A prioridade de Jesus

Lucas 10.20: Jesus corrige as nossas alegrias.

Contudo, alegrem-se, não porque os espíritos se submetem a vocês, mas porque seus nomes estão escritos nos céus”. Lucas 10.20

Jesus enviou seus discípulos na comissão limitada, por tempo determinado, somente dentro da terra de Israel. Esta tarefa serviu para preparar o povo e para treinar os discípulos para a missão da igreja. Jesus lhes deu poder miraculoso para confirmar sua mensagem de arrependimento e da vinda do Reino de Deus. Continue lendo “A prioridade de Jesus”

Progresso e alegria na fé

Filipenses 1.25: Três verdades surgem da declaração de Paulo.

A criança que deixa de crescer preocupa os pais. A economia estagnada dificulta o mercado de trabalho. O aluno que não aprende mais vira foco do professor. Em toda área da vida, procuramos o progresso e o crescimento. Quando estes não ocorrem, buscamos medidas e soluções para sair do marasmo.

É preciso também que a fé continue a crescer na vida do cristão. O apóstolo Paulo preferia partir da vida terrena e estar com Cristo, mas ele ainda tinha trabalho para fazer. Continue lendo “Progresso e alegria na fé”

Quando viram

João 20.20: O Jesus ressurreto resume a fé, a esperança e o amor.

Como reacender a alegria e as esperanças, depois de perdê-las?

“Tendo dito isso, mostrou-lhes as mãos e o lado. Os discípulos alegraram-se quando viram o Senhor” João 20.20.

A ressurreição de Jesus é a prova de tudo o que Deus propôs realizar pela humanidade. O Jesus ressurreto nos restaura a alegria de receber a dádiva de Deus e a esperança de um futuro dentro do seu propósito. Continue lendo “Quando viram”

Salmo 1

Comentário e aplicação do primeiro salmo.

O salmo serve como introdução ao livro. Ressalta a alegria, a satisfação, o sucesso e aprovação divina do justo, funcionando assim para recomendar a todos o caminho dos justos. Apresenta dois caminhos, o dos justos e o dos ímpios, mostrando o fim de cada um e como cada fim é atrelado à escolha que se faz. O fim é determinado e efetuado por Deus. Ou somos justos, ou somos ímpios, aos olhos de Deus. Não há outra opção. Escolher o bom caminho significa a rejeição da associação e das influências dos pecadores, além da concentração constante na lei do Senhor. A figura da árvore sugere tanto estabilidade e segurança, como também a ligação permanente à fonte da nutrição espiritual. No final, o salmo lembra a ação de Deus, que revela pela lei o bom caminho, oferece por ela a satisfação ao homem, julga sem haver resistência e garante o sucesso dos justos. Continue lendo “Salmo 1”

Ação: Chorar

Lucas 6.21: Leve a sério o pecado, sentindo o mal que causa para todos.

LER: “Bem-aventurados vocês, que agora choram, pois haverão de rir” Lc 6.21.

PENSAR: Devemos chorar pelo próprio pecado, Lc 22.62, e pela condenção do mundo rebelde, Lc 19.41. Jesus chorou perante a morte, Jo 11.35, ato de solidariedade, Rm 12.15. Quem deixa de chorar agora, lamentará depois, Lc 6.25; Jo 16.20. Troquemos o riso mundano pelo choro, Tg 4.9. Pelo tempo curto, devem viver “aqueles que choram, como se não chorassem” 1Co 7.29ss. No céu não haverá choro, Ap 21.4. Continue lendo “Ação: Chorar”

Ação: Alegrar-se

Lucas 10.20: Decida ser alegre, sem preocupações ou frustrações na fé.

LER: “Contudo, alegrem-se, não porque os espíritos se submetem a vocês, mas porque seus nomes estão escritos nos céus” Lc 10.20.

PENSAR: O santo se alegra na salvação eterna, e na participação nos sofrimentos de Cristo, Mt 5.10-12; At 5.41; Hb 10.34; 1Pd 4.13. Ela supera a circunstância passageira. As provações são motivo de alegria, Tg 1.2-4. Ela é contagiosa, Rm 12.15. Com tantos lembretes na Bíblia, parece que nos esquecemos facilmente da alegria. Alegria celeste sobre o arrependimento deve ser também alegria nossa, Lc 15. Continue lendo “Ação: Alegrar-se”