Servir e esperar

Paulo oferece excelente descrição da conversão.

pois eles mesmos relatam de que maneira vocês nos receberam, e como se voltaram para Deus, deixando os ídolos a fim de servir ao Deus vivo e verdadeiro, e esperar dos céus seu Filho, a quem ressuscitou dos mortos: Jesus, que nos livra da ira que há de vir.
1 Tessalonicenses 1.9-10

Paulo descreve a conversão dos tessalonicenses. Esta inclui a esperança da salvação eterna quando Jesus vier. Servir e esperar são dois aspectos importantes do Caminho. O servir é motivado pela segunda vinda de Cristo. O esperar é definido pelo Deus vivo que deu vida ao seu Filho e que também a dará a nós. Continue lendo “Servir e esperar”

A resposta sempre foi a mesma

Acts 22.10: Jesus não responde diretamente a Saulo, mas manda alguém para dizer o que todos precisam saber.

“Assim perguntei: Que devo fazer, Senhor? Disse o Senhor: ‘Levante-se, entre em Damasco, onde lhe será dito o que você deve fazer’”. Atos 22.10

Não existe pergunta melhor que se pode fazer do que a que Saulo fez no caminho para a cidade de Damasco, quando o Senhor Jesus lhe apareceu. Continue lendo “A resposta sempre foi a mesma”

Torne-se filho de Deus

João 1.12-13: Não somos filhos de Deus automaticamente.

Contudo, aos que o receberam, aos que creram em seu nome, deu-lhes o direito de se tornarem filhos de Deus, os quais não nasceram por descendência natural, nem pela vontade da carne nem pela vontade de algum homem, mas nasceram de Deus.
João 1.12-13

Ninguém nasce, fisicamente, como filho de Deus. Não é por “meios naturais” (NTLH) que alguém é filho dele. Não somos seus filhos automaticamente. A afirmação: “Somos todos filhos de Deus”, é uma mentira. Continue lendo “Torne-se filho de Deus”

Enquanto é possível achá-lo

Isaías 55.6-7: A hora é agora.

Busquem o Senhor enquanto é possível achá-lo; clamem por ele enquanto está perto. Que o ímpio abandone o seu caminho, e o homem mau, os seus pensamentos. Volte-se ele para o Senhor, que terá misericórdia dele; volte-se para o nosso Deus, pois ele dá de bom grado o seu perdão.
—Isaías 55.6-7

Hoje é possível achar o Senhor Deus. O presente nos oferece oportunidade de nos aproximar dele. A oferta do perdão está sendo feita agora mesmo. Continue lendo “Enquanto é possível achá-lo”

Converteu-se a Cristo, mudou a conduta

Não se pode permanecer na vida pagã anterior.

Valem os mandamentos abaixo em sentido geral, mas aplicavam especialmente aos cretenses com quem Tito trabalhava:

Lembre a todos que se sujeitem aos governantes e às autoridades, sejam obedientes, estejam sempre prontos a fazer tudo o que é bom, não caluniem ninguém, sejam pacíficos, amáveis e mostrem sempre verdadeira mansidão para com todos os homens.
Tito 3.1-2 NVI

Os cretenses eram “rebeldes, maliciosos e violentos”./1 (Para uma outra descrição deles, ver Tito 1.12-13.)

As atitudes cristãs que Paulo menciona são justamente aquelas que substituem as da vida pagã anterior (ver verso 3), fruto da graça salvadora de Deus, experimentada primeiro no batismo (versos 4-7).

Hoje, a nossa sociedade é parecida com a dos cretenses. Precisamos mais do que nunca estas mesmas instruções, baseadas na graça encontrada na obediência a Cristo.

Pai celestial, ensine-nos a obediência, o amor e a paz, para que fique evidente em nós e por meio de nós o seu Ser.

Segure este pensamento: A conversão por meio do batismo significa uma mudança na conduta.

1/ Don Shackelford, ed., New Testament survey (Searcy AR EUA: Resource Publications, 1987): 383.

A base da fé

O que atraem as pessoas?

As pessoas confiam no que lhes é oferecido, a fim de trazê-los para dentro da igreja. Se é a mensagem de Cristo, esta inspirará neles a fé e a fidelidade (a mesma palavra no grego do Novo Testamento). Se é o estilo de um pregador que impressiona, ou as atrações de um programa, estas são as coisas que vão segurar as pessoas — até que apareça um pregador mais fluente em outro lugar ou um program melhor organizado em outra igreja.

Minha mensagem e minha pregação não consistiram de palavras persuasivas de sabedoria, mas consistiram de demonstração do poder do Espírito, para que a fé que vocês têm não se baseasse na sabedoria humana, mas no poder de Deus.
1 Coríntios 2.4-5 NVI

Ah, mas temos de manter as pessoas na igreja com programas para jovens e para outros, dizem. Se não, eles vão para outro lugar.

Que eles saiam! Pois não estão na igreja por causa de Cristo. Não vão contribuir ao reino, mas sim atrapalhá-lo.

Se suas lealdades não podem ser viradas para Cristo, pela simples mensagem do evangelho, eles não pertencem ao Senhor.

A perspectiva deste lado da Cruz

Antes, hostilidade. Depois, a pregação do evangelho.

Lembra quando Tiago e João queriam chamar fogo do céu para destruir uma cidade samaritana por não ter recebido Jesus? Foi antes da Cruz, antes da Ressurreição, antes do Espírito Santo, antes da Grande Comissão. E depois?

Depois de terem dado o seu testemunho e de terem pregado a palavra do Senhor, Pedro e João voltaram para Jerusalém. No caminho eles espalhavam o evangelho em muitos povoados da Samaria.
Atos 8.25 NTLH

Dizem que o tempo coloca tudo na perspectiva correta. No caso dos apóstolos, são a Cruz, a Ressurreição, o Espírito e a Comissão que mudaram a perspectiva. Antes, como Jonas, queriam ver a destruição dos samaritanos. Depois, pregaram a mensagem da salvação aos seus inimigos próximos e implacáveis.

Deste lado da Cruz, não devemos nós ter a mesma perspectiva?

Pai, obrigado pela perspectiva da Cruz, que nos leva a abandonar a hostilidade para abraçar o Espírito da graça.

Segure este pensamento: A cruz de Cristo brilha com a luz do amor sobre todos.

[subscribe2]

Só se ele quiser

No contexto, o convite de Jesus de vir até ele é mais rigoroso do que se pensa.

conhecer DeusJesus fez declarações chocantes. Vez após outra ele afirma seu papel especial no projeto divino. Ele é a pessoa chave para conhecer Deus.

Tudo me foi entregue por meu Pai; e ninguém conhece o Filho senão o Pai, como ninguém conhece o Pai senão o Filho e aquele a quem o Filho o quiser revelar.
Mateus 11.27 BSC

Esta declaração de Jesus precede o famoso convite de Mateus 11.28-30, o de vir a Jesus. Sugere que o conhecimento do Pai, o qual implica na sua presença e sua bênção, somente vem àquele que está disposto a entregar ao Senhor os pesos desta vida para receber o seu jugo.

O convite está aberto a todos, mas o alívio e o conhecimento do Pai estão pre-determinados. Ou seja, são condicionados à nossa receptividade de deixar o nosso fardo para assumir a direção (senhorio) de Cristo.

Por que será que cortamos este verso quando citamos o convite a seguir? Seria para separar a demanda da promessa, a restrição do convite?