Não é parábola coisa nenhuma

Acho que não ouvi direito …

Palavra de CristoQuando a palavra de Cristo não bate com a nossa ideia, logo pensamos que ela queria dizer outra coisa. Afinal, nossa ideia está correta!

Então Pedro disse a Jesus: «Explica-nos a parábola.»
Mateus 15.15 EP

No capítulo 13 Jesus explicava tudo às multidões por meio de parábolas, sem as quais não ensinava nada. Agora, o Senhor faz uma declaração direta e clara. Pedro, porém, não entende, porque contradiz tudo o que ele tinha aprendido. Ele pensa que, se discorda da opinião dele, deve ser então uma parábola, com outro significado além do óbvio.

Por isso, pede ao Senhor uma explicação da parábola, quando não é parábola coisa nenhuma.

E fazemos o mesmo. Quando a palavra de Cristo não se encaixa em nossa teologia, então, ela tem de ser figura de linguagem, ou limitada à época, ou uma inserção dos discípulos posteriores e não genuína. Qualquer coisa além de palavra que nos contradiz!

 

Esta é só a sua interpretação (errada)!

Jesus não permite qualquer interpretação da Bíblia.

Para justificar seu erro, muita gente gosta de pensar na Bíblia como uma obra que permite um leque de diversas interpretações. Na hora em que veem evidência que contraria sua opinião, soltam a frase: “Mas esta é só a sua interpretação”.

Quando alguns fariseus viram aquilo, disseram a Jesus: —Veja! Os seus discípulos estão fazendo uma coisa que a nossa Lei proíbe fazer no sábado!
Mateus 12.2 NTLH

Seguindo esta acusação com dois exemplos das Escrituras (Davi e os sacerdotes) e mais uma citação sobre as prioridades divinas (misericórdia acima do sacrifício), o Senhor Jesus demonstra que a interpretação que os fariseus faziam da lei estava errada.

Seja por tradição, como no caso dos fariseus, seja por inovação, que é muito o caso de hoje, as pessoas fazem suas próprias interpretações erradas da Bíblia. Só que Cristo mostra que a Palavra de Deus não é suscetível a uma variedade de intepretações. Ou está errado, ou está certo.

Temos de estar na mesma página quanto ao entendimento da mensagem das Escrituras.

Como saber? O Senhor já deu uma dica nesta narrativa: estudar tudo o que a Bíblia tem a dizer sobre o assunto, sem se apoiar em um único texto e sem fugir do texto sagrado.

Porque o Filho do homem até da interpretação é Senhor.

Milagres do Messias

E o que esperava o Messias fazer em Israel?

Jesus CristoTanto os ensinamentos de Jesus bem como seus atos, entre estes os milagres, revelaram a natureza do propósito messiânico. Depois de Jesus curar um homem cego e mudo —

A multidão ficou admirada e perguntava: —Será que este homem é o Filho de Davi?
Mateus 12.23 NTLH

O evangelho de Mateus associa os milagres de Jesus à sua identificação como o Messias, que seria descendente do rei Davi. Embora, para Mateus, o ensino (ver capítulos 5-7) tome o lugar proeminente acima dos milagres (capítulos 8-9), estes servem para expressar a compaixão divina, confirmar a palavra ensinada e apontar Jesus como o Messias prometido.

Os milagres que ele operou, dentro da história do seu ministério, continuam servindo tais funções.

Não são um embaraço ao evangelho, mas uma poderosa testemunha.

Só se ele quiser

No contexto, o convite de Jesus de vir até ele é mais rigoroso do que se pensa.

conhecer DeusJesus fez declarações chocantes. Vez após outra ele afirma seu papel especial no projeto divino. Ele é a pessoa chave para conhecer Deus.

