Seja você a mudança na congregação

Romanos 2.1: Reclamamos dos outros, quando nós mesmos somos culpados.

Uma placa eletrônica sobre uma das avenidas principais da cidade avisava: “Seja você a mudança no trânsito”. Foi o tema da Campanha Nacional de Trânsito 2015.

Reclamamos dos outros, culpados nós mesmos do mesmo erro. Continue lendo “Seja você a mudança na congregação”

Deus fala do ‘dia do Senhor’ esperando mudança

Ezequiel 30.3: O dia do Senhor significa juízo. Ouviremos o aviso?

A nação de Israel procurou no Egito força militar para manter a Babilônia à distância. Mas Deus mostrou a todos que é soberano, que sua aliança ainda está válida. Continue lendo “Deus fala do ‘dia do Senhor’ esperando mudança”

Antes de ensinar, ser ensinado

Jó 22.22: Elifaz terá de fazer daqui a pouco o que recomenda a Jó.

Elifaz e seus amigos oferecem bons conselhos para Jó, mas eles fazem péssima aplicação no seu caso. Entre os bons conselhos é este, também encontrado por toda parte das Escrituras: Continue lendo “Antes de ensinar, ser ensinado”

Os pecados dos nossos antepassados

Salmo 79.8: Nosso pecado e o dos nossos antepassados.

Não se vive isoladamente. Os cristãos são membros do corpo de Cristo. Os discípulos são família de Deus. O que um faz afeta os outros.

Foi semelhante entre o povo de Israel. Quando Jerusalém foi destruída em 586 a.C., ocorreu por causa do acúmulo dos pecados do povo ao longo de séculos. Não aconteceu de repente. Por isso Asafe pede de Deus:

Não nos castigue por causa dos pecados dos nossos antepassados. Venha depressa socorrer-nos com a sua misericórdia, pois estamos muito fracos e desanimados!
Salmo 79.8 NBV

O pecado tem efeito cumulativo. Sem negar a verdade de Ezequiel 18, devemos reconhecer que o pecado prejudica não somente quem o comete, mas muitos ao redor e muitos que vêm depois dele.

O verso acima é um pedido por misericórdia e perdão, o autor mostrando seu arrependimento e declarando que aprendeu a lição com o castigo. Reconhece que está no exílio por fazer parte de uma história triste e rebelde. Procura ser recipiente da bondade de Deus.

Como irmandade e como congregação, fazemos parte de uma história, nem sempre positiva, nem sempre honrosa. Peçamos que Deus nos trate com justiça e com misericórdia, procurando reconhecer de onde viemos e como precisamos fazer hoje para agradar ao Senhor em todas as coisas.

 

Abrir mão para ganhar o quê?

Mateus 19.27-30: A resposta é grandiosa, generosa, visionária, multiplicadora.

arrependimentoNão importa o que você tem de renunciar para ganhar Cristo. O que o Senhor oferece é mil vezes melhor do que qualquer prazer, relacionamento ou pecado que prezamos hoje.

Então Pedro lhe respondeu: “Nós deixamos tudo para seguir-te! Que será de nós?”
Jesus lhes disse: “Digo-lhes a verdade: Por ocasião da regeneração de todas as coisas, quando o Filho do homem se assentar em seu trono glorioso, vocês que me seguiram também se assentarão em doze tronos, para julgar as doze tribos de Israel. E todos os que tiverem deixado casas, irmãos, irmãs, pai, mãe, filhos ou campos, por minha causa, receberão cem vezes mais e herdarão a vida eterna. Contudo, muitos primeiros serão últimos, e muitos últimos serão primeiros.
Mateus 19.27-30 NET

Algumas pessoas amam muito certas coisas ou pessoas que, para seguir Jesus, teriam de deixar. Um relacionamento ilícito, a mentira, a cobiça, a auto-suficiência. São muitas coisas assim. Algumas destas parecem mais difíceis do que outras. Afinal, separar-se de uma pessoa a quem não se tem direito parece ser coisa difícil.

Mas a dificuldade cada um sente no momento em que percebe que o arrependimento exige renunciar.

Por maior que seja a dificuldade, por mais profundo o sentimento de perda, nada compara com as maravilhas do Senhor.

Essa foi a resposta do Senhor Jesus à pergunta de Pedro: “Que será de nós?”

A resposta é grandiosa, generosa, visionária, multiplicadora. Ganhamos muito mais nesta vida e no porvir, a vida eterna. Qualquer renúncia nossa nem se compara com a riqueza espiritual que nos aguarda no reino de Deus.

Bondoso Deus, que eu enxergue sempre a sua generosidade para os que seguem o Filho.

Segure essa ideia: Abrimos mão de pouco, por tempo breve, / Desfruta abundância quem Cristo segue.

Torcendo a Escritura para justificar o pecado

Acontece demais, mas não adiantará.

Um irmão que procurava justificar seu pecado citou para mim esse versículo. Antes de se tornar cristão, disse ele, vivia na ignorância, mas agora, tendo Cristo, ele pode se casar com quem quiser, mesmo sendo antes um adúltero. Continue lendo “Torcendo a Escritura para justificar o pecado”

Andemos na luz do Senhor

Um convite ao arrependimento e à obediência.

Andar na luzLuz quer dizer vida, alegria, entendimento e pureza. Deus é luz. É da sua natureza, luz significa encontro, enquanto as trevas significam tropeço e desencontro. Passamos um ao outro no escuro sem ver, sem nos conhecer.

Venha, ó descendência de Jacó, andemos na luz do Senhor!
Isaías 2.5 NVI

O chamado de Isaías para andar na luz é um convite ao arrependimento, ao retorno à obediência, ao abandono da escuridão da idolatria e da arrogância da rebeldia.

Deixo hoje esta citação da Bíblia de estudo da New living translation:

Andar na luz de Deus (sua revelação) levará à participação gloriosa no seu reino (ver 60.1; 1 João 1.7). Deus é o único luz que vence a escuridão do pecado e do mal (9.2). As pessoas não podem produzir tal luz por si mesmas (59.9), mas têm de andar na luz que Deus provê, ao confiar nele e viver em obediência à sua vontade (50.10). A frase “descendência de Jacó” se refere ao relacionamento histórico especial de Israel com o Senhor, bem como sua história de pecaminosidade e rebelião (ver 14.1; 48.1).

Pai, escolhemos a sua luz. Obrigado por nos dar o brilho da sua glória. Somos o povo do dia. Que sua luz brilhe de nós para o mundo, em Cristo. Amém.

[subscribe2]