Ganhar atenção ou almas?

Dois exemplos em Atos 5.

Na leitura de hoje, Atos 5, não poderia haver um contraste maior entre o casal Ananias e Safira e os apóstolos. O casal, fingindo seguir o exemplo de Barnabé, mente e fica com uma parte do preço do terreno, evidentemente para aparecer e ganhar boa reputação entre os discípulos.

Os apóstolos, por sua vez, arriscam a vida, após ameaças da parte das autoridades, pregando o evangelho. Acabam na prisão, são soltos por um anjo, e voltam imediatamente ao templo para pregar. Vão ao sinédrio com os guardas sem serem forçados, enfrentam as autoridades, e sofrem chicotada. Saem alegres por sofrerem para Cristo e voltam a pregar.

Então chamaram os apóstolos e os chicotearam; e aí mandaram que nunca mais falassem nada a respeito de Jesus. Depois os soltaram.
Atos 5.40 NTLH

O casal queria ganhar atenção. Os apóstolos queriam ganhar almas.

Quem quer ganhar atenção não quer pagar o preço, mas sempre procura atalho.

Quem quer ganhar almas está disposto a sofrer e não será impedido de ensinar o evangelho.

O que você quer ganhar? Sua resposta determinará o preço que pagará.

Pai, que meu coração abrigue a motivação de agradá-lo pelo resgate de almas perdidas. Purifique-me de paixões escusas e impulsos carnais. Prepare-me para sofrer com Cristo e por Cristo. Amém.

Segure este pensamento: Deus quer salvar almas; eu também quero.

[subscribe2]

Pela imposição das mãos dos apóstolos

Os dons miraculosos foram dados pela imposição das mãos dos apóstolos, conforme Atos 8. Por isso, não temos hoje estes dons.

Deus não trabalha de qualquer jeito. Ele escolhe meios pelos quais faz a sua obra. E escolheu comunicar a capacidade de operar milagres após os apóstolos colocarem as mãos sobre uma pessoa.

O evangelho chegou a Samaria por meio de Filipe, mas ele, não sendo apóstolo, não tinha a capacidade de passar para outros os dons. Somente quando Pedro e João chegaram de Jerusalém é que foi dado aos samaritanos o dom de milagres.

Pedro e João se puseram então a lhes impor as mãos e os samaritanos recebiam o Espírito Santo. Mas Simão, quando viu que o Espírito Santo era dado pela imposição das mãos dos apóstolos, ofereceu-lhes dinheiro.
Atos 8.17-18 TEB

Nestes versos, o Espírito Santo é colocado no lugar do que ele dá. Usa-se aqui uma figura de linguagem, a sinédoque, “Tropo que consiste em tomar a parte pelo todo, o todo pela parte; o género pela espécie, a espécie pelo género, etc.” (Dicionário Priberam da Língua Portuguesa).

Pois a promessa de Deus é que o Espírito Santo é dado como dom aos que são batizados (Atos 2.38; ver mais nesse ponto aqui). Portanto, quando foram batizados, os samaritanos teriam recebido a pessoa do Espírito Santo para habitar neles. Faltava-lhes os dons miraculosos.

Não tendo hoje os Doze no nosso meio, fica meio difícil de haver entre nós os dons miraculosos, não fica?