Ação: Glorificar

1 Coríntios 10.31: Use sua liberdade para os outros virem a dar glória a Deus.

LER: “Assim, quer vocês comam, bebam ou façam qualquer outra coisa, façam tudo para a glória de Deus” 1Co 10.31.

PENSAR: A liberdade em Cristo, 10.23-30, se expressa pela busca da glória de Deus, especialmente para que muitos sejam salvos, 32-33. Sua glória é sua pessoa. Mede-se todo ato por esta régua, pois segue o exemplo de Cristo, 11.1. Desta forma, agradar outros, 10.33, não corre risco de abandonar a verdade. Glorificamos a Deus usando nossos dons, 1Pd 4.11; em corpo e espírito, 1Co 6.20; na evangelização, 2Ts 3.1. Continue lendo “Ação: Glorificar”

Ação: Fugir

1 Coríntios 6.18: Evite situações de tentação potencial, saia delas abruptamente.

LER: “Por isso, meus amados irmãos, fujam da idolatria” 1Co 10.14.

PENSAR: Paulo usa o verbo fugir no sentido de “deixar de fazer algo, evitando-o, por causa do dano potencial, fugir de, evitar, afastar-se de” (BGAD). Além da idolatria, o santo foge de imoralidade sexual, 1Co 6.18 (porque esta “nunca está certa” 1Co 6.13 NBV), “tudo isso” (amor ao dinheiro etc.), 1Tm 6.11, “desejos malignos da juventude” 2Tm 2.22. Esta fuga permite a busca das virtudes de Cristo, 1Tm 6.11. Tal fuga lembra de José, Gn 39.12. O pecado deve ser tratado com seriedade. Continue lendo “Ação: Fugir”

Ação: Ofertar

1 Coríntios 16.2: Faça orçamento familiar tirando a oferta antes de mais nada.

LER: “No primeiro dia da semana, cada um de vocês separe uma quantia, de acordo com a sua renda (…)” 1Co 16.2.

PENSAR: A oferta supre necessidades dos irmãos e apoia a pregação da Boa Nova. Há instruções de fazê-lo no domingo e exemplo entre as congregações do primeiro século. Devemos dar de modo generoso e sacrificial, 2Co 8—9. Jesus recebeu ofertas dos seguidores, Lc 8.1-4. Continue lendo “Ação: Ofertar”

Isto é uma vergonha!

1 Corinthians 15.33-34: Grande ignorância entre os que se gabam de ser conhecedores.

Na minha leitura pessoal de hoje, vieram juntos os capítulos de 1 Coríntios 15 e 1 João 4, ambos fazendo a ligação entre doutrina e associação com falsos mestres. Paulo cita um poeta, de forma proverbial, para alertar contra o perigo de ter comunhão com quem ensina falsa doutrina. Continue lendo “Isto é uma vergonha!”