Perdendo o reino de Deus

Israel o perdeu, nós também podemos.

O medo da perda serve como grande motivador. A possibilidade de perder um pertence ou relacionamento precioso já forçou muita gente a mudar comportamentos e hábitos.

Ao mesmo tempo, alguns continuam tão teimosos em suas vidas, tão fixados na sua mentalidade, que absolutamente nada os moverá. Assim eram os judeus na época de Jesus.

“Portanto eu lhes digo que o Reino de Deus será tirado de vocês e será dado a um povo que dê os frutos do Reino” (Mateus 21.43 NVI).

A razão foi a rejeição de Cristo. Os judeus, portanto, deixaram de ser o povo de Deus. Cristo prometeu estabelecer sua igreja (Mateus 16.18). A igreja (no grego, ekklesia) era um termo do Antigo Testamento, na Septuaginta (tradução grega, da língua hebraica original), descrevendo o povo de Deus reunido perante sua presença. Cristo criaria um novo povo.

O mesmo risco da perda continua ainda hoje para um indivíduo ou congregação, se se rejeita a autoridade de Cristo como Senhor. A igreja efésia ficava a perder seu lugar como povo de Deus (Apocalipse 2.5). Para permanecer como uma congregação que podia usar o nome de Cristo precisava arrepender-se. “Pratique as obras que praticava no princípio”.

Deus soberano, que eu possa andar sempre nos caminhos do seu reino, seguindo a verdade recebida de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

Segure este pensamento: Perder o reino é tudo desperdiçar!/ Tal perda além do poder de calcular!

 

Deixe uma resposta