Você já viu um anjo? Nem eu. Mas já segui Jesus.

Logo uma entidade dessa alimenta a obsessão popular por anjos.

Hoje mesmo, no Twitter, uma sociedade bíblica — logo uma entidade dessa! — perguntou aos seguidores se alguém já tinha visto um anjo. Pedia que se enviasse relato de supostos encontros com anjos. Continue lendo “Você já viu um anjo? Nem eu. Mas já segui Jesus.”

O rosto de um anjo

Atos 6.15: Não é rosto de neném!

Nenhum de nós já viu um anjo. As histórias de anjos hoje nada parecem com as da Bíblia, tampouco os supostos anjos têm algo a ver com os verdadeiros. As Escrituras desconhecem anjinhos bonitinhos.

Todos os que estavam sentados na sala do Conselho Superior olhavam firmemente para Estêvão e viram que o rosto dele parecia o rosto de um anjo.
Atos 6.15 NTLH

Continue lendo “O rosto de um anjo”

Desprezam a autoridade

Aprenda uma das características do falso mestre.

Respeitar autoridadeUma marca do falso mestre é a falta de respeito por autoridade. Pois como pessoa rebelde ele tem que destruir a autoridade constituída para se impor.

(…) desprezam a autoridade. Insolentes e arrogantes, tais homens não têm medo de difamar os seres celestiais; contudo, nem os anjos, embora sendo maiores em força e poder, fazem acusações injuriosas contra aqueles seres na presença do Senhor.
2 Pedro 2.10b-11 NVI

O falso mestre ousa fazer o que nem anjos fazem. E se ele fala mal dos seres celestiais, quanto mais dos homens que Deus colocou para exercer autoridade? Sem falar no desprezo que demonstra para com a própria palavra de Deus.

Tanto no Antigo Testamento, como no Novo, o povo de Deus respeita as autoridades. “Meu filho, tema a Deus, o SENHOR, e respeite as autoridades. Não se envolva com as pessoas que se revoltam contra eles” (Provérbios 24.21 NTLH). O próprio Pedro escreveu na sua primeira carta: “Respeitem todas as pessoas, amem os seus irmãos na fé, temam a Deus e respeitem o Imperador” (1 Pedro 2.17 NTLH).

O falso mestre fala de maneira suave, mas deixará escapar num momento ou outro sua rebeldia contra qualquer um, homem, anjo ou Deus, que incomoda sua libertinagem.

Que todos os anjos o adorem

O Filho não fica devendo nada a ninguém.

jesus superiorValor se estabelece fazendo comparações. Constantemente, avaliamos moedas, propriedades, metais, ações na bolsa por meio de equivalências e diferenças entre eles. No mundo, estes variam a cada dia, alguns ganhando valor maior, e outros perdendo.

O autor de Hebreus faz comparação semelhante para estabelecer para os leitores o valor permanente de Jesus.

E de novo, quando introduz seu Filho primogênito no mundo, ele diz: «Que todos os anjos o adorem.»
Hebreus 1.6 Pastoral

O propósito do autor de Hebreus é o de mostrar a superioridade de Cristo a judeus convertidos que pensavam em voltar à Lei de Moisés. A perseguição os fez questionar sua decisão de abraçar a fé em Cristo.

Ele abre a carta com o argumento mais forte. Os anjos são superiores aos seres humanos. Se Jesus é superior aos anjos, então está resolvida toda a questão. Ele mostrará em seguida a superioridade de Cristo sobre Moisés (capítulo 3), mas de início estabelece a incomparabilidade do Senhor Jesus.

Entre outras passagens do Antigo Testamento, a ordem aos anjos adorarem ao Filho os coloca, todos, em posição inferior. O Filho é supremo.

Por que então abandonar aquele que é superior, melhor, mais abençoado, Líder perfeito, mais qualificado para nos conduzir a Deus?

A pergunta ainda permanece para nós.