Jesus observador

A oferta da viúva tem mais do que pensamos.

amor a DeusComo de costume, Jesus foi até o templo em Jerusalém para ensinar. Talvez em momento de descanso—pois todo professor tem de tomar uma água—ele ficou observando.

Jesus estava sentado perto da caixa de contribuições do templo e observava como as pessoas punham seu dinheiro nela. Muitos ricos depositavam grandes quantias.
Marcos 12.41 VFL

No evangelho de Marcos, Jesus aponta a viúva pobre como exemplo do primeiro mandamento, sobre o qual ele tinha ensinado fazia poucas horas (versos 26-31).

Ela deu dois lepton, uma moeda de pouquíssimo valor, cunhada de forma rude e com estampa quase sempre irregular. Ela só tinha dois, e deu os dois. Ela fez o que o jovem rico recusou a fazer (10.21).

A viúva faz contraste com os religiosos devoradores das “casas das viúvas” (verso 40). Ela é o rosto daquelas pessoas desprotegidas que Jesus libertava quando purificava o templo (11.15-19).

Jesus me observa também. Ele sabe, e perante o Pai comenta, se amo a Deus ou o louvor dos outros. Sabe se a religião é para mim meio de lucro ou a verdadeira busca de Deus. Sabe se estou lavrando a vinha para dar fruto ao Senhor ou se estou tramando para eu ficar com tudo (12.1-12).

Pai, o que tenho é pouco, mas ofereço ao Senhor, de quem vem todas as coisas boas desta vida, e de quem recebemos a ressurreição da vida para a eternidade. O Senhor me vê o que ninguém percebe. Amém.

Jesus tinha de comer

Eram Maria, chamada Madalena, de quem tinham sido expulsos sete demônios; Joana, mulher de Cuza, que era alto funcionário do governo de Herodes; Susana e muitas outras mulheres que, com os seus próprios recursos, ajudavam Jesus e os seus discípulos.
Lucas 8.2b-3 NTLH

Até Jesus tinha de comer. Ele não sentiu vergonha em receber de muitas pessoas, inclusive muitas mulheres, para sustentar seu projeto de pregação e salvação. Estes recursos foram colocados numa tesouraria, com Judas como o tesoureiro, e tirados conforme era preciso.

O trabalhador é digno de seu salário. Se Jesus recebeu de terceiros para dedicar-se à sua obra, hoje tanto a igreja como pregadores, missionários, evangelistas, mestres e presbíteros não devem se sentir incomodados com isso.

É o melhor uso possível dos recursos que Deus nos dá.