Por esta razão nasci

João 18.37: Jesus veio à terra com propósito de vida já estabelecido.

Em algumas sociedades, um recém-nascido não recebe nome até crescer, para ver que tipo de pessoa será. O nome dado reflete o caráter da criança.

Jesus não somente tinha nome antes de nascer, mas tinha também uma razão de nascer, que precedeu sua vinda. Os judeus o entregaram ao governador Pilatos para receber condenação. Na conversa entre os dois, Jesus revela quem é e o que veio realizar. Continue lendo “Por esta razão nasci”

Jesus espanta o medo

João 6.19-20: Jesus acalma mar, vento e mente perturbada.

Estava escuro já. O vento batia forte e o seu som devia dificultar qualquer conversa. As águas estavam agitadas. Os discípulos remavam fazia tempo. Quando Jesus aparece andando por sobre as águas, não o reconhecem. Pensam que seja fantasma. Continue lendo “Jesus espanta o medo”

Você já viu um anjo? Nem eu. Mas já segui Jesus.

Logo uma entidade dessa alimenta a obsessão popular por anjos.

Hoje mesmo, no Twitter, uma sociedade bíblica — logo uma entidade dessa! — perguntou aos seguidores se alguém já tinha visto um anjo. Pedia que se enviasse relato de supostos encontros com anjos. Continue lendo “Você já viu um anjo? Nem eu. Mas já segui Jesus.”

Saiba de onde veio e para onde vai

João 8.14: Seguindo Jesus, o homem sabe muito mais.

Às vezes, quando saem os filhos os pais cristãos lhes dizem: “Lembrem-se de quem vocês são”. Querem que o conhecimento de Cristo determine a conduta dos filhos quando estes estão longe de casa. Continue lendo “Saiba de onde veio e para onde vai”

Do coração para a boca

Lucas 6.45: O coração é completa dedicação; a boca é o ensino.

Fala-se muito em ser uma pessoa do bem. O mundo, porém, tem pouca ideia do que significa ser boa pessoa. É mais do que bons modos. Algumas das pessoas mais ímpias são, nos tratos com elas, muito agradáveis. Continue lendo “Do coração para a boca”

A boa organização permite a realização eficaz

Lucas 9.14: Mesmo fazendo milagres, Jesus organizou as pessoas para efeito máximo.

Deus é Deus de ordem e não bagunça. Pela ordem as pessoas são servidas e as necessidades supridas. Jesus reconheceu e lançou mão da boa organização no seu ministério. Continue lendo “A boa organização permite a realização eficaz”

Busquem e recebam

Podemos achar porque Deus dá.

Geralmente, associamos o verbo “achar” com o imperativo: “busquem”. E está certo, pois o próprio Jesus disse: “Busquem e acharão”. Mas não nos esqueçamos de outro termo associado.

Portanto, busquem o Reino dele, e Deus dará a vocês essas coisas em acréscimo. Não tenha medo, pequeno rebanho, porque o Pai de vocês tem prazer em dar-lhes o Reino.
Lucas 12.31-32 EP

Podemos “achar” o reino e podemos ter as necessidades da vida porque Deus tem prazer em nos dar.

A natureza da nossa busca, portanto, é a de receber do Pai. Nós não a definimos, não escolhemos o que, entre tudo o que ele nos oferece, queremos, não barganhamos.

A nossa busca é a busca de receber.

Interessante, não?

Jesus nunca faria uma coisa dessa

Jesus bateu nos cambistas?

falsas ideias sobre JesusImagine minha surpresa quando, pela segunda vez em pouco tempo, ouvi que eu estava de mudança para outra cidade. Uma vez, espalhou-se o boato que eu tinha abandonado a igreja do Senhor para entrar numa denominação. Provavelmente, pessoas já pensaram coisas erradas a seu respeito também. As pessoas formam impressões falsas dos outros, tem uma imagem dos outros bem diferentes da realidade.

Com as expectativas messiânicas dos judeus, Jesus foi especialmente sujeito a imagens falsas no seu dia. E hoje também criamos nossa própria ideia de quem era Jesus.

Então ele fez um chicote de cordas e expulsou todos do templo, bem como as ovelhas e os bois; espalhou as moedas dos cambistas e virou as suas mesas.
João 2.15 NVI

Ao lerem este verso sobre a expulsão dos cambistas do templo por Jesus, as pessoas não querem acreditar que Jesus teria cometido um ato de violência com seres humanos. Será que Jesus realmente bateu nas pessoas? perguntam. É óbvio que ele não estava usando o chicote para pular cordas. Claro que Jesus o usou para botar os cambistas a correr!

O problema de não enxergar isso no verso é a imagem que se tem de Jesus. Ele nunca faria uma coisa dessa, dizem. Jesus era meigo e pacato, nunca levantou a voz, nunca deixou de sorrir e passar a mão nas criancinhas.

É hora de ler a Bíblia e deixar o próprio Jesus definir quem é e o que faz.

Porque o Jesus da Bíblia é bem diferente daquele do nosso achismo.

Jesus segue as multidões?

“Quando todo o povo estava sendo batizado, também Jesus  o foi”. Lucas 3.21a

À primeira vista, poderia pensar, lendo as palavras de Lucas acima, que o Senhor Jesus seguia a multidão, já que todos estavam sendo imersos. Mas Lucas apenas registra um fato, e não revela uma motivação.

De fato, Cristo fez o que todos faziam, mas com uma diferença significativa. Eles, supostamente, procuravam o batismo de João para mostrar arrependimento e receber o perdão dos pecados, mas Jesus pediu o batismo porque seu Pai o ordenara. Embora não precisasse pessoalmente do batismo, ele queria fazer o certo em todo momento. Continue lendo “Jesus segue as multidões?”

José e Maria eram pobres

Os pais de Jesus eram pobres, pelo que tudo indica. Um indício disso vem de Lucas 2.22-24, parte do nosso roteiro de leitura bíblica:

Completando-se o tempo da purificação deles, de acordo com a Lei de Moisés, José e Maria o levaram a Jerusalém para apresentá-lo ao Senhor (como está escrito na Lei do Senhor: “Todo primogênito do sexo masculino será consagrado ao Senhor”) e para oferecer um sacrifício, de acordo com o que diz a Lei do Senhor: “duas rolinhas ou dois pombinhos”.

Pessoas que não tiveram condições econômicas de comprar um cordeiro, deviam levar os pássaros (Levítico 12.8). Então, o texto acima parece indicar que José e Maria teria tido dificuldade para apresentar a oferta mais cara. Continue lendo “José e Maria eram pobres”