqui temos a autoridade apostólica de forma clara e direta.

Paulo ordena Timóteo a pregar certas coisas para um grupo seleto dentro da congregação. Quando ele devia ordenar os ricos sobre tais coisas? Durante uma reunião especial só para ricos? Claro que não! Ele devia falar aos ricos numa reunião de toda a igreja. Todos precisavam ouvir as responsabilidades e tentações de cada grupo. Somente assim podiam edificar e alertar uns aos outros.

A ordem tem a ver tanto com atitude (humildade e não arrogância) quanto com esperança (em Deus e não riquezas). Ambas são, até certo ponto, identificáveis e mensuráveis. Ambas levam uma pessoa a ações que podem ser elogiadas ou condenadas.

Na igreja, não se ignora o pecado nem a tentação de ninguém. Trata-se abertamente dos desafios de cada um, faz-se alerta sobre os perigos que cada um enfrenta.

Somente assim teremos chance de vencer contra o diabo.

Deixe uma resposta