Começou imediatamente

Estamos morrendo porque achamos evangelismo é para profissionais.

Saulo não esperou anos depois da sua conversão antes de começar a ensinar outros sobre Cristo. Convertido em Damasco por meio de uma palavra de Ananias, ele foi direto às sinagogas daquela mesma cidade e fez o que todo cristão deve fazer.

E começou imediatamente a anunciar Jesus nas sinagogas, dizendo: —Jesus é o Filho de Deus.
Atos 9.20 NTLH

Saulo foi ao povo que conhecia, seu próprio povo. O perseguidor da igreja imediatamente tornou-se o proclamador do evangelho. Ah, você vai dizer, mas quando Ananias pregou a ele, deu-lhe o chamado de Deus como apóstolo.

Exatamente. E da mesma forma, tão logo somos chamados para entrar no reino, somos também chamados para a tarefa do reino, para ser seu povo missionário.

Temos medo de deixar que os novos convertidos ensinem. Muita bagagem da vida anterior, dizemos. Falta de conhecimento, acautelamos. Vamos enviá-los a uma escola de treinamento ou faculdade cristã, recomendamos.

De onde nós tiramos este lixo de pensamento? Porque pensamos que o evangelismo é coisa dos profissionais.

E é por isso que estamos morrendo.

Deus no céu, perdoe-nos por torcer o evangelho e fazer dele uma atividade de clérigos.

Segure essa ideia: Se você sabe o suficiente para obedecer ao evangelho, você sabe o suficiente para partilhar o evangelho.

Abrindo mão dos direitos

O cristão anda por um caminho melhor.

promessas de Deus

Exija seus direitos, dizem-nos hoje. Pois se você não zelar pelo próprio bem, quem o fará? O cristão, porém, tem como agir de outra forma, como fez o patriarca Abrão com seu sobrinho Ló:

Aí está a terra inteira diante de você. Vamos separar-nos. Se você for para a esquerda, irei para a direita; se for para a direita, irei para a esquerda.
Gênesis 13.9 NVI

Como o patriarca que era, Abrão tinha a preferência da escolha. Mas abriu mão do seu direito, dando a Ló a opção de ir para o lado que achava melhor.

Abrão podia fazer isso porque tinha recebido a promessa de Deus, e nesta confiava. O Senhor tinha prometido torná-lo em grande e próspera nação.

Com esta mesma confiança, podemos também fazer o mesmo que Abrão, sem exigir nosso direito. Pois o Senhor nos prometeu a sua bênção. Podemos assim procurar fazer o bem ao próximo e cultivar a paz.

Mais ainda, podemos sofrer por Cristo, para cumprir a missão dele, certos de que a promessa de Deus, para cuidar das nossas necessidades, se cumprirá a nosso respeito.

5 lições de um único pedido de oração

Paulo pede oração a seu favor

Lembre-se de que Paulo e Silas foram correndo de Tessalônica, por causa de perseguição por terem pregado a Cristo. Sua experiência naquela cidade, porém, não seria excepcional. Então ele escreve de volta à igreja lá:

Finalmente, irmãos, orem por nós, para que a mensagem do Senhor se espalhe rapidamente e seja honrada, assim como aconteceu entre vocês. E orem também para que sejamos protegidos das pessoas más e perversas. (Pois nem todas as pessoas têm fé no Senhor.)
2 Tessalonicenses 3.1-2 VFL

Podemos tirar pelos menos cinco lições importantes deste único pedido de oração. Continue lendo “5 lições de um único pedido de oração”

Pelo evangelho

O que significa fazer tudo pelo evangelho?

Outros têm causas para as quais contribuem e pelas quais lutam. Os cristãos têm o evangelho. Não é sua causa, mas sua vida. As causas podem ser adotadas e abandonadas, dependendo da necessidade e das circunstâncias. O evangelho permanece como a única esperança para o homem.

Faço tudo pelo Evangelho, para ter parte nele.
1 Coríntios 9.23 Vozes

Fazer tudo pelo Evangelho significa fazer “tudo para espalhar a Boa Nova” (NLT). O evangelho é uma mensagem, a palavra da verdade (Colossenses 1.5). Se não estamos falando o evangelho, isto é, ensinando outros — diga-se: evangelizando, não estamos fazendo nada pelo Evangelho.

Pai, acorde-me ao evangelho, para levar outros ao Senhor pela mensagem de Cristo.

Segure este pensamento: Faça tudo para ensinar aos outros a Boa Nova de Cristo.

A esperança do mundo

O nome de Jesus é a esperança do mundo.

EvangelismoUma cura físical é pouca esperança para o homem, então Jesus proibiu que as pessoas revelassem sua identidade. Primeiro, porque não entenderam corretamente quem era ele nem qual a sua missão. Segundo, porque o maior poder não estava nos milagres, mas na sua mensagem e, mais tarde, na sua morte para a salvação eterna.

Em seu nome as nações porão sua esperança.
Mateus 12.21 NVI

Este verso termina a maior citação do Antigo Testamento por parte de Mateus. Jesus cumpre as Escrituras. Mateus tem interesse especial no reino de Deus como o novo povo messiânico. Dos judeus o reino de Deus é tirado. Um novo povo, a igreja, agora representa o reinado especial de Deus na terra. Todas as nações do mundo podem agora entrar e participar.

Este novo povo também é o mensageiro das novas salvadoras. A fim de que o nome de Jesus se torne a fonte da esperança, ele tem de ser ouvido. Esta é a nossa tarefa. Nenhuma outra.

