Orem por nós

Irmãos, orem por nós.
1 Tessalonicenses 5.25

Na igreja de Deus, um apóstolo pede as orações daqueles que há pouco tempo levara a crer a Cristo. Pois todos são servos no Reino de Deus. Ninguém é superior, nem inferior. Na base da igualdade, ora-se pelos outros e deles pede-se oração.

Ninguém precisa fingir que não precise dos seus irmãos.

No corpo de Cristo, nenhum membro é tão forte que não precisa dos outros. Nem um apóstolo.

Quando foi a última vez que você pediu oração? que orou pelos presbí­teros, diáconos, evangelistas, mestres?

A cidade das nossas festas

Olhe para Sião, a cidade das nossas festas; seus olhos verão Jerusaém, morada pací­fica, tenda que Não será removida; suas estacas jamais serão arrancadas, nem se romperá nenhuma de suas cordas.
Isaí­as 33.20

Festa dos tabernaculos
Festas fazem parte importante da nossa sociedade, sejam de aniversário, sejam de feriados nacionais, sejam de celebraçíµes de marcos pessoais como casamento ou de formação. Nas festas, temos oportunidade Não só de quebrar a rotina do dia-a-dia, mas também de celebrar momentos importantes na vida e compartilhá-las com pessoas que amamos.

Na antiga aliança com Israel, Deus estabelecera uma série de festas para o povo. Mas essas foram celebradas sem uma vida que honrava ao Senhor. Assim, as festas do povo de Deus se tornaram cansativas para ele (Isaí­as 1.14).

O profeta Isaí­as imagina época após o exí­lio (castigo) em que Israel celebra as festas de Deus como manifestação da sua gratidão pela salvação e da sua alegria de estar na cidade por ele escolhida e abençoada. (Sião é outro nome para Jerusalém.)

Hoje, Não é mais um local fí­sico que serve de sede para as nossas festas. Paulo identifica o “local” da salvação e bênção de Deus como sendo “em Cristo” (ver Efésios 1.3).

Então, para os cristãos, as festas continuam, mas mudaram de local.

Você tem o novo endereço?


Continue lendo “A cidade das nossas festas”

Descem ao mar

28/09, Dia Marí­timo Mundial

Os que descem ao mar em navios, os que fazem comércio nas grandes águas, esses vêem as obras do Senhor, e as suas maravilhas no abismo.
Salmo 107.23-24, AVR

Navio

Mais de 90% do comércio do mundo é carregado hoje pelos oceanos por 50.000 navios. Desde tempos antigos, o homem anda pelos mares em busca de negócios.

Jonas achou em Jope um navio que ia para Társis (provavelmente, na Espanha).

O rei Salomão construiu uma frota de navios na praia do Mar Vermelho, que voltavam a cada três anos trazendo ouro, prata, marfim, macacos e pavés.

Os profetas Isaí­as e Ezequiel clamavam contra a riqueza de Tiro, porto importante não muito longe de Israel. Disse Ezequias: “Os navios de Társis eram as tuas caravanas para a tua mercadoria; e te encheste, e te glorificaste muito no meio dos mares”.

No Novo Testamento, além dos evangelhos mencionarem os barcos de pesca no mar da Galiléia, no livro de Atos os apóstolos andavam muito nos navios comerciais que circulavam pelo império romano, no mar Mediterrâneo, e além dele.

Lembramos hoje a difí­cil profissão dos marinheiros e oramos para que tenham segurança viajando pelos oceanos e para que vejam “nas grandes águas” a mão do Senhor e assim encontram a salvação em Cristo Jesus.


O dia é celebrado no último dia de setembro, com a data deixada a critério de cada paí­s. Maiores informações, em inglês, sobre o Dia Marí­timo Mundial pode ser encontradas aqui; o site da ONU-Brasil afirma a data celebrada no Brasil como o dia 24.

Esperavam muito

“Vocês esperavam muito, mas, eis que veio pouco. E o que vocês trouxeram para casa eu dissipei com um sopro. E por que o fiz?” pergunta o Senhor dos Exércitos. “Por causa do meu templo, que ainda está destruí­do enquanto cada um de vocês se ocupa com a sua própria casa.”
Ageu 1.9

Este versí­culo vem do Velho Testamento. Deus fala ao seu povo da época, Israel. Ele castigara a nação por sua rebelião, mandando-a no exí­lio por 70 anos. Agora, a trouxe de volta para reconstruir a terra e a cidade de Jerusalém.

O que o Senhor falou aqui ao povo, embora em termos materiais, ainda s aplica a nós em termos espirituais.

Deus abençoará seu povo — que hoje são os cristãos — somente quando este o colocar em primeiro lugar.

Mas muitos se ocupam antes com sua própria casa. E ainda espera que Deus abençoe.

Tais expectativas se frustrarão.

Está frustrado com Deus? Examine suas expectativas, pois o Senhor Não mudou em nada.

