Pelos profetas

Este evangelho ele prometeu antemão pelos seus profetas nas santas Escrituras.
Romanos 1.2 BND

Não temos um Deus que guarda segredo, mas que nos informa antes da hora de seus planos e intençíµes. Com a promessa do Senhor por meio dos profetas, sabemos que estava em preparo havia muito tempo a Boa Nova, o projeto especial do Deus que Não aceitava um “Não” como resposta.

Para que Não se perdesse suas promessas, ele mandou escrevê-las nas Escrituras.

Pode ser que esqueça o coração, mas Deus Não ia perder o rumo do seu plano. E assinou em baixo.

Em pé

Ele me disse: “Filho do homem, fique em pé, pois eu vou falar com você”. Enquanto ele falava, o Espí­rito entrou em mim e me pí´s em pé, e ouvi aquele que me falava”.
Ezequiel 2.1-2

Quando o Senhor ordena, ele capacita. Com o seu mandamento ele dá o Espí­rito para poder cumprir. Quando ele fala, ele nos dá condiçíµes de ouvir.

E quando nos coloca em pé, assim ficaremos.

O biblista inglês, F.F. Bruce, escreveu que Ezequiel “tinha caí­do, mui naturalmente, ante a visão da glória de Deus, mas quando um homem que assim tem se humilhado é levantado para ficar em pé perante Deus, ele pode resistir firme face todo vento adverso que sopra”.

Abracemos, portanto, todo mandamento do Senhor, sabendo que o seu Espí­rito está pronto para entrar em nós para que cumpramos tudo o diz nosso Mestre.

Como é dificil

Jesus olhou ao redor e disse aos seus discí­pulos: “Como é difí­cil aos ricos entrar no Reino de Deus!”
Marcos 10.23

DinheiroO jovem rico acabara de ir embora, triste com o mandamento de Jesus de vender seus bens e dar o dinheiro aos pobres, porque tinha muitas riquezas. E as amava.

Provavemente os discí­pulos ficavam olhando para Jesus, perplexos que ele deixaria ir embora um exemplo tão excelente de homem bem-sucedido e de bons princí­pios. Talvez esperassem que Jesus chamava o rico de volta para uma negociação de termos mais aceitáveis.

Mas Jesus o deixa ir embora mesmo. Porque Não aceita ninguém com lealdade dividida.

O problema Não são as riquezas. O problema é amá-las (ou qualquer outra coisa) mais do que Deus.

Mas as riquezas grudam fácil ao coração. E saem somente com dificuldade.

Serva de Deus

É serva de Deus, agente da justiça para punir quem pratica o mal.
Romanos 13.4b

Serva de Deus é o governo de cada paí­s. Ela serve seus propósitos garantindo a segurança e sustentando o bem pelo castigo do mal.

Paulo escreve a cristãos que moravam na capital do império romano. O relacionamento com o governo naquela cidade teria sido questão crí­tica, especialmente no momento em que escreve, pois era Nero o imperador.

Por pior que seja um governante, é melhor do que a alternativa: o caos ou a rebelião. A Não ser que o governo exija negar Jesus, os cristãos se submetem í s autoridades governamentais e são seus melhores cidadãos.

Eles Não justificam o descumprimento das leis alegando serem “filhos do Rei”. Por serem discí­pulos de Jesus, submetem-se í s autoridades.

Jesus batizava

Depois disso Jesus foi com os seus discí­pulos para a terra da Judéia, onde passou algum tempo com eles e batizava.
João 3.22

O texto sobre o encontro de Jesus com Nicodemus (3.1-21) serve bem para apresentar a atividade do Senhor batizando as pessoas.

Ele tinha ensinando a Nicodemus que “Ninguém pode ver o Reino de Deus, se não nascer de novo” (v. 3), “da água e do Espí­rito” (v. 5).

Agora, ele passa algum tempo batizando as pessoas que vinham até ele. As pessoas estavam vindo “para a luz” (v. 21) ao serem batizadas por Jesus.

Enquanto Jesus batizava, João também fazia a mesma coisa (v. 23). Nesse momento havia dois batismos: o de Jesus e o de João, a quem sempre apontava o Senhor como o Messias.

Mas chegou a hora em que ficou um só batismo (Efésios 4.4), o qual permanece até hoje: a imersão na água da pessoa arrependida para receber o perdão dos pecados.

Hoje, as denominações criaram muitos batismos. Mas ainda continua havendo um só (Mateus 28.18-20; Atos 2.38; 22.16). Você já recebeu o batismo que Jesus ordenou?

Se não, receba-o hoje para que seja discí­pulo dele, perdoado dos pecados e preparado para a eternidade.

Todo trabalho

Todo trabalho árduo traz proveito, mas o só falar leva í  pobreza.
Provérbios 14.23

Todos conhecemos aquela pessoa que vive falando dos seus planos sem nunca colocá-los em ação. Ou aquele que sempre comenta o que precisa ser feito sem fazê-lo.

Pior ainda o que joga a conversa fora, bom de papo, mas fraco de mãos.

