Progresso e alegria na fé

Filipenses 1.25: Três verdades surgem da declaração de Paulo.

A criança que deixa de crescer preocupa os pais. A economia estagnada dificulta o mercado de trabalho. O aluno que não aprende mais vira foco do professor. Em toda área da vida, procuramos o progresso e o crescimento. Quando estes não ocorrem, buscamos medidas e soluções para sair do marasmo.

É preciso também que a fé continue a crescer na vida do cristão. O apóstolo Paulo preferia partir da vida terrena e estar com Cristo, mas ele ainda tinha trabalho para fazer.

Convencido disso, sei que vou permanecer e continuar com todos vocês, para o seu progresso e alegria na fé.
—Filipenses 1.25

Primeiro, convém notar que outros contribuem ao nosso crescimento na fé. Paulo viu ainda papel para ele entre os filipenses para ajudá-los a desenvolver sua fé. Ele sabia que ia “continuar com todos vocês”. Ele tinha um trabalho especial como apóstolo, mas não devemos atribuir sua contribuição ao progresso espiritual dos filipenses somente a isso. Fazemos parte do povo de Deus justamente “para nos incentivarmos ao amor e às boas obras” Hebreus 10.24. Deus formou a igreja como sociedade de progresso na fé.

Segundo, Paulo associa o progresso à alegria. Não há nada mais desanimador do que ficar parado. Ser fiel e constante na sã doutrina é uma coisa; outra é não crescer no conhecimento de Deus. Em Lucas 15 Jesus fala sobre a alegria celestial quando um pecador se converte do seu mau caminho. Todo tipo de progresso na fé, seja em número, nas boas obras, na oração, no conhecimento ou no amor, anima tanto quem cresce em determinada área como aqueles que observam tal progresso, 1 Timóteo 4.15.

Terceiro, o cristão procura fazer progresso na fé. Aqui, por “fé” Paulo quer dizer a vida em Cristo, no sentido geral. Ele já tinha orado pelo aumento do amor deles, 1.9, em termos de conhecimento e percepção. Pelo que escreve a seguir, talvez ele pense especialmente na unidade dos filipenses, 1.27, na confiança da sua salvação, 1.28, e no sofrimento pela divulgação do evangelho, 1.29-30. Desta forma, talvez o progresso na fé seja semelhante ao “progresso do evangelho” 1.12.

É saudável identificar, na nossa vida em Cristo, áreas que precisam de correção ou de maiores avanços. No próximo mês ou ano, podemos trabalhar para fazer maiores progressos nestas áreas. E, como sempre, podemos crescer mais ainda na proclamação da Boa Nova de Cristo, razão da existência nossa como parte do glorioso reino de Deus.

O meu livro-texto intermediário de português tinha como título: Para a frente. Que seja o título também do livro da nossa fé.

Deixe uma resposta