Praticar o que aprender

Filipenses 4.9: Primeiro, aprender, para saber como praticar.

“Ponham em prática tudo o que vocês aprenderam, receberam, ouviram e viram em mim. E o Deus da paz estará com vocês”.
Filipenses 4.9

É impossível praticar sem aprender o que fazer. Não se pode agir corretamente quando é ensinado de forma errada. Para Deus estar conosco, é preciso, antes de mais nada, aprender a verdade para depois praticá-la.

Muitos enfatizam hoje o fazer. Este é o valor máximo do pós-modernismo. O importante, dizem, é fazer algo por Deus, não importa o quê. Dizem que a ortodoxia (doutrina correta) é menos importante do que a ortopraxia (prática). Na verdade, é impossível ter uma coisa sem a outra.

Tem gente, por exemplo, que considera qualquer tipo de batismo válido, seja imersão ou não, seja para adulto arrependido ou não, seja para o perdão dos pecados ou não. Pelo menos, fizeram algo.

Mas o batismo não é um sacramento, com eficácia sem a compreensão da pessoa que o recebe. Sem a instrução correta, não há nenhum batismo aceitável a Deus.

A sequência acima é importante: primeiro, aprender, receber, ouvir. Depois, observar a verdade do evangelho nos outros que vivem de maneira exemplar: ver. Isto para obedecer às verdades divinas na própria vida: praticar. E, no final, teremos Deus conosco, o Deus da paz.

Pai, ajude-me a conhecer a verdade do evangelho e praticar toda ela para agradar ao Senhor e desfrutar a sua presença na minha vida.

2 comentários em “Praticar o que aprender”

Deixe uma resposta