Na luta

Na luta contra o pecado, vocês ainda Não resistiram até o ponto de derramar o próprio sangue.
Hebreus 12.4

Os leitores dessa carta estavam sendo perseguidos pela sua fé. Mas ninguém entre eles ainda tinha morrido por ser cristão.

Ainda. Dias mais difí­ceis podiam vir. E já estavam pensando em abandonar Cristo.

Mas Cristo resistiu até o ponto de derramar o próprio sangue.

E se o Mestre o fez, Não deve também fazer o discí­pulo?

Hoje, sofremos pouca oposição da parte dos outros. A nossa luta é contra a própria inércia, vontade ou egoí­smo.

Deixamos de iniciar ou desistimos pelas coisas mí­nimas.

Nele a plenitude

Pois foi do agrado de Deus que nele [Cristo] habitasse toda a plenitude, …
Colossenses 1.19

Se você quer algo de Deus, vá a Jesus. Tudo o que Deus tem para nos dar está em Jesus.

Para nossa necessidade, Jesus tem plenitude. Nele habita a plenitude, Não é qualidade passageira.

Plenitude significa mais que suficiente para todos. Em Cristo Não existe recursos limitados, nem prazo de vencimento.

Ele sempre tem para quem busca. A busca tem de ser direcionada a Jesus. E só para Jesus. A busca em outro lugar trará fome e carência.

Onde você busca hoje sua plenitude?

Tornaram-se modelo

Assim, tornaram-se modelo para todos os crentes que estão na Macedônia e na Acaia.
1 Tessalonicenses 1.7

Poucos hoje querem se oferecer para ser exemplo. Convenceram-se de que é postura arrogante colocar-se como modelo.

Mas quando somos imitadores de irmãos dedicados e do próprio Senhor (verso 6), tornamo-nos exemplos para os outros.

E não devemos nos acanhar de reconhecer isso. Pois a verdadeira humildade sabe que não é pelo próprio esforço mas sim pela recepção da mensagem de Cristo que chegamos a servir como exemplo para os outros.

Sejamos modelos, pois, para quem precisa de direção espiritual.

Diferente dos outros

Pois, quem torna você diferente de qualquer outra pessoa? O que você tem que Não tenha recebido? E se o recebeu, por que se orgulha, como se assim Não fosse?
1 Corí­ntios 4.7

Cada um quer se distinguir dos demais. Quer mostrar a individualidade. Na religião, essa tendência se mostra por meio de idéias diversas oriíºndas das opiniíµes pessoais.

Paulo acaba de avisar para Não ultrapassar o que estava escrito por Deus. Mais que isso gera divisíµes. Os corí­ntios estavam inventando moda e se distinguindo das demais congregaçíµes.

Usando ironia, Paulo faz uma série de perguntas para mostrar o erro dos corí­ntios. Eles Não eram diferentes dos outros, nem deviam procurar ser diferentes. Tudo que tinham em Cristo receberam pela pregação do evangelho; Não a tinham inventado ou criado. Mostravam-se orgulhosos, como se eles fossem os donos do evangelho, passí­vel de ser modificado por eles.

Quem Não quer ficar apenas com a Bí­blia acaba se exaltando e criando doutrinas diversas. Sinal de que já passou dos limites.

Deleite-se

Deleite-se no Senhor, e ele atenderá aos desejos do seu coração.
Salmo 37.4

Muitos querem deleitar-se nas coisas materiais e nas bênçãos que o Senhor pode lhes dar. Assim vão nas igrejas e negociam e pechincham com Deus, até exigindo, por meio de suas ofertas e oraçíµes, que ele cumpra uma lista de reivindicaçíµes.

Deus oferece algo melhor do que ganhos materiais: ele próprio. Seu povo encontra seu prazer no relacionamento (comunhão) com ele.

Quando confiamos nele, face ao sucesso dos í­mpios (versos 1-3), os desejos de Deus se tornam nossos. Assim, como temos prazer nele, ele tem prazer em realizar os nossos desejos, pois estes são um reflexo do que ele deseja.

Deleitando-nos no Senhor, queremos que seja feita a vontade dele.

Sacrifí­cios que agradam

Salmo 51.17: Que tipo de coração agrada a Deus?

Os sacrifí­cios que agradam a Deus são um espí­rito quebrantado; um coração quebrantado e contrito, ó Deus, não desprezarás”.
Salmo 51.17

Por todas as diferenças entre os dois Testamentos, Deus sempre queria a mesma coisa: um relacionamento com as pessoas, por meio de uma mudança de atitude e obediência.

O coração quebrantado não é “esmagado” ou apenas triste, como algumas versos colocam, mas, como traduz a Bí­blia na Linguagem de Hoje, “humilde e obediente”.

É o coração que percebe a dor que seu pecado causa para Deus.

É o coração despedaçado pela convicção de que seu próprio pecado custou a vida de Jesus.

É o coração determinado a obedecer a Deus em todas as coisas.

Que tipo de sacrifí­cio você está oferecendo a Deus?