Nenhum nome mais doce, ó Deus, do que o de Jesus Cristo, pois nele há poder e propósito e amor. Louvor a ti por trazê-lo à terra!

Segure este pensamento: Seu nome a esperança do mundo! Que chegue a notícia aos confins da terra!

Não resgate a boneca inflável

Temos uma visão clara do nosso objetivo?

resgate de almaA polícia em Shadong, na China, recebeu telefonema sobre o corpo de uma mulher flutuando num dos rios da província.

Então, uma equipe de resgate de 18 policiais gastaram 40 minutos retirando o corpo, para depois descobrir que era apenas uma boneca inflável.

Sabemos o que nós queremos salvar? Está claro na nossa mente o objeto dos nossos esforços de resgate? Ou será que nossos esforços serão por nada, depois de trabalhamos de forma tão árdua?

“Meus irmãos, se algum de vocês se desviar da verdade e alguém o trouxer de volta, lembrem-se disso: Quem converte um pecador do erro do seu caminho, salvará a alma dessa pessoa e fará que muitíssimos pecados sejam perdoados” (Tiago 5.19-20).

Temos uma visão clara que a nossa tarefa é para salvar uma alma da morte eterna?

Criador de alma e corpo, que nossos esforços sejam à altura do nosso objetivo.

Segure este pensamento: Trabalhamos não para pintar uma parede ou vestir a nudez, mas salvar uma alma e ganhar de volta o desviado.

Qual o seu plano?

As coisas não acontecem por acaso, nem a conversão do próximo.

“Pense só: quanto mais as pessoas e algumas congregações poderiam fazer se apenas gastassem tanto tempo ponderando o crescimento do reino, quanto gastam no planejamento das férias ou no temperatura do ambiente durante o culto”.

Assim escreveu Steve Higginbotham no seu devocional sobre a parábola do servo astuto. Jesus disse:

“Pois os filhos deste mundo são mais astutos no trato entre si do que os filhos da luz” (Lucas 16.8 NVI).

Qual o seu plano para alcançar os perdidos? O seu, pessoalmente. Como chegará a ensinar aquele vizinho seu ou colega de trabalho? Qual a sua estratégia? Qual o seu recurso? Quem são as pessoas no topo da sua lista de oração e proclamação? Quais os seus alvos para o evangelismo? Como você vai chegar do ponto de dizer: “Bom dia”, para falar: “Levante-se e seja batizado”?

As pessoas não vão se converter por acaso. O processo não ocorre como o cair na água ou tropeçar nos cardaços. Somente por oração que faz a testa suar e astúcia que bondosamente traça projetos levará você alguém a Cristo.

A parábola em Lucas 16 segue logo as três em Lucas 15, estas sobre encontrar os perdidos. Não deve esta proximidade nos dizer algo? Como a nossa necessidade de sermos astutos em alcançar os perdidos.

O tempo está correndo.

Eles ouvirão

O evangelho foi feito para o sucesso.

“Ninguém quer saber da verdade do evangelho!” Assim falamos às vezes, frustrados pela recusa de muitos de ouvir e aceitar a mensagem de Cristo.

Portanto, quero que saibam que esta salvação de Deus é enviada aos gentios; eles a ouvirão!
Atos 28.28 NVI

Chegado a Roma, o apóstolo Paulo, novamente, oferece o evangelho aos judeus, a maioria dos quais rejeita Cristo. Concentra, então, suas atenções nos gentios, entre os quais ele encontra uma receptividade maior.

Talvez precisemos encontrar os nossos “gentios”, pessoas interessadas nas coisas de Deus, pois em algum lugar há pessoas que ouvirão.

Pai, coloque-me no caminho de pessoas que querem ouvir o evangelho. E que seja eu um dos que ouvem a sua vontade.

Segue este pensamento: O evangelho foi feito para o sucesso no evangelismo.

‘Peço a Deus’

Este é o conteúdo da oração de Paulo, e de todo cristão.

Talvez fosse uma daquelas orações-relâmpago, feita rapidinho. Ou talvez ele estivesse compartilhando, numa última tentativa de motivar à obediência, o que já tinha orado. De qualquer maneira, o conteúdo da oração ficou claro:

Paulo respondeu: “Em pouco ou em muito, peço a Deus que não apenas tu, mas todos os que hoje me ouvem se tornem como eu, menos estas algemas”.
Atos 26.29 NVI

Paulo se dirigiu ao rei Agripa, para quem o encontro tinha sido marcado, mas ele estava ciente de estar falando também a uma grande assembleia que vinha ouvi-lo. Embora ele devesse se defender contra acusações da parte dos judeus, acabou pregando Cristo. Sua mensagem chegou perto do alvo, evidentemente, tanto que Agripa sentia a necessidade de se esquivar da pregação de Paulo pela sua pergunta sobre a conversão em pouco tempo.

Paulo revela o quanto deseja a conversão de Agripa e de todos os ouvintes pelo conteúdo da sua oração. Agripa rejeita a mensagem, mas é possível que mais alguém acredite no evangelho. Assim, sua oração será respondida.

Este é o conteúdo da oração do apóstolo, a salvação de todos.

Também é o conteúdo da oração de todo cristão.

Pai, que nossos ouvintes se tornem como nós, seus filhos, salvos das tentações de Satanás, seguros na salvação de Jesus.

Segure este pensamento: A oração é uma prioridade na pregação do evangelho, e necessária ao seu sucesso.