Vá lavar-se

João 9.7: Dá para entender quando Jesus nos dá ordem.

Então lhe disse: “Vá lavar-se no tanque de Siloé” (que significa “enviado”). O homem foi, lavou-se e voltou vendo.
João 9.7

Jesus operou milagres e realizou curas nas mais diversas circunstâncias. Às vezes, ele fez uma maravilha sem pedir nada de ninguém, sem exigir nada. Outras vezes, como aqui, ele deu uma ordem como condição para receber o benefício. O homem cego recebeu mandamento de Jesus para saber como ele podia ser curado. Ele foi curado somente depois de obedecer à ordem. Continue lendo “Vá lavar-se”

Essencial para o homem

Eclesiastes 12.13: A grande conclusão que não dá para ignorar.

Agora que já se ouviu tudo, aqui está a conclusão: Tema a Deus e obedeça aos seus mandamentos, porque isso é o essencial para o homem. Eclesiastes 12.13

Ouviu tudo. A leitura do livro. Depois de ouvir todas as possibilidades da vida embaixo do sol, sem levar Deus em conta, e todas as ideias possíveis que o homem poderia considerar, é preciso chegar à suma do assunto. Quem recusa a abraçar a conclusão foge da realidade já apresentada. Continue lendo “Essencial para o homem”

Treme diante da minha palavra

Isaías 66.2: O que significa isso? Por que Deus exige tal atitude?

“Não foram as minhas mãos que fizeram todas essas coisas, e por isso vieram a existir?”, pergunta o Senhor. “A este eu estimo: ao humilde e contrito de espírito, que treme diante da minha palavra”. Isaías 66.2

O Senhor sempre tem definido de forma nítida quem são aqueles por ele aprovados e abençoados. No Antigo Testamento, ele não estava interessado apenas em ter construído para ele uma casa de adoração, v. 1, ou em ritual religioso, v. 3. Tremer diante da sua palavra significa respeito e obediência. Continue lendo “Treme diante da minha palavra”

Praticar o que aprender

Filipenses 4.9: Primeiro, aprender, para saber como praticar.

“Ponham em prática tudo o que vocês aprenderam, receberam, ouviram e viram em mim. E o Deus da paz estará com vocês”.
Filipenses 4.9

É impossível praticar sem aprender o que fazer. Não se pode agir corretamente quando é ensinado de forma errada. Para Deus estar conosco, é preciso, antes de mais nada, aprender a verdade para depois praticá-la.

Muitos enfatizam hoje o fazer. Este é o valor máximo do pós-modernismo. O importante, dizem, é fazer algo por Deus, não importa o quê. Dizem que a ortodoxia (doutrina correta) é menos importante do que a ortopraxia (prática). Na verdade, é impossível ter uma coisa sem a outra.

Tem gente, por exemplo, que considera qualquer tipo de batismo válido, seja imersão ou não, seja para adulto arrependido ou não, seja para o perdão dos pecados ou não. Pelo menos, fizeram algo.

Mas o batismo não é um sacramento, com eficácia sem a compreensão da pessoa que o recebe. Sem a instrução correta, não há nenhum batismo aceitável a Deus.

A sequência acima é importante: primeiro, aprender, receber, ouvir. Depois, observar a verdade do evangelho nos outros que vivem de maneira exemplar: ver. Isto para obedecer às verdades divinas na própria vida: praticar. E, no final, teremos Deus conosco, o Deus da paz.

Continue lendo “Praticar o que aprender”

Conforme a ordem

Deus age quando o homem obedece.

Assim ele desceu ao Jordão, mergulhou sete vezes conforme a ordem do homem de Deus e foi purificado; sua pele tornou-se como a de uma criança.
2 Reis 5.14

Ao ouvir a ordem do profeta Eliseu, Naamã, o comandante do exército sírio, recusou a obedecer. Somente quando ele resolveu se submeter à ordem de mergulhar-se sete vezes no rio Jordão foi ele curado da sua lepra. Continue lendo “Conforme a ordem”

Que devo fazer?

Uma boa pergunta, e uma ótima resposta.

Assim perguntei: Que devo fazer, Senhor? Disse o Senhor: ‘Levante-se, entre em Damasco, onde lhe será dito o que você deve fazer’. Atos 22.10

Saulo, o perseguidor, viu o Senhor Jesus a caminho de prender cristãos na cidade de Damasco. Quando percebeu quem era o Senhor, ele fez uma pergunta de grande importância: Que devo fazer? Mas o plano de Deus determinou que os cristãos deveriam proclamar os termos do evangelho. Mesmo Jesus o respeitou. Alguns dias depois, um homem enviado pelo Senhor diria a Saulo o que fazer para ser salvo. Continue lendo “Que devo fazer?”

Jamais verá a morte

João 8.51: O mandamento é simples e a promessa, firme.

Asseguro-lhes que, se alguém obedecer à minha palavra, jamais verá a morte”. João 8.51

Os judeus não podiam aceitar essa declaração de Jesus, pois eram desobedientes à vontade de Deus. Assim, não pertenciam a Deus, v. 47. Entenderam corretamente que tal promessa como Jesus fez acima podia vir somente de alguém maior do que Abraão. Continue lendo “Jamais verá a morte”

Os sábios aceitam

Provérbios 10.8: Façamos como Jesus, aceitando os mandamentos.

Os sábios de coração aceitam mandamentos, mas a boca do insensato o leva à ruína. Provérbios 10.8

Jesus veio à terra a fim de fazer a vontade do Pai, Hebreus 10.7. Ele aprendeu a obediência, Hebreus 5.8. Como o Filho obediente, ele “tornou-se a fonte da salvação eterna para todos os que lhe obedecem” Hebreus 5.9. Continue lendo “Os sábios aceitam”

‘Para cumprir toda a justiça’

Mateus 3.15: Jesus não questionou nenhum mandamento do Pai.

Respondeu Jesus: “Deixe assim por enquanto; convém que assim façamos, para cumprir toda a justiça”. E João concordou.
Mateus 3.15

Jesus não tinha pecado que devia confessar ou pelo qual devia receber o perdão. João batizava as pessoas que se arrependiam dos pecados. Ele reconhecia que o Senhor não tinha pecado e não tinha necessidade da imersão na água. Protestou quando Jesus se apresentou para o batismo. É compreensível seu protesto e ele tinha certa razão. Continue lendo “‘Para cumprir toda a justiça’”