Ação: Sofrer

Filipenses 1.29: Proclame Jesus a todos e espere reações.

LER: “Pois a vocês foi dado o privilégio de não apenas crer em Cristo, mas também de sofrer por ele” Fp 1.29.

PENSAR: Sofrer por Cristo é experiência tão básica para o discípulo, como a de crer nele. Privilégio traduz o verbo conceder graça (ver ARA, TEB), ato positivo da parte de Deus. Quem foge do sofrimento pelo reino foge do discipulado, 1Pd 2.21ss. Sofrer como cristão é nossa glória, 1Pd 4.12-19. Quem deixa de confessar/pregar Cristo por medo da perseguição não será confessado por ele no juízo, Mt 10.21-39. Continue lendo “Ação: Sofrer”

Fizeram grande lamentação sobre Estêvâo

Atos 8.1-2: Enquanto lamentamos, Deus trabalha.

Os porquês não pertencem ao homem, mas sim a Deus. Nossa visão restrita questiona o Todo-Poderoso, mas seu plano é muito maior do que um lugar ou morte ou tempestade ou perseguição específica.

Naquele dia levantou-se grande perseguição contra a igreja que estava em Jerusalém; e todos exceto os apóstolos, foram dispersos pelas regiões da Judéia e da Samaria. E alguns homens piedosos sepultaram a Estêvão, e fizeram grande lamentação sobre ele.
Atos 8.1-2

Os homens piediosos que lamentaram sobre Estêvão tinham olhos somente para o homem morto na sua frente. Viram apenas desastre. Sentiram apenas a perda deste grande homem de Deus.

Não sonharam, e nem podiam, que a perseguição que começou naquele dia resultaria na evangelização da Judeia e Samaria. Não tinham ideia que o esvaziamento de Jerusalém, deixando apenas os apóstolos na cidade santa, começaria finalmente a cumprir o propósito divino de estender o evangelho aos quatro cantos da terra.

Ó Deus, como somos pequenos, como somos limitados pelo que vemos na nossa frente, como nos apressamos a render a nossa fé na soberania do Criador! Perdoe-nos e renove a nossa visão do seu plano imenso.

Segure essa ideia: Além da nossa presente dor, / Deus faz brotar a linda flor.

Jesus nos revela o nosso futuro

O conhecimento é poder.

É comum não contar ao paciente quando a morte se aproxima. A família não quer que os últimos dias sejam dolorosos. Pensa que a ignorância traz a paz.

O conhecimento é poder. Saber o que acontecerá antemão permite estar preparado. Ficar firme.

“Eu lhes tenho dito tudo isso para que vocês não venham a tropeçar”.
João 16.1 NVI

O conhecimento das tribulações futuras diz ao santo que Jesus o sabe e inclui o sofrimento pela sua missão como parte do plano.

Jesus não é surpreendido pela perseguição; tampouco devemos ficar surpresos.

Ele nos diz a verdade, não amacia a dureza do caminho. O discipulado significa saber o que vem pela frente, tanto o bem como o mal, e estar pronto para enfrentá-lo.

Nosso Deus, serei fiel, não importa o que acontecer. Obrigado por me preparar para seguir Jesus por todo o caminho.

Segure este pensamento: Aquele que conhece o nosso futuro também o garante.[subscribe2]

Qual o problema?

É solução, e não problema!

soluçãoParte do processo de chegar a uma solução para um problema é identificar a natureza do problema e as possíveis soluções. Se não soubermos qual o problema, dificilmente encontraremos solução.

Cheguemos-nos pois com confiança ao trono da graça, para que possamos receber misericórdia, e encontremos graça para ajuda em tempo oportuno.
Hebreus 4.16 NTLH

Ao enfrentarmos a perseguição, os hebreus começaram a pensar que Cristo fosse o problema e a solução seria abandonar a fé. Não é assim com todos que se afastam do Deus vivo? Se não, não deixariam o Caminho.

Mas, ao invés de Cristo ser o nosso problema, ele é a nossa solução. Ao invés de nos afastar dele, precisamos, portanto, chegar cada vez mais perto dele.

Ganhou a causa junto ao governo

O governo tem seu trabalho, e o povo de Deus tem a obra de Deus. Assim, a igreja ganhará a causa.

Inscrição de Gálio
Inscrição menciona Gálio

Os judeus tentavam com Gálio o que seus irmãos fizeram com Pilatos alguns anos antes. Mas desta vez não tiveram sucesso.

Quando Paulo ia falar, Gálio disse aos judeus: –Judeus, se isso fosse alguma falta grave ou um grande crime, seria justo que eu tivesse paciência para escutá-los. Mas, como é só uma questão de palavras, de nomes e da própria lei de vocês, resolvam vocês mesmos. Eu não vou ser juiz nesses assuntos.
Atos 18.14-15, NTLH

Lucas mostra no livro de Atos uma despreocupação, e até uma certa benevolência, da parte do império romano para com o Caminho. Embora não fosse mera questão de palavras, a disputa que os judeus tiveram com os cristãos não representava ameaça aos olhos dos governantes.

De certa forma, então, os cristãos, mesmo não tendo oportunidade nesse momento de fazer defesa, ganharam a causa e tiveram liberdade de continuar pregando o evangelho.

Paulo disse a respeito da relação do cristão com o governo: “Somente os que fazem o mal devem ter medo dos governantes, e não os que fazem o bem. Se você não quiser ter medo das autoridades, então faça o que é bom, e elas o elogiarão” (Romanos 13.3 NTLH).

Deixe que o governo faça o seu trabalho, e façamos nós a obra de Deus.

Jesus leva pro lado pessoal

A pergunta que Jesus faz a Saul no caminho a Damasco só faz sentido quando entendemos que a igreja dele está no centro das suas atenções.

Saulo no caminho de DamascoO que se faz, ou não faz, pela família de Cristo ele leva pro lado pessoal. Disse: “Foi a mim que fizeram” (Mt 25.31-46). Por isso o Senhor fala assim a Saulo, que perseguia a igreja de Deus:

Saulo, Saulo, por que você me persegue? (…) Eu sou Jesus, aquele que você persegue.
Atos 9.4, 5 NTLH

Perseguir a igreja significa perseguir a Jesus.

E tem gente que acha que a igreja é dispensável.

Se Jesus coloca a igreja no centro das suas atenções desta forma, podemos fazer menos do que ele?

 

Seremos maltratados

Apesar de termos sido maltratados e insultados em Filipos, como vocês sabem, com a ajuda de nosso Deus tivemos coragem de anunciar-lhes o evangelho de Deus, em meio a muita luta.
1 Tessalonicenses 2.2

Um amigo meu escreveu ontem que tinha sido perseguido, literalmente, por uma mãe pelas ruas da cidade dele, porque tinha repreendido seu filho. A mãe não é cristã e meu amigo trabalha com muitos jovens, buscando-os para levar na igreja.

O filho dela tinha se comportado mal e meu amigo lhe dissera que não podia voltar à igreja se continuava tal comportamento.

Ele estava com tanto medo que ligou para a polícia do seu celular e pediu para que o encontrassem no estacionamento do prédio da igreja, quando ele chegava lá com a mãe irada por trás dele.

Quando anunciamos o evangelho, seremos maltratados.

E desistiremos de proclamá-lo, ou continuaremos com coragem?