O Cordeiro de Deus

João 1.29: Para receber o perdão, precisamos ver o Cordeiro.

No dia seguinte João viu Jesus aproximando-se e disse: “Vejam! É o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!” João 1.29

Num dia João afirma não ser o Messias, e no outro ele aponta Jesus como o Enviado de Deus. Diz que seu trabalho existia para revelá-lo a Israel, v. 31. O trabalho de Jesus, porém, não seria limitado ao povo judaico. Ele nasceu entre os judeus, trabalhou entre eles, foi morto por eles, mas sua obra visava tirar o pecado do mundo, de toda a humanidade. Continue lendo “O Cordeiro de Deus”

Enquanto é possível achá-lo

Isaías 55.6-7: A hora é agora.

Busquem o Senhor enquanto é possível achá-lo; clamem por ele enquanto está perto. Que o ímpio abandone o seu caminho, e o homem mau, os seus pensamentos. Volte-se ele para o Senhor, que terá misericórdia dele; volte-se para o nosso Deus, pois ele dá de bom grado o seu perdão.
—Isaías 55.6-7

Hoje é possível achar o Senhor Deus. O presente nos oferece oportunidade de nos aproximar dele. A oferta do perdão está sendo feita agora mesmo. Continue lendo “Enquanto é possível achá-lo”

Ação: Repreender

Lucas 17.3: A repreensão é ato de amor.

LER: “Tomem cuidado. Se o seu irmão pecar, repreenda-o e, se ele se arrepender, perdoe-lhe” Lc 17.3.

PENSAR: Não podemos recusar a perdoar ao irmão e esperar o perdão de Deus, Mt 6.12-15. O perdão é mais do que não levar em conta o erro do outro; busca sua restauração por meio do confronto amoroso. Quem ama repreende, pois deixar o outro continuar no pecado mostra falta de preocupação com seu destino eterno. Continue lendo “Ação: Repreender”

Ação: Perdoar

Considere ofensas como pedras no caminho a serem removidas.

LER: “Perdoa-nos os nossos pecados, pois também perdoamos a todos os que nos devem” Lc 11.4.

PENSAR: O perdão ao irmão é condição para receber o perdão de Deus. Ele tem de ser de coração, Mt 18.35, e não tem limite, Lc 17.1-10. Perdoar significa ganhar o irmão de volta e assim é processo alegre, pois do perdão consistem a reconciliação e a libertação, Cl 1.14; Ef 1.7. Continue lendo “Ação: Perdoar”

Restaure-nos mais uma vez

Salmo 85.4: Quando voltamos a Deus ele volta a nós.

restauracao

De novo? A memória do povo de Deus é curta. Esqueceu que Deus pune a infidelidade.

Restaura-nos mais uma vez, ó Deus, nosso Salvador, e desfaze o teu furor para conosco.
Salmo 85.4 NVI Continue lendo “Restaure-nos mais uma vez”

A pior das emoções

Salmo 65.3b: O perdão afasta o desespero.

O desespero talvez seja a pior das emoções, pois imobiliza a pessoa e impede que ela avance na vida. O pior dos desesperos é aquele que sente a tristeza pelos pecados, pois nada se pode fazer para removê-los ou cancelar seus efeitos.

Por isso, animadora é a frase do salmista:

As nossas faltas nos deixam derrotados, mas tu nos perdoas.
Salmos 65.3b NTLH

Em Cristo este perdão é definitivo. Não significa que não pode ser perdido, pois a infidelidade lança a pessoa de volta no pecado, mas a remissão de pecados é real, duradoura e transformadora.

Por isso, a marca do cristão é a alegria. Não o tipo superficial, mas a profunda satisfação que sabe que o desespero foi afastado para sempre.

Glória ao Senhor por nos ter redimido dos nossos pecados!

E ele os curou

Mateus 4.23-24: Da mesma forma, ele nos salva.

A Boa Nova é ilimitada no seu poder de transformar. Deus perdoa, faz nascer de novo, transfere de uma hora para outra do reino das trevas para o seu reino de luz. Da mesma forma que as curas de Jesus foram instantâneas, a ação espiritual de Deus é imediata.

Jesus foi por toda a Galiléia, ensinando nas sinagogas deles, pregando as boas novas do Reino e curando todas as enfermidades e doenças entre o povo. Notícias sobre ele se espalharam por toda a Síria, e o povo lhe trouxe todos os que estavam padecendo vários males e tormentos: endemoninhados, epiléticos e paralíticos; e ele os curou.
Mateus 4.23-24 NVI

Não houve nada de médico, de tratamento, de recuperação, de melhora gradativa. Levaram a Jesus os doentes e ele os curou. Com um simples toque, com uma palavra apenas, Jesus restaurou-lhes a saúde perfeita.

Estas curas físicas nos apontam a natureza da cura espiritual.

Na imersão da pessoa que desce na água com fé e decisão de servir ao Deus vivo, a restauração espiritual é imediata. A transferência é feita na hora. O perdão é instantâneo. Nasce um filho de Deus.

Precisamos aprender a viver a nova vida, mas esta vida não é menos real por isso.

O Senhor nos salvou com a palavra, nos redimiu pelo sangue de Jesus Cristo, cuja ação é eficaz, e nele nos alegramos eternamente.

Segure essa ideia: Salva Deus ao estalar dos dedos, / Com vida nova, vence nossos medos.

 

A melhor opção

Poder fazer melhor do que cortar relações.

PerdãoQuando alguém nos abandona, sentimo-nos traídos ou rejeitados. Geralmente, decidimos cortar relações com a pessoa, considerando-a indigna de confiança. Mas há uma outra opção.

Na minha primeira defesa, ninguém esteve ao meu lado. Todos me abandonaram. Que não lhes seja levado em conta.
2 Timóteo 4.16 BSC

Na cruz, Jesus orou pelo perdão dos que o crucificaram. Ao ser apedrejado, Estêvão orou para que Deus não considerasse como culpados seus inimigos. Aqui, Paulo não deseja que o abandono pelos seus amigos seja levado em conta contra eles no juízo final.

O perdão não é apenas ignorar o pecado. Há todo um processo no Novo Testamento para que o pecado seja perdoado. Mas o que se vê em Jesus, Estêvão e Paulo é uma prontidão para o perdão, o grande desejo para que todos tenham perante Deus a ficha limpa, uma vida correta junto com o Pai celestial, uma aceitação plena pelo Senhor.

O ressentimento e a amargura para com outros, por causa das ofensas, não têm lugar no coração do cristão.