Creia que pode amar como Deus ama

Mateus 5.48: Que o amor abrangente do Pai seja também o nosso.

Andrew Murray orou assim: “Ensine-nos a crer que podemos amar, porque o Espírito Santo nos foi dado”.

Não acreditamos que podemos amar como Deus amou. Duvidamos que nosso amor pode ser como o amor de Cristo. Descartamos a possibilidade do cumprimento deste mandamento de Cristo: Continue lendo “Creia que pode amar como Deus ama”

Feliz o de pensamento puro

Mateus 5.8: Será que sabemos o que este verso significa?

Conhecemos bem o verso bíblico, no início do sermão do monte, dito por Jesus, que fazem parte das bem-aventuranças:

Bem-aventurados os puros de coração, pois verão a Deus.
Mateus 5.8 NVI

Agora, lembremos que o sentido bíblico da palavra coração é diferente do uso moderno. Por isso, uma versão traduz assim: Continue lendo “Feliz o de pensamento puro”

‘Sem o Pai de vocês’: a Deus nada escapa

Mateus 10.29: A Deus nada escapa.

A mente humana, por mais impressionante que seja, é limitadíssima. Em anos recentes começou-se a procurar entendê-la melhor e afirma-se frequentemente como ela tem uma capacidade enorme e subutilizada. Mas como nos deixamos distrair! Como a mente esquece! Como tantas coisas a escapam! Continue lendo “‘Sem o Pai de vocês’: a Deus nada escapa”

O agrado de Deus

Mateus 11.26: Uma oração, uma ação de graças, uma visão clara de Deus.

Em todo momento Deus demonstra seu caráter e revela sua benevolência para os homens. Temos de parar de olhar para o mundo e julgar Deus pelo que as pessoas fazem. Como podemos pensar mal de Deus quando ele não é o culpado pelas decisões das pessoas? Continue lendo “O agrado de Deus”