Tudo me foi entregue por meu Pai; e ninguém conhece o Filho senão o Pai, como ninguém conhece o Pai senão o Filho e aquele a quem o Filho o quiser revelar.
Mateus 11.27 BSC

Esta declaração de Jesus precede o famoso convite de Mateus 11.28-30, o de vir a Jesus. Sugere que o conhecimento do Pai, o qual implica na sua presença e sua bênção, somente vem àquele que está disposto a entregar ao Senhor os pesos desta vida para receber o seu jugo.

O convite está aberto a todos, mas o alívio e o conhecimento do Pai estão pre-determinados. Ou seja, são condicionados à nossa receptividade de deixar o nosso fardo para assumir a direção (senhorio) de Cristo.

Por que será que cortamos este verso quando citamos o convite a seguir? Seria para separar a demanda da promessa, a restrição do convite?

 

 

Confiar ou trair

Falta ao discípulo a falsa segurança dos de fora.

Confiar em DeusNinguém gosta de chegar no último lugar. Mas quem na vida aparece na frente pode ficar, aos olhos de Deus, por último.

e Simão, o nacionalista; e Judas Iscariotes, que traiu Jesus.
Mateus 10.4 NTLH

A lista dos apóstolos em Mateus 10 é dividida em pares, refletindo evidentemente o envio deles de dois em dois na comissão limitada. Nos evangelhos Judas aparece por último e sempre com a identificação de ser o traidor do Senhor.

Pelo jeito, ninguém suspeitava de Judas. Era o tesoureiro confiado com os donativos para o sustento do Mestre e do seu grupo. No mundo, quem controla o dinheiro é pessoa importante, então, Simão Zelotes deve ter ficado satisfeito com Judas como parceiro de pregação.

Ao longo do ministério de Jesus, porém, algo incomodava o coração de Judas, até chegar ao ponto de vencê-lo. Na hora de sair na comissão limitada, eles tiveram de abrir mão de malas e moeda, para depender da hospitalidade dos seus ouvintes. O homem que amava o dinheiro e, talvez, achava nele seu conforto e valor, deve ter achado tais experiências, no mínimo, assustadoras.

Jesus nos lança no mundo sem as escoras de sustentação das quais o mundo depende. Temos a sua presença, e a comunhão dos irmãos, mas falta a falsa segurança dos de fora.

Basta ver se confiaremos nele, ou tentaremos no final garantir a sustentabilidade da nossa causa. E, no processo, trair o Salvador, para ficar por último.

Agora, sua vez

O que Jesus fez, façamos nós também.

EvangelhoAlguns irmãos, numa tentativa de evitar o compromisso do matrimônio em Mateus 19, afirmam que os evangelhos não se aplicam a nós na era cristã, por pertencerem à velha lei. Mas a própria estrutura do evangelho de Mateus mostra diferente:

Jesus percorria as cidades e as aldeias, ensinando nas suas sinagogas, proclamando o Evangelho do Reino e curando todas as enfermidades e doenças.
Mateus 9.35 BSC

Este verso é quase igual ao de 4.23. Os dois versos servem de moldura para o início do ministério de Cristo e assim descrevem a natureza do que ele faz. Ele ensina e proclama (capítulos 5-7) e cura (capítulos 8-9).

Na conclusão desta parte do evangelho, logo após o verso acima, Jesus manda os discípulos orarem para que Deus envie mais trabalhadores para o campo. No capítulo 10 ele envia seus próprios discípulos. (Não se deve orar por algo que não estiver disposto a fazer.)

Jesus os envia a fazer exatamente o que ele tinha feito: curar e pregar. Embora haja limitações dentro dessa verdade, para eles, geográficas (eles vão primeiro somente na região da Galileia) e, para nós, ministeriais (não podemos mais operar milagres), o princípio vale tanto para a mensagem (“tudo o que tenho ordenado”, 28.19) como para a prática e no desempenho da missão.

O que Jesus fez, façamos nós também. O que Jesus ensinou, ensinemos nós também.

Eu te seguirei

Falar é fácil, seguir exige compromisso.

