Uma vez, e a segunda

Hebreus 9.27-28: Uma morte resolve nosso pecado, mas haverá mais uma vinda do Senhor.

Da mesma forma, como o homem está destinado a morrer uma só vez e depois disso enfrentar o juízo, assim também Cristo foi oferecido em sacrifício uma única vez, para tirar os pecados de muitos; e aparecerá segunda vez, não para tirar o pecado, mas para trazer salvação aos que o aguardam. Hebreus 9.27-28

O autor faz uma analogia entre a morte única do homem e a de Cristo. Toma como certo que o ser humano morre uma única vez. Não volta à terra. Depois da sua morte, resta apenas o juízo final. (Acaba com a ideia de vidas múltiplas na terra.) Continue lendo “Uma vez, e a segunda”

A prioridade de Jesus

Lucas 10.20: Jesus corrige as nossas alegrias.

Contudo, alegrem-se, não porque os espíritos se submetem a vocês, mas porque seus nomes estão escritos nos céus”. Lucas 10.20

Jesus enviou seus discípulos na comissão limitada, por tempo determinado, somente dentro da terra de Israel. Esta tarefa serviu para preparar o povo e para treinar os discípulos para a missão da igreja. Jesus lhes deu poder miraculoso para confirmar sua mensagem de arrependimento e da vinda do Reino de Deus. Continue lendo “A prioridade de Jesus”

Os sábios aceitam

Provérbios 10.8: Façamos como Jesus, aceitando os mandamentos.

Os sábios de coração aceitam mandamentos, mas a boca do insensato o leva à ruína. Provérbios 10.8

Jesus veio à terra a fim de fazer a vontade do Pai, Hebreus 10.7. Ele aprendeu a obediência, Hebreus 5.8. Como o Filho obediente, ele “tornou-se a fonte da salvação eterna para todos os que lhe obedecem” Hebreus 5.9. Continue lendo “Os sábios aceitam”

O Cordeiro, em pé

Apocalipse 14.1: Jesus Cordeiro lidera seu povo à vitória.

Então olhei, e diante de mim estava o Cordeiro, em pé sobre o monte Sião, e com ele cento e quarenta e quatro mil que traziam escritos na testa o nome dele e o nome de seu Pai. Apocalipse 14.1

Quando João, o Imergidor, apontava Jesus para que as pessoas o notassem, ele clamou: “Vejam! É o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!” João 1.29. Todos entendiam a figura de linguagem, pois os judeus ofereciam cordeiros como sacrifício para o perdão dos pecados. No plano de Deus, ele instituiu os sacrifícios para que a obra de Cristo fosse compreendida e recebida como a solução definitiva para o problema do pecado. Continue lendo “O Cordeiro, em pé”

A história continua

Atos 1.1-2: Jesus continua a agir e a ensinar por meio da igreja.

Em meu livro anterior, Teófilo, escrevi a respeito de tudo o que Jesus começou a fazer e a ensinar, até o dia em que foi elevado aos céus, depois de ter dado instruções por meio do Espírito Santo aos apóstolos que havia escolhido. Atos 1.1-2

Lucas começa o livro de Atos assim. Ele ressalta a conexão íntima entre a vida e obra de Jesus e a vida e obra da igreja. O que Jesus começou a fazer e a ensinar ele continua a fazer por meio da igreja. Seu segundo livro flui naturalmente do primeiro, pois é uma extensão do mesmo assunto. Continue lendo “A história continua”

Vender-se ou entregar-se

Gálatas 1.4: A escolha é entre Acabe e Jesus.

(…) que se entregou a si mesmo por nossos pecados a fim de nos resgatar desta presente era perversa, segundo a vontade de nosso Deus e Pai. Gálatas 1.4

Ao possuir o rei Acabe a vinha de Nabote, o Senhor enviou o profeta Elias para confrontá-lo. O profeta lhe disse: “você se vendeu para fazer o que o Senhor reprova” 1 Reis 21.20. Que contraste com o que fez o Senhor Jesus! Continue lendo “Vender-se ou entregar-se”

A graça de Deus em toda a sua verdade

Colossenses 1.6: Existe a graça de Deus porque existe toda a verdade de Deus.

Por todo o mundo este evangelho vai frutificando e crescendo, como também ocorre entre vocês, desde o dia em que o ouviram e entenderam a graça de Deus em toda a sua verdade.
Colossenses 1.6

O evangelho trata de Jesus. É conteúdo e comunicação, o poder de Deus para a salvação, “palavra da verdade” v. 5. Como comunicação, a Boa Nova tem de ser ouvida e compreendida. Qualquer um pode comunicá-la. Os colossenses o aprenderam de Epafras, v. 7. Não é preciso ser apóstolo para transmiti-la. Continue lendo “A graça de Deus em toda a sua verdade”

O que queremos, o que fazemos

1 Pedro 1.8-9: Amamos Jesus, sem vê-lo.

Mesmo não o tendo visto, vocês o amam; e apesar de não o verem agora, creem nele e exultam com alegria indizível e gloriosa, pois vocês estão alcançando o alvo da sua fé, a salvação das suas almas. 1 Pedro 1.8-9

Queremos vê-lo, mas não podemos, agora, ver o Senhor Jesus Cristo. Mas podemos amá-lo. Podemos segui-lo, andando nas suas pegadas, 1 Pedro 2.21. Continue lendo “O que queremos, o que fazemos”

‘Para cumprir toda a justiça’

Mateus 3.15: Jesus não questionou nenhum mandamento do Pai.

Respondeu Jesus: “Deixe assim por enquanto; convém que assim façamos, para cumprir toda a justiça”. E João concordou.
Mateus 3.15

Jesus não tinha pecado que devia confessar ou pelo qual devia receber o perdão. João batizava as pessoas que se arrependiam dos pecados. Ele reconhecia que o Senhor não tinha pecado e não tinha necessidade da imersão na água. Protestou quando Jesus se apresentou para o batismo. É compreensível seu protesto e ele tinha certa razão. Continue lendo “‘Para cumprir toda a justiça’”

Na casa de meu Pai

Lucas 2.49: Jesus tomou uma decisão importante cedo na vida.

Ele perguntou: “Por que vocês estavam me procurando? Não sabiam que eu devia estar na casa de meu Pai?” Lucas 2.49

Jesus chegou até à morte na cruz para a salvação da humanidade porque muito tempo antes ele tomou uma decisão de procurar a vontade do Pai e de ocupar-se com os seus assuntos. Aos 12 anos de idade, já se mostrou concentrado na casa do Senhor e dedicado às coisas de Deus. Aos pais preocupados com seu bem-estar, ele responde, de certa forma, assim: É óbvio onde eu estaria. Continue lendo “Na casa de meu Pai”