Como fazer discípulos

Jesus revela dois passos no processo de fazer discípulos.

Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, ensinando-os a obedecer a tudo o que eu lhes ordenei. Mateus 28.19-20a

A missão dos cristãos é fazer discípulos de Jesus. O campo é o mundo. Devem ir a todas as nações. Nenhuma deve ser deixado fora. Jesus envia seus seguidores para fazer mais seguidores e para fazer muitos deles. Continue lendo “Como fazer discípulos”

Toda a autoridade

Jesus continua até hoje com toda a autoridade.

Então, Jesus aproximou-se deles e disse: “Foi-me dada toda a autoridade nos céus e na terra”. Mateus 28.18

Todo mandamento que Jesus deu, ou pessoalmente ou por meio dos seus apóstolos, é obrigatório porque a ele foi dada da parte do Pai toda a autoridade. Ele ainda detém toda a autoridade. Ele não a delegou a ninguém. Da mesma forma como ele falava somente o que recebeu do Pai, os apóstolos falaram apenas o que ouviram de Jesus. Continue lendo “Toda a autoridade”

Não me deixou sozinho

Jesus sentia certeza da presença do Pai, e podemos também.

Aquele que me enviou está comigo; ele não me deixou sozinho, pois sempre faço o que lhe agrada. João 8.29

Jesus tinha certeza da presença do Pai com ele. No evangelho de João, refere-se frequentemente ao Pai como “Aquele que me enviou”. Para Jesus, o envio do Pai não era um ato único, no passado, para que, no presente, ele tivesse que se virar sozinho. Junto com a missão do Pai, veio a presença do Pai. Continue lendo “Não me deixou sozinho”

Servir e esperar

Paulo oferece excelente descrição da conversão.

pois eles mesmos relatam de que maneira vocês nos receberam, e como se voltaram para Deus, deixando os ídolos a fim de servir ao Deus vivo e verdadeiro, e esperar dos céus seu Filho, a quem ressuscitou dos mortos: Jesus, que nos livra da ira que há de vir.
1 Tessalonicenses 1.9-10

Paulo descreve a conversão dos tessalonicenses. Esta inclui a esperança da salvação eterna quando Jesus vier. Servir e esperar são dois aspectos importantes do Caminho. O servir é motivado pela segunda vinda de Cristo. O esperar é definido pelo Deus vivo que deu vida ao seu Filho e que também a dará a nós. Continue lendo “Servir e esperar”

Ele amou primeiro

Deus nos ama. Devemos amar aos irmãos.

Nós amamos porque ele nos amou primeiro.
1 João 4.19

“Deus é amor”, escreveu João, duas vezes, 1 João 4.8, 16. É a sua natureza o ser amor. Tudo o que ele faz é expressão do amor. Ele criou o ser humano a fim de demonstrar o amor. O amor não é isolado; Deus toma a iniciativa no amor. Nosso amor é uma resposta ao dele. Continue lendo “Ele amou primeiro”

Pode ir. Pode crer.

Jesus falou, tá falado.

Então ele lhe disse: “Por causa desta resposta, você pode ir; o demônio já saiu da sua filha”. Ela foi para casa e encontrou sua filha deitada na cama, e o demônio já a deixara. Marcos 7.29-30

A mesma fé que levou a mulher siro-fenícia a procurar Jesus também a levou a deixá-lo quando ele disse que sua filha estava bem. Ela creu que Jesus tinha curado sua filha. Continue lendo “Pode ir. Pode crer.”

Poucos são escolhidos

Jesus reitera o que falou no sermão do monte.

“Pois muitos são chamados, mas poucos são escolhidos”.
Mateus 22.14

Jesus falou estas palavras no final da parábola do banquete de casamento. Ilustrou o que tinha falado no sermão do monte: poucos serão salvos, Mateus 7.13-14. Deus quer que todos sejam salvos, mas poucos aceitam o chamado. Continue lendo “Poucos são escolhidos”

Nós voamos

Eis por que Jesus é tão superior a Moisés.

Os anos de nossa vida chegam a setenta, ou a oitenta para os que têm mais vigor; entretanto, são anos difíceis e cheios de sofrimento, pois a vida passa depressa, e nós voamos! Salmo 90.10

O título deste salmo atribui a Moisés a autoria: “Oração de Moisés, homem de Deus”, o único salmo dele no livro todo. Embora ele tenha chegado aos 120 anos de idade, a maior parte da vida dele foi de adversidade. Continue lendo “Nós voamos”

A realidade distante

O homem natural anda nas trevas, sem entender nada.

A realidade está bem distante e é muito profunda; quem pode descobri-la? Ecclesiastes 7.24

A natureza da realidade e sua razão de existir é um mistério para o homem, sem haver uma revelação da parte de Deus. O rei Salomão, autor do livro, reconhece a obscuridade do ser. O ser humano não pode responder, por si só, a pergunta que se forma, inevitavelmente, nos seus lábios: “Por que existo? Por que estou aqui?” Continue lendo “A realidade distante”

Que devo fazer?

Uma boa pergunta, e uma ótima resposta.

Assim perguntei: Que devo fazer, Senhor? Disse o Senhor: ‘Levante-se, entre em Damasco, onde lhe será dito o que você deve fazer’. Atos 22.10

Saulo, o perseguidor, viu o Senhor Jesus a caminho de prender cristãos na cidade de Damasco. Quando percebeu quem era o Senhor, ele fez uma pergunta de grande importância: Que devo fazer? Mas o plano de Deus determinou que os cristãos deveriam proclamar os termos do evangelho. Mesmo Jesus o respeitou. Alguns dias depois, um homem enviado pelo Senhor diria a Saulo o que fazer para ser salvo. Continue lendo “Que devo fazer?”