Máximo, maravilha

Não sabemos como nos maravilhar.

DeusUsamos hoje os superlativos para tudo. Praticamente tudo é o “máximo” ou uma “maravilha”. Mas quando tudo é o máximo, nada o é.

Portanto, já que estamos recebendo um Reino inabalável, sejamos agradecidos e, assim, adoremos a Deus de modo aceitável, com reverência e temor, pois o nosso “Deus é fogo consumidor! ”
Hebreus 12.28-29 NVI

Para nós Deus é o paizinho no céu ao invés de fogo consumidor. Nossa visão dele assemelha mais um ursinho de pelúcia do que o Deus único que inspira reverência e temor. Nosso deus arranca aplausos ao invés de cairmos como mortos no chão.

Desconhecemos o Deus que cria com uma palavra, que planeja desde a eternidade e entrega-nos um Reino inabalável, que destroi com um sopro da sua boca, que exige uma adoração aceitável, que se revela como Deus vivo que realiza mais do que podemos pensar ou imaginar.

Este é o Deus que deseja ser conhecido pelas suas criaturas.