Um corpo para oferecer

Cristo recebeu um corpo para oferecer. Nós também.

oferecer corpoQuando olhamos no espelho, vamos logo às partes que achamos imperfeitas, que nos impedem de ter corpo ideal. Nariz muito grande. Orelhas que nem bandeiras. Queixo pequeno. Quadris muito amplos. Sempre tem algo que é muito pequeno, muito grande, muito comprido, muito curto.

Por mais que nossas características físicas nos desagradem, nossos corpos são ofertas perfeitas para o Senhor.

Quando nós entramos no reino de Deus, ele nos deu os corpos como o primeiro instrumento do bem eterno. Da mesma forma como fez pelo seu Filho Jesus Cristo.

Por esse motivo, ao entrar no mundo, Cristo disse: “Tu não quiseste sacrifício e oferta. Em vez disso, tu me deste um corpo”.
Hebreus 10.5 EP

Por isso é que afirma a Bíblia de estudo da NLT: “Deus tinha preparado o salmista para ser obediente, pronto para fazer a vontade de Deus. A carta aos Hebreus agora aplica esta ideia a Cristo. Para o autor da carta, a preparação de um corpo humano, especificamente o corpo de Cristo, mostra que Deus o usaria como um sacrifício superior”.

E Deus “preparou”, ou determinou, que nossos corpos serão oferecidos neste mundo conforme a sua vontade, para nossa salvação eterna e para a salvação de muitos.

Com este conhecimento, passagens como Romanos 12.1 adquirem novo significado. E o espelho oferece um ângulo diferente.

Minha vida sem valor

O importante não é preservar a todo custo a vida física.

Quando a igreja tiver homens e mulheres que fazem essa afirmação do apóstolo Paulo—e vivem de acordo dela, haverá grandes avanços no reino de Deus:

Mas eu não dou valor à minha própria vida. O importante é que eu complete a minha missão e termine o trabalho que o Senhor Jesus me deu para fazer. E a missão é esta: anunciar a boa notícia da graça de Deus.
Atos 20.24 NTLH

Há algo mais importante do que a vida física. Investir na eternidade é o valor supremo. A obra de Deus merece todo o nosso esforço, toda a nossa dedicação, mesmo às custas da própria vida.

Se Cristo entregou a sua vida para o projeto do Pai, poderemos fazer menos?

Deus da minha salvação, a sua justiça vem primeiro, acima da própria vida física. Fazer a sua vontade e anunciar o evangelho é tudo para mim. Porque foi assim para meu Senhor Jesus. Amém.

Segure este pensamento: Para o evangelho, todo esforço é pouco.

Desprezam a autoridade

Aprenda uma das características do falso mestre.

Respeitar autoridadeUma marca do falso mestre é a falta de respeito por autoridade. Pois como pessoa rebelde ele tem que destruir a autoridade constituída para se impor.

(…) desprezam a autoridade. Insolentes e arrogantes, tais homens não têm medo de difamar os seres celestiais; contudo, nem os anjos, embora sendo maiores em força e poder, fazem acusações injuriosas contra aqueles seres na presença do Senhor.
2 Pedro 2.10b-11 NVI

O falso mestre ousa fazer o que nem anjos fazem. E se ele fala mal dos seres celestiais, quanto mais dos homens que Deus colocou para exercer autoridade? Sem falar no desprezo que demonstra para com a própria palavra de Deus.

Tanto no Antigo Testamento, como no Novo, o povo de Deus respeita as autoridades. “Meu filho, tema a Deus, o SENHOR, e respeite as autoridades. Não se envolva com as pessoas que se revoltam contra eles” (Provérbios 24.21 NTLH). O próprio Pedro escreveu na sua primeira carta: “Respeitem todas as pessoas, amem os seus irmãos na fé, temam a Deus e respeitem o Imperador” (1 Pedro 2.17 NTLH).

O falso mestre fala de maneira suave, mas deixará escapar num momento ou outro sua rebeldia contra qualquer um, homem, anjo ou Deus, que incomoda sua libertinagem.

