Falando para o vento

Não perca o poder dos dons

A palavra chave em 1 Coríntios 14 é “edificação”. O amor devia levar os discípulos a desejar os dons que mais tinham a capacidade de fortalecer espiritualmente seus irmãos. Ao invés disso, gostavam do dom de línguas, pois assim apareciam mais e se sentiram mais importantes.

Assim, também, como é que os outros vão entender o que vocês estão dizendo se a mensagem por meio de línguas estranhas não for clara? Vocês estariam falando para o vento!
1 Coríntios 14.9 NTLH

Usando o dom de línguas, ninguém entendia, em Corinto, pois os idiomas não eram falados entre eles. Acabou sendo um barulho sem significado que não ajudava ninguém. Os coríntios assim frustravam o propósito de Deus para os dons.

É possível exercer dons de Deus de maneira que não sirvam ao corpo de Cristo e nem à missão de Deus.

Pai, cultive em mim o amor para que meu serviço sirva de fato para ajudar às pessoas e para contribuir para o progresso do evangelho.

Segure este pensamento: Deus dá os dons para o bem do corpo de Cristo, não para proveito pessoal.

Prefiro falar cinco palavras

Entendeu?

razão cristãDeus criou o ser humano para usar, primeiro, a sua mente. O evangelho se baseia em fatos, verdades, mandamentos e princípios que são compreendidos pela mente. A fé tem de fazer sentido. Nosso serviço, diz Paulo, é racional. A edificação espiritual ocorre por meio da razão.

Todavia, na igreja prefiro falar cinco palavras compreensíveis para instruir os outros a falar dez mil palavras em língua.
1 Coríntios 14.19 NVI

Na igreja coríntia, alguns cristãos usavam mal o dom das línguas. Este dom era a capacidade, dada por Deus, de falar um outro idioma, digamos latim ou grego, sem ter estudado, para comunicar os conceitos do evangelho. Em Corinto, porém, alguns utilizavam o dom sem necessidade, sem haver quem falava o idioma, e sem uma interpretação das palavras faladas no idioma estrangeiro. E isso a fim de aparecer e se engrandecer, ao invés de incentivar ao outro.

Nestas condições, Paulo os proibiu falar em línguas na igreja coríntia. Porque o importante é edificar espiritualmente o outro. E tal edificação se faz pela instrução, dirigindo-se com palavras compreensíveis à mente humana.

Portanto, não precisamos na igreja de grandes emoções e nem grandes figurões, mas sim de grandes verdades.