A miragem do dinheiro

O dinheiro está sempre fora do alcance.

Henry Ford disse: “Se o dinheiro é sua esperança para a independência, você nunca a possuirá”. O dinheiro traz o conforto físico temporário, nada mais. Ele é uma miragem.

A miragem fica sempre à nossa frente. Então, continuamos falando: “Quando eu consegir X valor de dinheiro, farei isto ou aquilo, poderei pagar as dívidas, estarei livre para servir, tirar mais tempo, ter mais condições de ajudar aos outros”.

Por meio de tal miragem, Satanás fica mudando a nossa ação para a frente, num futuro vago e trêmulo, sempre um pouco fora do nosso alcance.

Esta é uma parte do “engano das riquezas” que sufocam a semente da palavra em nosso coração e nos impedem de produzir algo de valor espiritual (Mateus 13.22; Marcos 4.9).

Segure este pensamento: Ao fazer planos, faça com que o dinheiro seja a última consideração.

Deus que supre toda necessidade nossa, que o Senhor seja glorificado pela nossa dependência da sua mão. Que o dinheiro seja uma ferramenta para o reino, e não uma desculpa para a falta de ação.

Não podem

Servir Deus e outro ao mesmo tempo? Que engano!

DinheiroO ser humano complica sua vida. Ao invés de confiar em Deus, ele toma as rédeas e bagunça tudo pela busca por outros senhores.

Um escravo não pode servir a dois donos ao mesmo tempo, pois vai rejeitar um e preferir o outro; ou será fiel a um e desprezará o outro. Vocês não podem servir a Deus e também servir ao dinheiro.
Mateus 6.24 NTLH

O dinheiro destrói a vida. Qualquer senhor além do Criador deturpa o propósito divino e embrutece o homem.

Mas ainda vivemos a fantasia de podermos segurar tanto Deus como o dinheiro, de agradar ao Senhor e controlar o Mamom, como se este fosse um objeto morto para ser usado e manipulado a nosso bel-prazer.

Até acordarmos um dia para descobrir que nós é que somos controlados por ele e que estamos longe de Deus.

Quem ama os prazeres

Tem um dinheiro a mais? Onde vai gastar?

DinheiroO Brasil ficou mais rico, e agora as pessoas reclamam do consumismo dos brasileiros. Mas os de fora (de Cristo) não têm outro motivo para gastar seu dinheiro. O prazer da carne é tudo para eles. A ajuda ao próximo, quando o fizerem, é para aquietar a consciência.

Quem ama os prazeres passará necessidade; quem ama o vinho e a boa comida nunca ficará rico.
Provérbios 21.17 NTLH

Pense no filho pródigo. Quando se gasta o dinheiro para desfrutar a vida, não vai sobrar muita coisa. Casa maior, carro mais novo, escola melhor para os filhos, viagens e férias, roupas finas. A lista é interminável. Onde há consumidor, há indústria para satisfazer seus desejos.

O cristão tem outro motivo de vida, e gasta seu dinheiro pensando no investimento da vida eterna, para ele e para os outros.

Jesus tinha de comer

Eram Maria, chamada Madalena, de quem tinham sido expulsos sete demônios; Joana, mulher de Cuza, que era alto funcionário do governo de Herodes; Susana e muitas outras mulheres que, com os seus próprios recursos, ajudavam Jesus e os seus discípulos.
Lucas 8.2b-3 NTLH

Até Jesus tinha de comer. Ele não sentiu vergonha em receber de muitas pessoas, inclusive muitas mulheres, para sustentar seu projeto de pregação e salvação. Estes recursos foram colocados numa tesouraria, com Judas como o tesoureiro, e tirados conforme era preciso.

O trabalhador é digno de seu salário. Se Jesus recebeu de terceiros para dedicar-se à sua obra, hoje tanto a igreja como pregadores, missionários, evangelistas, mestres e presbíteros não devem se sentir incomodados com isso.

É o melhor uso possível dos recursos que Deus nos dá.