Simplicidade

Para ter simplicidade, é preciso ter fé nos cuidados de Deus. O desejo de ter mais surge, pelo menos em parte, da insegurança.

Seja a sua vida livre do amor ao dinheiro e contentem-se com o que vocês têm, porque Deus mesmo disse: “Nunca o deixarei, nunca o abandonarei”.
Hebreus 13.5 BND

A chave da simplicidade é o contentamento com o que se tem.

Na língua grega, a frase: “livre do amor ao dinheiro”, traduz uma única palavra, aphilarguros. Ela é encontrada outra vez no NT somente em 1 Timóteo 3.3.

A “vida” (Gr. tropos) no verso acima representa “a maneira em que uma pessoa se comporta ou vive, maneiras, costumes, modo de vida” (BGAD), ou ainda, “conduta, comportamento” (Rusconi).

O contentamento se baseia na promessa de Deus de estar conosco. Se “possuirmos” a presença de Deus, as posses materiais serão suficientes.

É tão simples assim!

Senhor Deus, obrigado por sua presença comigo que garante o meu contentamento. Que a promessa da sua presença sempre me acompanhe. Por Cristo ser meu Senhor. Amém.

EXTRA: A frase: “o que vocês têm”, advem de um único termo, pareimi, “estar presente”, ou aqui, o que se tem à disposição, as posses de alguém.

Este foi um dos versos usados no sábado por Fernando Berlezzi, no estudo: “Orçamento familiar e dicas familiares”. Foi um momento proveitoso e útil. Foi Fernando que ligou o conceito da simplicidade ao verso, ligação essa muito feliz.

Deixe uma resposta