Sempre com sangue

Sangue significa morte, morte significa justiça.

RedençãoO homem moderno se considera mais justo do que os antigos, por abolir a pena de morte. Na verdade, ele não valoriza a vida humana, pois a justiça exige que a punição seja à altura do crime. Da mesma forma, também, as pessoas hoje não compreendem a seriedade do pecado, nem o preço necessário da redenção.

Por isso, nem a primeira aliança foi sancionada sem sangue.
Hebreus 9.18 NVI

Nada mais sério do que transgredir a lei de Deus e assim rebelar-se contra ele. O pecado na sua essência é pior do que matar uma pessoa, pois o preço da redenção é a morte.

Como Deus nos ama, a ponto de enviar seu Filho morrer em nosso lugar!

 

3 pensamentos em “Sempre com sangue”

  1. Em Romanos 13:1-8, Paulo instruiu aos irmãos em como deveriam proceder em relação as autoridades; autoridades essas que puniam severamente seus malfeitores: “Entretanto, se fizeres o mal, teme; porque não é sem motivo que ela traz a ‘espada’; pois é ministro de Deus, vingador, para castigar o que pratica o mal” (4b). Lembre-se que a autoridade é “ministro de Deus… para castigar o que pratica o mal”. Quando a autoridade não pune o malfeitor, ela deixa de ser “ministro de Deus”. O próprio Senhor Jesus não questionou e nem condenou a forma brutal em que os romanos tratavam os que praticavam o mal; inclusive Ele se sujeitou a punição deles como um malfeitor sendo crucificado entre dois homens que mereciam morrer. Um deles reconheceu isso: “Nem ao menos temes a Deus, estando sob ‘igual sentença’? Nós, na verdade, ‘com justiça’, porque ‘recebemos o castigo que os nossos atos merecem’; mas este (Jesus) nenhum mal fez” (Mt 23:40,41). Os romanos (autoridades) condenavam seus malfeitores a morte, pois como o próprio condenado ao lado de Jesus na cruz disse, “mereciam” morrer por causa de suas transgressões. Hoje, as autoridades preservam os malfeitores, e pior, criam leis e estatutos para os proteger, enquanto famílias são destroçadas, pais perdem seus filhos brutalmente, maridos perdem suas esposas e esposas perdem seus maridos tragicamente, pela ação cada vez maior de homens maus. Os defensores dos direitos humanos só defendem o direito dos malfeitores, enquanto deveriam defender a causa das famílias, que em inúmeros casos, são arruinadas por tais homens. Infelizmente, as autoridades atuais se renderam a proteção dos malfeitores em detrimento das famílias e do cidadão que paga a cada ano mais e mais impostos que não revertidos em benefícios para a sociedade – como por exemplo a segurança pública. Só Jesus e Deus para nos proteger e guardar, Amém!

  2. Por esta razão, importante, confessar nossos pecados.

    “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça.” (I Jo. 1.9, ARF)

Deixe uma resposta