Se morrer, dará muito fruto

João 12.24-25: Você já experimentou essa morte?

Digo-lhes verdadeiramente que, se o grão de trigo não cair na terra e não morrer, continuará ele só. Mas se morrer, dará muito fruto. Aquele que ama a sua vida, a perderá; ao passo que aquele que odeia a sua vida neste mundo, a conservará para a vida eterna.
João 12.24-25

Jesus falava às vezes usando o paradoxo. O paradoxo é uma contradição ou oposição aparente, algo que, à primeira vista, parece que não podia valer ou ser verdadeiro, mas que contém um princípio ou verdade importante.

No mundo, as pessoas fazem de tudo para proteger suas vidas. Gastam tempo, esforço e dinheiro para a autopreservação. Compram sistemas de segurança, assinam apólices de seguro, fazem investimentos, tudo para garantir a vida física e material. Consideram que a vida consiste em ser cercado por bens, privilégios e facilidades.

Assim, morrem. Tornam-se resistentes ao chamado divino. Deixam de investir em coisas eternas. Não depositam seus tesouros no céu. Não buscam o Reino de Deus, não leem a Bíblia, não fazem as orações ensinadas por Jesus, mas apenas súplicas para trabalho, saúde e segurança física. Não participam da vida com o povo de Deus. Estão mortos nos seus pecados.

A morte que Jesus exige é aquela que morre para os interesses pessoais, para os desejos e paixões carnais, para a própria pessoa. Somente assim será possível viver para Deus. Nisso, seguimos Cristo: “Da mesma forma, considerem-se mortos para o pecado, mas vivos para Deus em Cristo Jesus” Romanos 6.11.

Você já experimentou essa morte? Se não, descubra como morrer. Se sim, como é que você pratica e cultiva diariamente essa morte?

Pai celestial, que eu morra cada vez mais para viver para o Senhor.

Deixe uma resposta