Torne-se filho de Deus

João 1.12-13: Não somos filhos de Deus automaticamente.

Contudo, aos que o receberam, aos que creram em seu nome, deu-lhes o direito de se tornarem filhos de Deus, os quais não nasceram por descendência natural, nem pela vontade da carne nem pela vontade de algum homem, mas nasceram de Deus.
João 1.12-13

Ninguém nasce, fisicamente, como filho de Deus. Não é por “meios naturais” (NTLH) que alguém é filho dele. Não somos seus filhos automaticamente. A afirmação: “Somos todos filhos de Deus”, é uma mentira. Continue lendo “Torne-se filho de Deus”

Luz que produz vida

João 1.4-5: A luz de Jesus produz a vida eterna.

Nele estava a vida, e esta era a luz dos homens. A luz brilha nas trevas, e as trevas não a derrotaram. João 1.4-5

Na terra, o sol torna possível a vida. Sem ele, logo tudo morreria. Assim, vemos a conexão entre a luz e a vida. De forma semelhante, como a luz de Deus, Jesus traz vida ao ser humano. Esta vida não é física mas sim espiritual e eterna. Continue lendo “Luz que produz vida”

No princípio, a Palavra

João 1.1: Jesus expressa a mente de Deus.

No princípio era aquele que é a Palavra. Ele estava com Deus, e era Deus. Ele estava com Deus no princípio. João 1.1-2

Formamos palavras para expressar os pensamentos. Às vezes, as palavras são mal escolhidas. Falamos assim: “Não foi isso que eu queria dizer”. Continue lendo “No princípio, a Palavra”

Por esta razão nasci

João 18.37: Jesus veio à terra com propósito de vida já estabelecido.

Em algumas sociedades, um recém-nascido não recebe nome até crescer, para ver que tipo de pessoa será. O nome dado reflete o caráter da criança.

Jesus não somente tinha nome antes de nascer, mas tinha também uma razão de nascer, que precedeu sua vinda. Os judeus o entregaram ao governador Pilatos para receber condenação. Na conversa entre os dois, Jesus revela quem é e o que veio realizar. Continue lendo “Por esta razão nasci”

O que Deus procura

João 4.23-24: O Senhor é bem específico quanto ao que procura.

No entanto, está chegando a hora, e de fato já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade. São estes os adoradores que o Pai procura. Deus é espírito, e é necessário que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade. —João 4.23-24

O Pai procura. Sua procura possui a qualidade de uma demanda (gr., zeteo, BGAD). Ele nos dá uma adoração necessária, a “obrigatoriedade de lei” (gr., dei, BGAD). Não é opcional nossa maneira de adorá-lo. Temos de fazer conforme seu mandamento. São estes adoradores que ele considera aceitáveis. Muitos o adoram seguindo seus próprios conceitos ou criando ritos estranhos à sua natureza e vontade. Tais adorações não são aceitas por ele. Continue lendo “O que Deus procura”

Jesus espanta o medo

João 6.19-20: Jesus acalma mar, vento e mente perturbada.

Estava escuro já. O vento batia forte e o seu som devia dificultar qualquer conversa. As águas estavam agitadas. Os discípulos remavam fazia tempo. Quando Jesus aparece andando por sobre as águas, não o reconhecem. Pensam que seja fantasma. Continue lendo “Jesus espanta o medo”

Quando viram

João 20.20: O Jesus ressurreto resume a fé, a esperança e o amor.

Como reacender a alegria e as esperanças, depois de perdê-las?

“Tendo dito isso, mostrou-lhes as mãos e o lado. Os discípulos alegraram-se quando viram o Senhor” João 20.20.

A ressurreição de Jesus é a prova de tudo o que Deus propôs realizar pela humanidade. O Jesus ressurreto nos restaura a alegria de receber a dádiva de Deus e a esperança de um futuro dentro do seu propósito. Continue lendo “Quando viram”

A pausa que muda a vida

João 4.19: Quanto tempo esperou a mulher antes de falar essas palavras?

Lemos o texto bíblico direto, sem pausa, o diálogo como se tivesse um ritmo acelerado, sem sentir a dinâmica entre dois estranhos, um homem e uma mulher, um judeu e uma samaritana, ele em viagem e ela cumprindo os deveres da casa.

Se a palavra hebraica “Selá” significa “pausa” e se João tivesse costume de inserir este termo da poesia dos judeus em texto de prosa, imagino que ele a teria usado nessa narrativa sobre Jesus e a mulher samaritana. Especialmente, antes dessa frase dela. Continue lendo “A pausa que muda a vida”