Minha vida sem valor

O importante não é preservar a todo custo a vida física.

Quando a igreja tiver homens e mulheres que fazem essa afirmação do apóstolo Paulo—e vivem de acordo dela, haverá grandes avanços no reino de Deus:

Mas eu não dou valor à minha própria vida. O importante é que eu complete a minha missão e termine o trabalho que o Senhor Jesus me deu para fazer. E a missão é esta: anunciar a boa notícia da graça de Deus.
Atos 20.24 NTLH

Há algo mais importante do que a vida física. Investir na eternidade é o valor supremo. A obra de Deus merece todo o nosso esforço, toda a nossa dedicação, mesmo às custas da própria vida.

Se Cristo entregou a sua vida para o projeto do Pai, poderemos fazer menos?

Deus da minha salvação, a sua justiça vem primeiro, acima da própria vida física. Fazer a sua vontade e anunciar o evangelho é tudo para mim. Porque foi assim para meu Senhor Jesus. Amém.

Segure este pensamento: Para o evangelho, todo esforço é pouco.

Agora, sua vez

O que Jesus fez, façamos nós também.

EvangelhoAlguns irmãos, numa tentativa de evitar o compromisso do matrimônio em Mateus 19, afirmam que os evangelhos não se aplicam a nós na era cristã, por pertencerem à velha lei. Mas a própria estrutura do evangelho de Mateus mostra diferente:

Jesus percorria as cidades e as aldeias, ensinando nas suas sinagogas, proclamando o Evangelho do Reino e curando todas as enfermidades e doenças.
Mateus 9.35 BSC

Este verso é quase igual ao de 4.23. Os dois versos servem de moldura para o início do ministério de Cristo e assim descrevem a natureza do que ele faz. Ele ensina e proclama (capítulos 5-7) e cura (capítulos 8-9).

Na conclusão desta parte do evangelho, logo após o verso acima, Jesus manda os discípulos orarem para que Deus envie mais trabalhadores para o campo. No capítulo 10 ele envia seus próprios discípulos. (Não se deve orar por algo que não estiver disposto a fazer.)

Jesus os envia a fazer exatamente o que ele tinha feito: curar e pregar. Embora haja limitações dentro dessa verdade, para eles, geográficas (eles vão primeiro somente na região da Galileia) e, para nós, ministeriais (não podemos mais operar milagres), o princípio vale tanto para a mensagem (“tudo o que tenho ordenado”, 28.19) como para a prática e no desempenho da missão.

O que Jesus fez, façamos nós também. O que Jesus ensinou, ensinemos nós também.

O trabalhador de uma só ferramenta

Problema único e solução única!

problema pecadoO martelo de unha tem um uso singular: bater o prego. O psicólogo americano, Abraham Maslow, disse que se você tem só um martelo, todo problema parece um prego. Esta é, no bom sentido, exatamente a situação do cristão.

Jesus lhe disse: “Deixe que os mortos sepultem os seus próprios mortos; você, porém, vá e proclame o Reino de Deus”.
Lucas 9.60 NVI

Jesus não quer voluntários que oferecem seus serviços (versos 57-58). Ele não aceita pessoas de compromisso dividido (versos 61-62). Tampouco permite entrar no serviço gente que não enxerga o verdadeiro serviço do Reino, o de proclamação (versos 59-60).

Pois a tarefa de Jesus é singular: proclamar o reino de Deus. O problema é único: o pecado. E o cristão tem uma única ferramenta na sua caixa, o evangelho. Pois esta, e nenhuma outra, resolve.

 

Sem ajuda dos gentios

pois foi por causa do Nome que eles saíram, sem receber ajuda alguma dos gentios.
3 João 7

Tem sido prática saudável dos irmãos não pedir, nos programas na mídia, ajuda dos ouvintes, pois consideram inapropriado custeá-los pelas doações dos que estão sendo evangelizados. Continue lendo “Sem ajuda dos gentios”

Linguagem mutante

(Antigamente em Israel, quando alguém ia consultar a Deus, dizia: “Vamos ao vidente”, pois o profeta de hoje era chamado vidente.) 1 Samuel 9.9

O autor desse livro explica a mudança nos termos usados para profeta entre a época de Saul e a sua, em que escreve sua história. Continue lendo “Linguagem mutante”