Praticar o que aprender

Filipenses 4.9: Primeiro, aprender, para saber como praticar.

“Ponham em prática tudo o que vocês aprenderam, receberam, ouviram e viram em mim. E o Deus da paz estará com vocês”.
Filipenses 4.9

É impossível praticar sem aprender o que fazer. Não se pode agir corretamente quando é ensinado de forma errada. Para Deus estar conosco, é preciso, antes de mais nada, aprender a verdade para depois praticá-la.

Muitos enfatizam hoje o fazer. Este é o valor máximo do pós-modernismo. O importante, dizem, é fazer algo por Deus, não importa o quê. Dizem que a ortodoxia (doutrina correta) é menos importante do que a ortopraxia (prática). Na verdade, é impossível ter uma coisa sem a outra.

Tem gente, por exemplo, que considera qualquer tipo de batismo válido, seja imersão ou não, seja para adulto arrependido ou não, seja para o perdão dos pecados ou não. Pelo menos, fizeram algo.

Mas o batismo não é um sacramento, com eficácia sem a compreensão da pessoa que o recebe. Sem a instrução correta, não há nenhum batismo aceitável a Deus.

A sequência acima é importante: primeiro, aprender, receber, ouvir. Depois, observar a verdade do evangelho nos outros que vivem de maneira exemplar: ver. Isto para obedecer às verdades divinas na própria vida: praticar. E, no final, teremos Deus conosco, o Deus da paz.

Continue lendo “Praticar o que aprender”

Conforme a ordem

Deus age quando o homem obedece.

Assim ele desceu ao Jordão, mergulhou sete vezes conforme a ordem do homem de Deus e foi purificado; sua pele tornou-se como a de uma criança.
2 Reis 5.14

Ao ouvir a ordem do profeta Eliseu, Naamã, o comandante do exército sírio, recusou a obedecer. Somente quando ele resolveu se submeter à ordem de mergulhar-se sete vezes no rio Jordão foi ele curado da sua lepra. Continue lendo “Conforme a ordem”

Que devo fazer?

Uma boa pergunta, e uma ótima resposta.

Assim perguntei: Que devo fazer, Senhor? Disse o Senhor: ‘Levante-se, entre em Damasco, onde lhe será dito o que você deve fazer’. Atos 22.10

Saulo, o perseguidor, viu o Senhor Jesus a caminho de prender cristãos na cidade de Damasco. Quando percebeu quem era o Senhor, ele fez uma pergunta de grande importância: Que devo fazer? Mas o plano de Deus determinou que os cristãos deveriam proclamar os termos do evangelho. Mesmo Jesus o respeitou. Alguns dias depois, um homem enviado pelo Senhor diria a Saulo o que fazer para ser salvo. Continue lendo “Que devo fazer?”

Jamais verá a morte

João 8.51: O mandamento é simples e a promessa, firme.

Asseguro-lhes que, se alguém obedecer à minha palavra, jamais verá a morte”. João 8.51

Os judeus não podiam aceitar essa declaração de Jesus, pois eram desobedientes à vontade de Deus. Assim, não pertenciam a Deus, v. 47. Entenderam corretamente que tal promessa como Jesus fez acima podia vir somente de alguém maior do que Abraão. Continue lendo “Jamais verá a morte”

Os sábios aceitam

Provérbios 10.8: Façamos como Jesus, aceitando os mandamentos.

Os sábios de coração aceitam mandamentos, mas a boca do insensato o leva à ruína. Provérbios 10.8

Jesus veio à terra a fim de fazer a vontade do Pai, Hebreus 10.7. Ele aprendeu a obediência, Hebreus 5.8. Como o Filho obediente, ele “tornou-se a fonte da salvação eterna para todos os que lhe obedecem” Hebreus 5.9. Continue lendo “Os sábios aceitam”

‘Para cumprir toda a justiça’

Mateus 3.15: Jesus não questionou nenhum mandamento do Pai.

Respondeu Jesus: “Deixe assim por enquanto; convém que assim façamos, para cumprir toda a justiça”. E João concordou.
Mateus 3.15

Jesus não tinha pecado que devia confessar ou pelo qual devia receber o perdão. João batizava as pessoas que se arrependiam dos pecados. Ele reconhecia que o Senhor não tinha pecado e não tinha necessidade da imersão na água. Protestou quando Jesus se apresentou para o batismo. É compreensível seu protesto e ele tinha certa razão. Continue lendo “‘Para cumprir toda a justiça’”

Para ver a glória do Pai

Romanos 6.4: Na vida obediente a glória de Deus aparece.

Portanto, fomos sepultados com ele na morte por meio do batismo, a fim de que, assim como Cristo foi ressuscitado dos mortos mediante a glória do Pai, também nós vivamos uma vida nova.
Romanos 6.4

A glória de Deus se manifesta quando obedecemos à sua vontade. Há uma ligação entre a obediência ao mandamento de Deus e a manifestação da sua glória. Continue lendo “Para ver a glória do Pai”

Quem é o povo de Deus? Estêvão responde

Atos 7.53: Como identificar o povo verdadeiro de Deus.

O sermão de Estêvão serve não somente como momento em que se desencadeia uma grande perseguição contra a igreja em Jerusalém, Atos 8.1, mas também como marco, no livro de Atos, que leva o evangelho aos gentios. Isso porque Estêvão mostra, pela história dos judeus, a rejeição do plano de Deus por eles e a verdadeira natureza do povo de Deus.

A última frase dele, depois de afirmar que eles tinha matado o Justo, é instrutiva: Continue lendo “Quem é o povo de Deus? Estêvão responde”

O que significa buscar a Deus

2 Crônicas 17.3-4: Josafá ilumina o significado da frase.

De certa forma, a frase: “buscar a Deus”, está aberta a interpretação variada, se não estamos bem informados pela própria Escritura Sagrada. O autor das Crônicas relata o que significa esse conceito, ao olhar a vida do rei Josafá, de Judá.

O Senhor esteve com Josafá porque, em seus primeiros anos, ele andou nos caminhos que seu predecessor Davi tinha seguido. Não consultou os baalins, mas buscou o Deus de seu pai e obedeceu aos seus mandamentos, e não imitou as práticas de Israel.
2 Crônicas 17.3-4

  1. Ele andou nos caminhos do rei Davi. Buscar a Deus significa seguir bons exemplos de pessoas que já o fizeram.
  2. Ele não consultou os baalins (falsos deuses), nem imitou as práticas injustas e imorais de Israel. Buscar a Deus significa rejeitar a idolatria e a imoralidade.
  3. Ele obedeceu aos mandamentos de Deus. Buscar a Deus significa conhecer e obedecer aos mandamentos divinos.

Uma análise do Novo Testamento mostra que os mesmos passos valem para os que querem buscar a Deus sob a nova aliança de Cristo. Não vivemos na era da lei de Moisés, mas a busca de Deus supera as ordenanças da velha aliança, fazendo com que o exemplo de Josafá continua válido para nossos dias.

Para maiores detalhes, ver “Alguns minutos com alguém que te ama“.

Um pacote só

Gálatas 5.3: Se abraça uma parte, faça tudo.

Há entre alguns evangélicos um modismo de celebrar as raízes judaicas do cristianismo, gentios por descendência brincando de judeus e importando celebrações de dias e cerimônias mosaicas dentro das suas denominações. Só falta matar animais. (Já têm a música instrumental do templo.) Continue lendo “Um pacote só”