DiscipuladoO Acampamento Monte das Oliveiras, como muitos acampamentos cristãos para jovens, prima no ensino do evangelho às crianças e adolescentes. Mas precisa haver cuidado: às vezes um jovem se entusiasma com o ambiente e quer se batizar, sem considerar o custo de seguir Jesus depois de chegar em casa.

Então, um mestre da lei aproximou-se e disse: “Mestre, eu te seguirei por onde quer que fores”.
Mateus 8.19 NVI

Deve ser proposital que, antes e depois desta narrativa do mestre da lei, Mateus registra três momentos das curas de Jesus. Parece que o mestre da lei se entusiasma com o poder de Jesus para trazer mudanças efetivas na vida das pessoas.

Talvez Mateus quer dizer que uma coisa é receber de Cristo uma cura, outra é entregar-lhe a vida.

Poderia tomar a resposta do Senhor ao homem como balde de água fria. Ele não o recebe de braços abertos.

Tome Pedro como exemplo. Tudo bem, Jesus vem morar na casa de Pedro e cura a sua sogra, mas sua casa fica cercada por multidões procurando curas (versos 14-16).

Ser seguidor significa colocar-se à disposição do Senhor, ser servo como Cristo serviu. É mais do que apenas clicar “Curtir”.

Já considerou o custo, agora que quer segui-lo, depois de resolver se batizar?

Fora o egoísmo!

Faça aos outros o que quer que façam a você.

Servir os outrosO ser humano é egoísta, pensando primeiro nos seus próprios desejos. Para ser o povo de Deus, temos de nos arrepender do egoísmo e pensar primeiro no próximo. Jesus explica como fazer:

Façam aos outros o que querem que eles façam a vocês; pois isso é o que querem dizer a Lei de Moisés e os ensinamentos dos Profetas.
Mateus 7.12 NTLH

Já temos uma boa ideia de como queremos ser tratados, como queremos que os outros nos julguem. Com essa medida devemos tratar os outros.

Numa frase, essa ideia expressa o sentido das Escrituras e, podemos acrescentar, o sentido da vinda de nosso Senhor Jesus.

Não podem

Servir Deus e outro ao mesmo tempo? Que engano!

DinheiroO ser humano complica sua vida. Ao invés de confiar em Deus, ele toma as rédeas e bagunça tudo pela busca por outros senhores.

Um escravo não pode servir a dois donos ao mesmo tempo, pois vai rejeitar um e preferir o outro; ou será fiel a um e desprezará o outro. Vocês não podem servir a Deus e também servir ao dinheiro.
Mateus 6.24 NTLH

O dinheiro destrói a vida. Qualquer senhor além do Criador deturpa o propósito divino e embrutece o homem.

Mas ainda vivemos a fantasia de podermos segurar tanto Deus como o dinheiro, de agradar ao Senhor e controlar o Mamom, como se este fosse um objeto morto para ser usado e manipulado a nosso bel-prazer.

Até acordarmos um dia para descobrir que nós é que somos controlados por ele e que estamos longe de Deus.

Igreja unida e global

Isso veio do Senhor Jesus.

IgrejaUma Bíblia de estudo em inglês comentou 2 Coríntios 9.13: “Paulo teve a visão de uma igreja cristã unida e global, a qual se tornaria uma testemunha poderosa à obra de reconciliação do Senhor”. De fato. E não somente Paulo, mas isso veio do Senhor Jesus.

E também eu te digo, que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei minha Igreja; e as portas do mundo dos mortos não prevalecerão contra ela.
Mateus 16.18 BLivre

O problema: Os homens abandonaram a Palavra de Deus para construir suas próprias igrejas (denominações).

A solução: Não o ecumenismo, que ignora as diferenças substanciais, mas sim a restauração da Bíblia como Palavra de Cristo que tem autoridade única, o arrependimento das obras e doutrinas humanas entre as denominações e o retorno a falar apenas o que manda nosso Senhor Jesus Cristo.

Jesus edificou sua igreja. Os homens também construíram as suas. Qual vencerá contra as forças do Maligno?