O nascimento de Jesus comprovou sua divindade

Lucas 1.35: Jesus é Deus e merece nossa obediência.

O Espírito Santo virá sobre você, e o poder do Altíssimo a cobrirá com a sua sombra. Assim, aquele que há de nascer será chamado Santo, Filho de Deus.
Lucas 1.35

O nascimento de Jesus, por meio do Espírito Santo, e não pelo desejo humano, provou que ele era divino. O “Filho do Altíssimo” altíssimo é. Continue lendo “O nascimento de Jesus comprovou sua divindade”

Decidiu fazer a vontade da multidão

Lucas 23.24: Lucas mostra que Pilatos tomou uma decisão consciente de fazer o que a multidão queria.

Pilatos era governante fraco. Tentou escapar da sua responsabilidade enviando Jesus a Herodes e, depois, quando essa manobra não foi bem sucedida, procurou soltá-o, mas por causa da insistência da multidão, acabou cedendo.

Frase triste que serve de grande contraste com a vida de Jesus: Continue lendo “Decidiu fazer a vontade da multidão”

Ação: Cear

Lucas 22.19: Coma o pão e beba o cálice a cada primeiro dia da semana na assembleia dos santos.

LER: “façam isto em memória de mim” Lc 22.19.

PENSAR: Jesus estabeleceu a ceia como memorial perpétuo da sua morte para nossa redenção. Seu ato serve como modelo, 1Co 11. Quem come é o que entrou em Cristo e tem o compromisso de servi-lo em tudo. Temos o exemplo aprovado de comer todo primeiro dia, At 20.7. Continue lendo “Ação: Cear”

Ação: Perdoar

Considere ofensas como pedras no caminho a serem removidas.

LER: “Perdoa-nos os nossos pecados, pois também perdoamos a todos os que nos devem” Lc 11.4.

PENSAR: O perdão ao irmão é condição para receber o perdão de Deus. Ele tem de ser de coração, Mt 18.35, e não tem limite, Lc 17.1-10. Perdoar significa ganhar o irmão de volta e assim é processo alegre, pois do perdão consistem a reconciliação e a libertação, Cl 1.14; Ef 1.7. Continue lendo “Ação: Perdoar”

Do coração para a boca

Lucas 6.45: O coração é completa dedicação; a boca é o ensino.

Fala-se muito em ser uma pessoa do bem. O mundo, porém, tem pouca ideia do que significa ser boa pessoa. É mais do que bons modos. Algumas das pessoas mais ímpias são, nos tratos com elas, muito agradáveis. Continue lendo “Do coração para a boca”

Levado a lugares solitários

Lucas 8.29: Nossos demônios fazem o mesmo dos de outrora.

Estar sozinho pode ser bom ou ruim. Jesus frequentemente procurava estar a sós a fim de orar ao seu Pai. Assim, é bom ficar longe das pessoas para estar junto de Deus. Mas outro tipo de solidão é ruim. Continue lendo “Levado a lugares solitários”

A boa organização permite a realização eficaz

Lucas 9.14: Mesmo fazendo milagres, Jesus organizou as pessoas para efeito máximo.

Deus é Deus de ordem e não bagunça. Pela ordem as pessoas são servidas e as necessidades supridas. Jesus reconheceu e lançou mão da boa organização no seu ministério. Continue lendo “A boa organização permite a realização eficaz”

Questão maior que o poder do diabo

Lucas 4.8: Podia o diabo entregar a Jesus todos os reinos do mundo? Faz diferença?

Pessoas discutem de vez em quando se o diabo tinha ou não condições de cumprir sua promessa a Jesus quando lhe oferecia autoridade sobre todos os reinos do mundo, Lucas 4.5.

Primeiro, devemos lembrar que o diabo é mentiroso e lança mão da mentira nas suas tentações.

Na narrativa, porém, existe algo de maior importância do que sua condição de entregar a Jesus os reinos do mundo. Continue lendo “Questão maior que o poder do diabo”

O que você vai fazer com isso?

Lucas 7.28: Quer ser maior do que João, o Imergidor?

Jesus consistentemente traz de volta ao indivíduo o significado do evangelho para sua vida. Após perguntas e opiniões a respeito dos outros, o Senhor termina com uma afirmação surpreendente que procura fazer o ouvinte pensar na sua situação perante Deus.

Eu lhes digo que entre os que nasceram de mulher não há ninguém maior do que João; todavia, o menor no Reino de Deus é maior do que ele.
Lucas 7.28

A dúvida de João, o imergidor, enquanto na prisão, não devia diminuir a opinião das pessoas a respeito dele. João não tinha igual. Era homem corajoso que tinha sido escolhido por Deus para um momento crítico no plano divino. Cumpriu maravilhosamente bem seu papel como arauto da vinda do Messias. Continue lendo “O que você vai fazer com isso?”