As palavras são importantes, mas palavras só Não resolvem.

Temos que botar a mão na massa.

Esta verdade também vale quando se fala das coisas de Deus.

Falar bem de Deus, de Jesus, de religião nada adianta.

Temos que buscar a vontade de Deus. E fazê-la.

Você já começou?

Sempre o cuidado

Por isso, sempre terei o cuidado de lembrar-lhes estas coisas, se bem que vocês já as sabem e estão solidamente firmados na verdade que receberam.
2 Pedro 1.12

Mesmo sabendo, sempre precisamos ser lembrados. Pois fácil é esquecer-nos do mais básico.

Esquecer Não é o íºnico perigo, mas também ser persuadidos de outros ensinamentos que negam a verdade.

O papel do mestre Não é apenas passar novas informaçíµes, mas estabelecer o ouvinte naquilo que já sabe. Especialmente quando surgem falsos profetas introduzindo heresias destruidoras que muitos seguirão (2.1-2).

Pedro, na função de apóstolo e presbí­tero, faz questão de sempre fazer o esforço para firmar cada vez mais os cristãos na sua fé.

Faremos bem seguindo o seu exemplo.

Orem por nós

Irmãos, orem por nós.
1 Tessalonicenses 5.25

Na igreja de Deus, um apóstolo pede as orações daqueles que há pouco tempo levara a crer a Cristo. Pois todos são servos no Reino de Deus. Ninguém é superior, nem inferior. Na base da igualdade, ora-se pelos outros e deles pede-se oração.

Ninguém precisa fingir que não precise dos seus irmãos.

No corpo de Cristo, nenhum membro é tão forte que não precisa dos outros. Nem um apóstolo.

Quando foi a última vez que você pediu oração? que orou pelos presbí­teros, diáconos, evangelistas, mestres?

A cidade das nossas festas

Olhe para Sião, a cidade das nossas festas; seus olhos verão Jerusaém, morada pací­fica, tenda que Não será removida; suas estacas jamais serão arrancadas, nem se romperá nenhuma de suas cordas.
Isaí­as 33.20

Festa dos tabernaculos
Festas fazem parte importante da nossa sociedade, sejam de aniversário, sejam de feriados nacionais, sejam de celebraçíµes de marcos pessoais como casamento ou de formação. Nas festas, temos oportunidade Não só de quebrar a rotina do dia-a-dia, mas também de celebrar momentos importantes na vida e compartilhá-las com pessoas que amamos.

Na antiga aliança com Israel, Deus estabelecera uma série de festas para o povo. Mas essas foram celebradas sem uma vida que honrava ao Senhor. Assim, as festas do povo de Deus se tornaram cansativas para ele (Isaí­as 1.14).

O profeta Isaí­as imagina época após o exí­lio (castigo) em que Israel celebra as festas de Deus como manifestação da sua gratidão pela salvação e da sua alegria de estar na cidade por ele escolhida e abençoada. (Sião é outro nome para Jerusalém.)

Hoje, Não é mais um local fí­sico que serve de sede para as nossas festas. Paulo identifica o “local” da salvação e bênção de Deus como sendo “em Cristo” (ver Efésios 1.3).

Então, para os cristãos, as festas continuam, mas mudaram de local.

Você tem o novo endereço?


Continue lendo “A cidade das nossas festas”

Descem ao mar

28/09, Dia Marí­timo Mundial

Os que descem ao mar em navios, os que fazem comércio nas grandes águas, esses vêem as obras do Senhor, e as suas maravilhas no abismo.
Salmo 107.23-24, AVR

Navio

Mais de 90% do comércio do mundo é carregado hoje pelos oceanos por 50.000 navios. Desde tempos antigos, o homem anda pelos mares em busca de negócios.

Jonas achou em Jope um navio que ia para Társis (provavelmente, na Espanha).

O rei Salomão construiu uma frota de navios na praia do Mar Vermelho, que voltavam a cada três anos trazendo ouro, prata, marfim, macacos e pavés.

Os profetas Isaí­as e Ezequiel clamavam contra a riqueza de Tiro, porto importante não muito longe de Israel. Disse Ezequias: “Os navios de Társis eram as tuas caravanas para a tua mercadoria; e te encheste, e te glorificaste muito no meio dos mares”.

No Novo Testamento, além dos evangelhos mencionarem os barcos de pesca no mar da Galiléia, no livro de Atos os apóstolos andavam muito nos navios comerciais que circulavam pelo império romano, no mar Mediterrâneo, e além dele.

Lembramos hoje a difí­cil profissão dos marinheiros e oramos para que tenham segurança viajando pelos oceanos e para que vejam “nas grandes águas” a mão do Senhor e assim encontram a salvação em Cristo Jesus.


O dia é celebrado no último dia de setembro, com a data deixada a critério de cada paí­s. Maiores informações, em inglês, sobre o Dia Marí­timo Mundial pode ser encontradas aqui; o site da ONU-Brasil afirma a data celebrada no Brasil como o dia 24.