De corpo e mente

Essa não é a vida que se deve levar.

Usamos a frase “de corpo e alma” para falar de uma dedicação completa a determinada atividade. De modo semelhante, Paulo usa a frase que inclui corpo e mente para indicar a vida totalmente consumida pela vontade do diabo.

De fato, todos nós éramos como eles e vivíamos de acordo com a nossa natureza humana, fazendo o que o nosso corpo e a nossa mente queriam. Assim, porque somos seres humanos como os outros, nós também estávamos destinados a sofrer o castigo de Deus.
Efésios 2.3 NTLH

O corpo aqui é literalmente “carne”, a decisão humana de entregar-se aos desejos e paixões carnais. O termo para “mente” indica percepção, aqui da participação do mal, ou “orientação mental” (Richards 605).

Em contraste com a dominação total pelo diabo, Paulo celebra a intervenção de Deus a partir do verso 4.

Graças a ele e a sua salvação, o “andar” no pecado (verso 2) vira o “andar” nas boas obras (verso 10).

Conclusões absurdas entre nós

Pecar mais quer dizer mais perdão? Nem de longe!

Graça de DeusDizem que o amor é cego. Talvez melhor dizer que o amor ignora os desafios e dificuldades de um relacionamento com o sexo oposto. Uma linha de pensamento que ignora evidências chegará a conclusões erradas que conduzirão a grandes decepções.

Alguns pensam na graça de Deus como outros consideram o amor, o resolve-tudo:

Que havemos de concluir? Que vamos permanecer no pecado, para que aumente a graça? De maneira nenhuma! Como iríamos nós, que morremos para o pecado, viver ainda nele?
Romans 6.1-2 BSC

Paulo quer evitar que alguém pense que pecar mais signifique mais graça. Vamos transgredir a lei de Deus para que ele tenha oportunidade de exercer mais perdão? Essa lógica não procede, especialmente à luz de nosso batismo, no qual morremos para o pecado. (Leia os versos em seguida.)

Morrer para o pecado significa ficar separado dele e não ter mais relação com ele. Desta forma, viver pecando não faz sentido.

O ensino do evangelho e a experiência do cristão (neste caso, a imersão) sempre confirmam a verdade e expõe a falsa doutrina que abre a porta para o pecado.

Mas é necessário pensar um pouco, ao invés de proclamar a graça, como fazem hoje os assim chamados progressistas, como a cobertura para a libertinagem e capa para a imoralidade. Pois este é o argumento deles, o qual o apóstolo provou ser falso há muito tempo.

Pensou no pecado, falou em Jesus

Sem falar de Jesus, não se tira os pecados.

Jesus SalvadorFalamos da nossa moeda, o Real, sem falar do seu criador, Fernando Henrique Cardoso. Já muitas pessoas se esqueceram a quem se deve a estabilidade econômica brasileira, pela implantação do Plano Real em 1994. Mesmo esquecendo, gasta-se o Real da mesma forma.

Todo aquele que pratica o pecado transgride a Lei; de fato, o pecado é a transgressão da Lei. Vocês sabem que ele se manifestou para tirar os nossos pecados, e nele não há pecado.
1 João 3.4-5 NVI

Nunca devemos falar do pecado sem falar de quem o tira de nós, Jesus Cristo. Ele não tem pecado, e é a solução para quem tem. Portanto, devemos parar de pecar, para ser como ele.

E não se pode tirar os pecados sem falar de Jesus, sem confessá-lo, sem obedecê-lo. Diferente do Real, não se pode separar nunca a salvação do Salvador.

Atirando no próprio pé

Loucura? Ou estupidez?

arrependimento necessárioDuas frases feitas: Pior é atirar no próprio pé do que dar a cara pra bater. No primeiro caso, quem faz o mal é a própria pessoa. Quem se machuca a si mesmo deve ser doente, pensamos.

Pois é, é isso que fazemos quando rejeitamos a vontade de Deus para nossa vida, quando criamos ídolos (que nada mais são do que imagens esculpidas das nossas próprias vontades, seja em metal, seja na mente), quando nos entregamos ao imediatismo ao invés de esperar na promessa de Deus.

Por isso, eu, o SENHOR Todo-Poderoso, o Deus de Israel, pergunto agora: por que vocês estão fazendo este mal tão grande contra vocês mesmos? Será que estão querendo destruir homens e mulheres, crianças e bebês, de modo que não fique sobrando ninguém?
Jeremias 44.7 NTLH

Olhando o pecado dessa forma, a maioria de nós não batemos bem de cabeça.

Mas enquanto ainda estamos respirando, há esperança. Podemos abandonar o pecado e buscar a Deus para servi-lo e obedecê-lo.

Porque quem atira no próprio pé acaba atingindo mais do que o pé.

Um dia o bicho pega

Não pense que saia dessa, não.

O malandro escapa uma vez, duas, três, mas um dia chega o acerto de contas. Nós brincamos com o pecado, achando que desta vez, nada vai acontecer. E voltamos. Até que uma hora somos apanhados e destruídos.

Ele acordou do sono e pensou: “Sairei como antes e me livrarei”. Mas não sabia que o Senhor o tinha deixado.
Juízes 16.20b NVI

Sansão era o fortão que se achava sempre no controle das coisas. No final, porém, sua arrogância e sua falta de domínio próprio o entregaram nas mãos dos inimigos.

Se brincarmos com o pecado pensando que vamos sair dessa como antes, acordaremos um dia amarrados pelo diabo, no controle do Maligno, com a vida destruída, e inúteis para o propósito de Deus.

Entrou em Judas

Entretanto, Satanás entrou em Judas, chamado Iscariotes, um dos Doze, e ele foi combinar com os sacerdotes-chefes e com os comandantes da guarda o modo de entregar Jesus.
Lucas 22.3-4 BMD

Não foi contra a vontade de Judas que Satanás entrou nele. O apóstolo abriu sua mente e o convidou. Ser um dos Doze não o protegeu da influência do diabo. Ele foi conversar com as autoridades judaicas. O termo: “combinar”, é literalmente, “falar com”, mas a conversar não foi inocente nem inócua. Sua ação foi premeditada. Continue lendo “Entrou em Judas”

Choraria

Ah, se a minha cabeça fosse uma fonte de água e os meus olhos um manancial de lágrimas! Eu choraria noite e dia pelos mortos do meu povo.
Jeremias 9.1

Uma das maiores divisões da Bíblia é a dos profetas de Israel, com denúncia após denúncia dos pecados do povo de Deus. São apelos, advertências, ameaças, promessas. Continue lendo “Choraria”