Julgando por si mesmos

É necessário julgar corretamente—especialmente em relação a Jesus.

“Por que vocês não julgam por si mesmos o que é justo?
Lucas 12.57

O ser humano foi criado para raciocinar e chegar a conclusões válidas, baseadas nas evidências que ele acumula. O Senhor Jesus repreendeu as pessoas do seu dia por não julgar corretamente. Elas deviam usar esta função divinamente concedida, ao invés de usar um raciocínio errôneo, especialmente em relação ao próprio Jesus, João 7.24. Continue lendo “Julgando por si mesmos”

A história continua

Atos 1.1-2: Jesus continua a agir e a ensinar por meio da igreja.

Em meu livro anterior, Teófilo, escrevi a respeito de tudo o que Jesus começou a fazer e a ensinar, até o dia em que foi elevado aos céus, depois de ter dado instruções por meio do Espírito Santo aos apóstolos que havia escolhido. Atos 1.1-2

Lucas começa o livro de Atos assim. Ele ressalta a conexão íntima entre a vida e obra de Jesus e a vida e obra da igreja. O que Jesus começou a fazer e a ensinar ele continua a fazer por meio da igreja. Seu segundo livro flui naturalmente do primeiro, pois é uma extensão do mesmo assunto. Continue lendo “A história continua”

Jesus em pé

Atos 7.55-56: À direita de Deus Jesus fica sentado. Por que se pôs em pé?

Mas Estêvão, cheio do Espírito Santo, levantou os olhos para o céu e viu a glória de Deus, e Jesus em pé, à direita de Deus, e disse: “Vejo os céus abertos e o Filho do homem em pé, à direita de Deus”. Atos 7.55-56

O sermão de Estêvão foi uma grande acusação contra os judeus. Ele os acusou de resistência ao Espírito Santo e recusa de obedecer a Lei. Ele pregou assim porque estava cheio do Espírito Santo. (Engana-se redondamente quem pensa que o evangelho fala só de graça e amor.) Os judeus confirmaram as palavras de condenação de Estêvão pela sua reação, v. 54.

Neste exato momento, abriu-se para ele uma visão celestial. No centro da visão, Jesus ficava em pé. Continue lendo “Jesus em pé”

Autor da salvação gloriosa

Hebreus 2.10: O plano de Deus é bem descrito nesses termos.

Ao levar muitos filhos à glória, convinha que Deus, por causa de quem e por meio de quem tudo existe, tornasse perfeito, mediante o sofrimento, o autor da salvação deles. Hebreus 2.10

O Novo Testamento utiliza muitas maneiras de descrever o objetivo de Deus ao prosseguir com seu plano de redenção. Uma das frases mais belas é levar muitos filhos à glória. Um autor chamou este verso “a afirmação fundamental” do livro de Hebreus (NCBC). Continue lendo “Autor da salvação gloriosa”

Vemos Jesus

Hebreus 2.8-9: Devemos ver Jesus como o Salvador.

Ao lhe sujeitar todas as coisas, nada deixou que não lhe estivesse sujeito. Agora, porém, ainda não vemos que todas as coisas lhe estejam sujeitas. Vemos, todavia, aquele que por um pouco foi feito menor do que os anjos, Jesus, coroado de honra e de glória por ter sofrido a morte, para que, pela graça de Deus, em favor de todos, experimentasse a morte. Hebreus 2.8-9

O escritor de Hebreus acaba de citar Salmo 8 para aplicá-lo a Jesus. A mensagem do Senhor trata de “tão grande salvação” e merece toda a nossa atenção, 2.1-4. Agora, ele explica por que foi necessário Jesus se tornar menor do que os anjos por um tempo, 2.5-18. Continue lendo “Vemos Jesus”

Reino espiritual

João 18.36: O reino de Cristo não é deste mundo.

Disse Jesus: “O meu Reino não é deste mundo. Se fosse, os meus servos lutariam para impedir que os judeus me prendessem. Mas agora o meu Reino não é daqui”. João 18.36

No Antigo Testamento, quando Israel era o povo de Deus, a manifestação do reino de Deus na terra era física e terrena. Ao povo foi dada a terra de Canaã, com fronteiras e divisas estabelecidas. Muitas promessas que o Senhor tinha feito ao povo eram materiais. Havia um rei, um governo, uma cidade (Jerusalém) como capital e leis que determinavam como viver como cidadãos. A identidade do povo dependeu da descendência da parte de Abraão. Continue lendo “Reino espiritual”

Ouçam-no em tudo

Atos 2.22-23: Moisés falou do grande profeta como ele.

Pois disse Moisés: ‘O Senhor Deus lhes levantará dentre seus irmãos um profeta como eu; ouçam-no em tudo o que ele lhes disser. Quem não ouvir esse profeta, será eliminado do meio do seu povo’. Atos 3.22-23

Jesus não apareceu na terra de repente, sem aviso prévio. Ele veio ao mundo em meio a grandes expectativas da parte do povo de Israel, numa era de profundas turbulências sociais. Os judeus estavam o esperando. Isso porque todo o Antigo Testamento falava a respeito do Escolhido de Deus que viria. Continue lendo “Ouçam-no em tudo”

Ensinava com autoridade

Mateus 7.28-29: A razão porque Jesus ensinou com autoridade.

Quando Jesus acabou de dizer essas coisas, as multidões estavam maravilhadas com o seu ensino, porque ele as ensinava como quem tem autoridade, e não como os mestres da lei. Mateus 7.28-29

Jesus ensinava exatamente o que seu Pai lhe mandou dizer, João 12.49-50. Seu ensinamento não representava conclusões humanas e citações acadêmicas. Falava com segurança. Não oferecia listas de possíveis interpretações. Continue lendo “Ensinava com autoridade”

Ele verá sua prole

Isaías 53.10: Profecia sobre Jesus vê perdão e povo dele.

Contudo, foi da vontade do Senhor esmagá-lo e fazê-lo sofrer, e, embora o Senhor tenha feito da vida dele uma oferta pela culpa, ele verá sua prole e prolongará seus dias, e a vontade do Senhor prosperará em sua mão. Isaías 53.10

Isaías fala do servo sofredor em termos do povo de Israel, do remanescente e finalmente duma única pessoa. Ele vai afunilando a identificação do servo até chegar no capítulo 53. Neste capítulo ele revela detalhes de como o servo sofreria pelos pecados dos outros.

Esta vontade do Senhor é o seu “plano perfeito” (NBV). Fazer o servo sofrer estava de acordo com o plano divino. Em todo momento, Deus está em controle do desenrolar dos eventos. Continue lendo “Ele verá sua prole”

Primeiro e Último

Apocalipse 1.17-18: Jesus usa seu direito para dar-nos vida.

Quando o vi, caí aos seus pés como morto. Então ele colocou sua mão direita sobre mim e disse: “Não tenha medo. Eu sou o Primeiro e o Último. Sou Aquele que Vive. Estive morto mas agora estou vivo para todo o sempre! E tenho as chaves da morte e do Hades”. Apocalipse 1.17-18

Estas são algumas das primeiras palavras do Senhor Jesus ao apóstolo João quando no dia do Senhor este se achava no Espírito. João já tinha registrado uma palavra de Deus Pai, que ele era o Alfa e o Ômega, no verso 8. Alfa é a primeira letra do alfabeto grego, ômega, a última. Continue lendo “Primeiro e Último”