O abandono de Deus

Marcos 15.34: O que Jesus bradou não precisamos bradar.

Por volta das três horas da tarde, Jesus bradou em alta voz: “Eloí, Eloí, lamá sabactâni?”, que significa “Meu Deus! Meu Deus! Por que me abandonaste?” Marcos 15.34

É impossível entender a missão de Jesus sem entender sua experiência na cruz. E é impossível entender esta sem apreciar suas palavras faladas enquanto pendurava no sofrimento, em especial esta acima. Continue lendo “O abandono de Deus”

‘Afasta de mim este cálice’

Marcos 14.36: A oração de Jesus no Getsêmani mostra aspectos que precisamos ter em nossas orações.

E dizia: “Aba, Pai, tudo te é possível. Afasta de mim este cálice; contudo, não seja o que eu quero, mas sim o que tu queres”. Marcos 14.36

Jesus não somente nos deu um modelo de oração, mas também serve de exemplo de como orar. Sua oração no jardim de Getsêmani mostra vários aspectos que as nossas orações precisam possuir. Continue lendo “‘Afasta de mim este cálice’”

Jesus ignorou as pessoas

Marcos 5.36: Faremos bem ignorá-las também.

Não fazendo caso do que eles disseram, Jesus disse ao dirigente da sinagoga: “Não tenha medo; tão-somente creia”. Marcos 5.36

Vamos acreditar no que as pessoas dizem, ou no que Jesus diz? O Senhor aceitou ir na casa de Jairo para curar sua filha. No caminho, veio a notícia da sua morte. As pessoas falaram a Jairo: “Não precisa mais incomodar o mestre” verso 35. Quer dizer, talvez curar Jesus podia, mas viam a morte como o fim das esperanças. Continue lendo “Jesus ignorou as pessoas”

Ação: Saber

Marcos 16.16: Podemos saber com certeza sobre a salvação

Nota: Nas próximas semanas, faremos neste espaço a série: “52 ações do discípulo de Cristo”. Que seja instrutivo e edificante para você.

LER: “Quem crer e for imerso será salvo” Marcos 16.16 BND.

PENSAR: Quem obedecer ao mandamento do Senhor Jesus sabe que está salvo, conforme a sua promessa. A salvação se baseia, não nos sentimentos, mas na realidade da sua oferta e na possibilidade de verificarmos se somos salvos ou não. Ver 1 João 5.13. Podemos ter certeza da salvação quando obedecemos conforme Jesus ordenou.

AGIR: Verificar se entendi o que eu fiz para receber de Cristo a salvação e comparar com o ensino bíblico.

ORAR: Pai celestial, obrigado pela minha salvação e pela clareza do que é necessário para recebê-la.

PERGUNTAR: Quem mais precisa saber sobre a salvação?

Se, a fim de comparar o que fez no princípio para receber o evangelho, você gostaria de receber uma série de perguntas de avaliação, favor nos enviar email para saber@simples.fastmail.fm.

Todo mundo gosta de um final feliz

Marcos 16.20: Final que continua findando até os dias de hoje.

jesus-final-feliz

Um bom filme tem um final feliz. Gostamos disso. Deixa-nos satisfeitos com a conclusão da história. O ser humano, por mais pessimista que seja, gostaria de ver as coisas dando certo. Continue lendo “Todo mundo gosta de um final feliz”

Como não chegar a uma boa decisão

Marcos 15.1: Tem tudo a ver com motivações.

decisao-dois-caminhos

Quando o propósito for errado, também será a decisão que dele procede. Não pode sair uma boa decisão de um motivo escuso.

De manhã bem cedo, os chefes dos sacerdotes com os líderes religiosos, os mestres da lei e todo o Sinédrio chegaram a uma decisão. Amarrando Jesus, levaram-no e o entregaram a Pilatos.
Marcos 15.1

O propósito dos líderes já tinha sido determinado: matar Jesus, para proteger sua influência sobre o povo. Agora que ele estava no poder deles, sua consulta uns com os outros só confirmava o próximo passo. Teriam de levá-lo ao governador romano, que detinha o poder da pena de morte. Continue lendo “Como não chegar a uma boa decisão”

Fé e ação: se eu tão-somente tocar …

Marcos 5.27-28: Ela creu e chegou perto de Jesus.

Queremos que alguém resolva o nosso problema, sem termos de levantar um dedo. Queremos que a solução caia do céu. Mas uma pessoa sabia que teria de correr atrás da solução, uma mulher com hemorragia.

Quando ouviu falar de Jesus, chegou por trás dele, no meio da multidão, e tocou em seu manto, porque pensava: “Se eu tão-somente tocar em seu manto, ficarei curada”.
Marcos 5.27-28 NVI

A certeza desta mulher a respeito da compaixão de Jesus e do seu poder, junto com a sua determinação de chegar até ele, fez com que ela tivesse sucesso.

Uma mulher com esse problema não sai em público. Uma pessoa na sua condição não arrisca andar pelas ruas. A grande multidão em volta de Jesus apresentou ainda maior desafio para a mulher. Mas mesmo assim ela a enfrentou e chegou até o Senhor.

Quando eu também creio firmemente no poder do Senhor e na sua bondade, e quando estou determinado a chegar até ele, sem dar conta das dificuldades, sem medir forças, terei sucesso na cura da minha alma e na obra de aproximar-me de Deus.

A minha vergonha, Senhor, nada se compara à minha necessidade de ti.

Segure essa ideia: Ele pode. Irei até ele.

Por acaso sou eu?

Cuidado como responde à pergunta!

Confissão de CristoA pergunta que os discípulos fazem, mesmo que retórica, é apropriada para os cristãos também, especialmente durante a ceia do Senhor. Foi durante a Páscoa, quando Jesus estabeleceu a ceia, que lhe fizeram a pergunta, após o Senhor afirmar que um deles o trairia.

E eles começaram a ficar tristes e a dizer-lhe, um após o outro: —Por acaso sou eu?
Marcos 14.19 VFL

Eu trairia Jesus? Eu o negaria? Eu o abandonaria ao chegarem os inimigos?

Tomemos cuidado para não responder rápido demais, casualmente.

Esta passagem levou o comentarista Matthew Henry a orar:

Senhor, dê-me graça para me guardar de negar-te.

Segure este pensamento: Fraco sou sob pressão, preciso da força de Deus, na fé, para confessar Jesus.

Um pecado leva a outro

Impossível cometer um só.

PecadoUm único pecado não fica só, mas leva a outro. E a mais outro. Como os religiosos judeus. A inveja levou ao homicídio, o que levou por sua vez à soltura de um rebelde e assassino.

Mas os chefes dos sacerdotes atiçaram o povo para que pedisse a Pilatos que, em vez de soltar Jesus, ele soltasse Barrabás.
Marcos 15.11 NTLH

Saiba que um pecado, por menor que pareça, abre a porta para ainda mais iniquidade tomar conta da pessoa.

A infidelidade leva à mentira e à destruição do lar. Ou, no caso, do rei Davi, ao homicídio.

A ganância leva ao prejuízo ao próximo e à idolatria.

O vício leva ao roubo e à violência.

Seja um pecado ou vários, todos levam ainda às consequências: a destruição dos relacionamentos e a separação de Deus, agora e eternamente.

O que é que você estava pensando em fazer?

Pai, impeça-me de sair da segurança da sua santidade. Que eu não tome nem o primeiro passo em direção à transgressão. Pelo teu santo Filho Jesus. Amém.