Não pode ser assim

Seja coerente. Ou então …

coerênciaFaz diferença como nos portamos no mundo? Como agimos e falamos?  Será que a graça de Deus vai resolver tudo ou precisamos dar atenção aos detalhes da fé?

Meus irmãos, não pode ser assim!
Tiago 3.10b NVI

Tiago não admite que o cristão seja incoerente. É um estado inaceitável para Deus. Deus é luz e nele não há trevas (1 João 1.5). Como pode então seu filho permitir uma mistura do bem e do mal, do louvor a Deus e da maldição do próximo?

Muitos cristãos são como uma facção dos antigos gnósticos, que acreditavam que o corpo era mau por natureza, então, o espírito bom podia ignorá-lo, deixá-lo fazer qualquer coisa. Assim, entregavam seus corpos à imoralidade. Muitos cristãos acham que as palavras não valham nada, que se possa jogá-las fora, e possam portanto falar qualquer coisa.

Para Deus, a palavra é um ato. Nossas palavras serão julgadas, bem como as ações. Jesus disse: “Eu afirmo a vocês que, no Dia do Juízo, cada pessoa vai prestar contas de toda palavra inútil que falou” (Mateus 12.36 NTLH). Parece uma coisa que não faz diferença? Faz, e como faz!

Pai, dê-me a sua luz, para que as trevas não venham a me dominar, para que eu seja coerente nas palavras e nas ações. Que eu dê atenção a cada área da minha fé. Porque Cristo morreu por mim. Amém.

Um pecado leva a outro

Impossível cometer um só.

PecadoUm único pecado não fica só, mas leva a outro. E a mais outro. Como os religiosos judeus. A inveja levou ao homicídio, o que levou por sua vez à soltura de um rebelde e assassino.

Mas os chefes dos sacerdotes atiçaram o povo para que pedisse a Pilatos que, em vez de soltar Jesus, ele soltasse Barrabás.
Marcos 15.11 NTLH

Saiba que um pecado, por menor que pareça, abre a porta para ainda mais iniquidade tomar conta da pessoa.

A infidelidade leva à mentira e à destruição do lar. Ou, no caso, do rei Davi, ao homicídio.

A ganância leva ao prejuízo ao próximo e à idolatria.

O vício leva ao roubo e à violência.

Seja um pecado ou vários, todos levam ainda às consequências: a destruição dos relacionamentos e a separação de Deus, agora e eternamente.

O que é que você estava pensando em fazer?

Pai, impeça-me de sair da segurança da sua santidade. Que eu não tome nem o primeiro passo em direção à transgressão. Pelo teu santo Filho Jesus. Amém.

 

Jesus observador

A oferta da viúva tem mais do que pensamos.

amor a DeusComo de costume, Jesus foi até o templo em Jerusalém para ensinar. Talvez em momento de descanso—pois todo professor tem de tomar uma água—ele ficou observando.

Jesus estava sentado perto da caixa de contribuições do templo e observava como as pessoas punham seu dinheiro nela. Muitos ricos depositavam grandes quantias.
Marcos 12.41 VFL

No evangelho de Marcos, Jesus aponta a viúva pobre como exemplo do primeiro mandamento, sobre o qual ele tinha ensinado fazia poucas horas (versos 26-31).

Ela deu dois lepton, uma moeda de pouquíssimo valor, cunhada de forma rude e com estampa quase sempre irregular. Ela só tinha dois, e deu os dois. Ela fez o que o jovem rico recusou a fazer (10.21).

A viúva faz contraste com os religiosos devoradores das “casas das viúvas” (verso 40). Ela é o rosto daquelas pessoas desprotegidas que Jesus libertava quando purificava o templo (11.15-19).

Jesus me observa também. Ele sabe, e perante o Pai comenta, se amo a Deus ou o louvor dos outros. Sabe se a religião é para mim meio de lucro ou a verdadeira busca de Deus. Sabe se estou lavrando a vinha para dar fruto ao Senhor ou se estou tramando para eu ficar com tudo (12.1-12).

