Pecador, não

Tenhamos cuidado para não justificar a prática do pecado.

O mundo, em termos bíblicos, é a humanidade contra Deus, um de vários sentidos. A palavra pecador, no Novo Testamento, é o indivíduo contra Deus. Como neste verso:

Pensem bem naquele que suportou tal oposição dos pecadores contra si mesmo, para que vocês não se cansem nem desanimem.
Hebreus 12.3 NVI

Assim, os cristãos acabam errando e cometendo pecado, Gálatas 6.1; Tiago 3.2; 1 João 2.1, mas não são pecadores, neste sentido. O Novo Testamento não chama os santos de Deus de pecadores, pois pararam de praticar o pecado.

Na imersão, morremos para o pecado, Rm 6.1-14; portanto, não temos mais relação ou ligação com o pecado. O termo pecador não é mais a realidade do discípulo. (Se existe ainda tal relação, há o chamado imediato ao arrependimento, Tg 4.8.)

Tenhamos cuidado para que, pelo uso de tais declarações como essa: “Somos todos pecadores”, não justifiquemos a prática do pecado e nos ajuste a uma fé morna que aceita a falta de santidade entre nós. Pois, sem a santidade, ninguém verá o Senhor, Hebreus 12.14.

Deixe uma resposta