Jesus interpreta

Lucas 24.44-45: A Bíblia é sua própria interpretação da história.

E disse-lhes: “Foi isso que eu lhes falei enquanto ainda estava com vocês: Era necessário que se cumprisse tudo o que a meu respeito está escrito na Lei de Moisés, nos Profetas e nos Salmos”.
Então lhes abriu o entendimento, para que pudessem compreender as Escrituras. Lucas 24.44-45

Desenvolveu-se toda uma ciência para interpretar as Escrituras. É bom que tenhamos ferramentas para entender melhor a Bíblia. Nunca devemos nos esquecer, porém, que a própria palavra de Deus já é uma interpretação divina e sagrada dos eventos dentro da história. Na sua sabedoria infinita, Deus não nos deu um livro de teologia, filosofia ou sociologia. Deus não escreveu um volume de princípios abstratos. Ele nos conta a sua história. Continue lendo “Jesus interpreta”

Esta é só a sua interpretação (errada)!

Jesus não permite qualquer interpretação da Bíblia.

Para justificar seu erro, muita gente gosta de pensar na Bíblia como uma obra que permite um leque de diversas interpretações. Na hora em que veem evidência que contraria sua opinião, soltam a frase: “Mas esta é só a sua interpretação”.

Quando alguns fariseus viram aquilo, disseram a Jesus: —Veja! Os seus discípulos estão fazendo uma coisa que a nossa Lei proíbe fazer no sábado!
Mateus 12.2 NTLH

Seguindo esta acusação com dois exemplos das Escrituras (Davi e os sacerdotes) e mais uma citação sobre as prioridades divinas (misericórdia acima do sacrifício), o Senhor Jesus demonstra que a interpretação que os fariseus faziam da lei estava errada.

Seja por tradição, como no caso dos fariseus, seja por inovação, que é muito o caso de hoje, as pessoas fazem suas próprias interpretações erradas da Bíblia. Só que Cristo mostra que a Palavra de Deus não é suscetível a uma variedade de intepretações. Ou está errado, ou está certo.

Temos de estar na mesma página quanto ao entendimento da mensagem das Escrituras.

Como saber? O Senhor já deu uma dica nesta narrativa: estudar tudo o que a Bíblia tem a dizer sobre o assunto, sem se apoiar em um único texto e sem fugir do texto sagrado.

Porque o Filho do homem até da interpretação é Senhor.