Pai, o que tenho é pouco, mas ofereço ao Senhor, de quem vem todas as coisas boas desta vida, e de quem recebemos a ressurreição da vida para a eternidade. O Senhor me vê o que ninguém percebe. Amém.

Um toque especial

Jesus nos convida a tocá-lo.

Jesus acolheNas ruas das grandes cidades, nos ônibus e metrôs, em festas e outros lugares onde há muita gente, sentimos o toque das pessoas sem dar importância a elas. Foi assim com Jesus também, cercado constantemente por multidões, pressionado por todos os lados por gente que queria vê-lo, ouvi-lo e pedir-lhe algum benefício. Mas houve um momento …

Responderam os seus discípulos: “Vês a multidão aglomerada ao teu redor e ainda perguntas: ‘Quem tocou em mim?'”
Marcos 5.30 NVI

Jesus sentiu um toque diferente. Um toque da fé, da necessidade, do desespero, do esforço máximo. Um toque receptivo a seu poder. E no meio de tanta gente, chama atenção para este toque. Para esta mulher.

Na verdade, o Senhor não só chama atenção dos outros para ela, como chama ela para que não sinta nunca nenhum remorso pelo que fez. Pelo contrário, Jesus queria que ela fizesse isso. Ele estava presente para injetar na vida a esperança e a fé.

Além de fazer para ela a bênção da cura, ele ainda lhe faz outra: ele a puxa do meio da multidão para ela contar sua história, ouvir que sua fé a curou, saber que, mesmo ocupado, o Senhor tem tempo para os pequeninos.

E também para mim.

Pensando bem, quem tem um toque especial é Jesus.

 

Eu me recuso a rejeitar a graça de Deus

Se eu sou bom, por que preciso de Cristo?

Temos duas opções: ou provamos a Deus a nossa própria bondade, ou aceitamos a graça de Deus por meio da fidelidade de Cristo. A bondade própria é uma ficção adotada por muitos.

Eu me recuso a rejeitar a graça de Deus. Pois, se é por meio da lei que as pessoas são aceitas por Deus, então a morte de Cristo não adiantou nada!
Gálatas 2.21 NTLH

A briga que Paulo compra na carta aos Gálatas é esta. Gente queria usar a Lei de Moisés como meio de estabelecer a justiça própria. Pela lei diziam poder ser corretos perante Deus. Insistiam com os cristãos que o caminho para chegar a Deus fosse pela lei, porque tornaram a lei num sistema de obras de mérito.

Paulo nega categoricamente esta possibilidade. Tal ficção nega a necessidade da morte de Cristo.

Talvez poucos usem a Lei de Moisés hoje, mas usam outros sistemas de obras de mérito para se declararem bons e para se recomendarem a Deus. Por isso, a carta aos Gálatas continua atual, mais ainda hoje, se isso é possível.

Pois uma das maiores barreiras ao evangelho é o pensamento que a bondade própria descarta a necessidade do sangue purificador de Cristo.

Pegaram o dinheiro

Você tem preço?

Amor dinheiroCada homem tem seu preço. Assim diz o cínico. E há bastante pessoas como os soldados no sepulcro de Cristo que lhe dá motivos para sua afirmação.

Os soldados pegaram o dinheiro e fizeram o que os chefes dos sacerdotes tinham mandado.
Mateus 28.15 NTLH

Os guardas do sepulcro tinham visto um anjo aterrorizante. Souberam da ressurreição do Crucificado. Viram de perto o poder de Deus.

Mesmo assim, aceitaram o suborno e mentiram sobre os fatos.

Ao longo do seu evangelho, Mateus fala muito em dinheiro. No Sermão do Monte, cita as palavras de Jesus: “Vocês não podem servir a Deus e também servir ao dinheiro” (Mateus 6.24b).

Pois quem serve o dinheiro tem preço.