‘Ele é meu próprio coração’

Filemom 12: Pode falar assim de algum irmão seu?

O amor entre os discípulos no primeiro século era profundo. Eles levaram a sério a ordem de Jesus de amar uns aos outros como ele os amou. O apóstolo Paulo escreve a Filemom a respeito de Onésimo:

(…) ele, que é meu próprio coração.
Filemom 12 TB

Onésimo era escravo. Os escravos eram considerados como propriedade, como coisas a serem compradas e vendidas. Mas Cristo mudou tudo isto.

A descrição de Paulo acima é surpreendente. Ele identifica a causa de Onésimo com ele próprio. O escravo se tornou seu filho na fé e muito útil em seu serviço a Deus.

Paulo desenvolveu relacionamentos verdadeiros e íntimos. Filemom era homem por ele amado e estimado. Também o escravo Onésimo. De Filemom ele pede a liberdade do escravo ou, pelo menos, seu empréstimo para ajudar o apóstolo, quando o amigo não podia. Os dois eram para ele amigos preciosos.

Se estamos seguindo Jesus, amaremos dessa forma. Faremos dos nossos irmãos o próprio coração. Entregaremos o coração a eles. Eles se tornarão para nós família espiritual, mais importante do que família física. Somente assim as pessoas deixarão de ser objetos para serem usadas para nosso proveito, para serem gente querida e amada, por nós, como o são por Deus.

Deixe uma resposta