Uma fruta estragada

A sã doutrina e a unidade, estas Deus preza.

DisciplinaUma fruta estragada estraga as outras. Por isso, separamo-na das outras logo para evitar maior estrago. O mesmo princípio funciona na igreja.

Se uma pessoa causar divisões entre os irmãos na fé, aconselhe essa pessoa uma ou duas vezes; mas depois disso não tenha nada mais a ver com ela. Pois você sabe que uma pessoa como esta abandonou completamente o evangelho, e os seus pecados provam que ela está errada.
Tito 3.10-11 NTLH

Tem gente que gosta de ficar discutindo a natureza da divisão, se uma pessoa é facciosa ou não, se suas atitudes são ou não causadoras de divisão. Paulo sabe que não é difícil identificar tanto a divisão como a pessoa facciosa. Não tem que ser um gênio para saber!

Nossa tendência é querer dar mais chances, ser pacientes, trabalhar mais com a pessoa, dar um tempo para a pessoa se amadurecer, mas a Escritura é clara: Depois de duas advertências, fora! O faccioso deve ser tratado como alguém que não pertence mais ao corpo de Cristo.

O caráter (“pervertida”, ARA) e a conduta (“vive pecando”, ARA) de tal pessoa comprovam a necessidade de tomar medidas que à primeira vista parecem severas, mas se tornam obrigatórias pelo perigo que apresenta sua ação no meio da igreja.

Isso porque a divisão na igreja é uma das transgressões mais sérias aos olhos de Deus.

Vai haver divisão

A pregação do evangelho faz surtir divisão.

Os discípulos de Jesus trabalham em prol da paz, mas seus inimigos farão de tudo contra eles. Assim fizeram os judeus que rejeitaram a mensagem de Cristo.

E dividiu-se a multidão da cidade; e uns eram pelos judeus, e outros pelos apóstolos.
Atos 14.4 NVI

Jesus avisou que haveria divisão até dentro da própria família por causa dele.

O que fazer? Continuar pregando a palavra, não se silenciar para evitar conflito, falar a verdade em amor, mas sempre falar a verdade.

Os apóstolos não eram partidários, mas vítimas de facciosos. Foi assim no primeiro século e desde os primeiros dias da igreja de Cristo.