Salmo 2

Comentário e aplicação deste salmo messiânico.

Alguns pensam que Salmos 1 e 2, pela sua estrutura, compõem um único salmo (ver NBV). Feliz formaria assim uma inclusão, no início, 1.1, e no fim, 2.12. O salmo trata da rebelião das nações contra o Senhor e o seu ungido, chamando-as à submissão. A aliança com Davi está por trás do salmo (ver 2.6). O mundo inteiro é o seu domínio, apontando dessa forma o cumprimento na pessoa de Jesus. Não há como resistir sua autoridade. A verdadeira felicidade está em submeter-se ao Soberano. O apelo mostra ainda a bondade de Deus em dar oportunidade do arrependimento, dando sinal da esperança e da vitória do rei. A estrutura mostra o movimento do início ao fim: a rebelião das nações na terra, 1-3; Deus no céu, 4-6; o decreto do Senhor, 7-9; o apelo aos reis das nações para submeter-se, 10-12. Em cada parte ouvimos os dizeres de cada um: os rebeldes, 3; Deus, 6-7; Deus, 7-9; o salmista, 10-12. Se de um lado o justo foge dos pecadores, 1.1, o Filho de Deus, por outro lado, destrói os rebeldes na sua ira, 9, 12, garantindo o sucesso dos que se refugiam nele. Apesar da instabilidade e do tumulto no mundo, o submisso desfruta da bênção e da paz do seu Senhor.

2.1. Por que. Pergunta retórica mostra a futilidade da rebelião.

2.4. Põe-se a rir e caçoa deles. A linguagem humana usada para Deus mostra o ridículo da rebelião, a qual não representa para ele ameaça nenhuma. Tal linguagem também “reforça a sua [dos profetas] convicção de que o Senhor estava envolvido ativa, vigorosa e pessoalmente na história do humanidade” (IOVC).

2.7. Eu hoje te gerei. Citado em At 13.33, Hb 1.5 e 5.5. A “geração” se refere ao ato de fazê-lo rei, não ao nascimento físico. A linguagem de pai e filho era usada na época para um rei e os reis-súditos por ele conquistados. Não nega a divindade de Jesus.

2.11. Adorem. A submissão se expressa na adoração e no serviço ao rei (WAV).

2.12. Beijem o filho. Frase difícil na língua aramaica, parece indicar demonstração de submissão ao rei. Nele se refugiam. O refugiado de Deus encontra felicidade na sua confiança no Senhor. “’Buscar refúgio’ ressalta a insegurança e a insuficiência até mesmo dos homens mais poderosos” (DITAT).

Muita linguagem do AT tem seu cumprimento em Jesus, Ungido e Escolhido de Deus para vencer contra toda oposição contra ele. “Resistir é inútil”. A submissão é o caminho para a segurança e a alegria. Que possamos nos submeter à autoridade de Jesus como Soberano e servi-lo com alegria.

Deixe uma resposta