Resistência espiritual

1 Tessalonicenses 1.3: Como não deixar a esperança vacilar?

Lembramos continuamente, diante de nosso Deus e Pai, o que vocês têm demonstrado: o trabalho que resulta da fé, o esforço motivado pelo amor e a perseverança proveniente da esperança em nosso Senhor Jesus Cristo. 1 Tessalonicenses 1.3

Quando a esperança está no Senhor Jesus, ela fica firme. Conseguimos perseverar apesar de todas as dificuldades. Os tessalonicenses sofreram perseguição, mas não deixaram que sua fé parasse, que seu amor esfriasse e nem que sua esperança vacilasse. Continue lendo “Resistência espiritual”

Para onde o Senhor nos conduz?

2 Tessalonicenses 3.5: Uma breve oração repleta de direção.

Para tirar a nossa atenção do que devemos sempre olhar e pelo qual devemos nos esforçar, trabalham o mundo, o medo e o Maligno. Como devolver o foco no ponto certo? Continue lendo “Para onde o Senhor nos conduz?”

Necessitam de perseverança

Quem perseverar até o fim será salvo.

PerseverançaOs universitários sabem que, para receber o diploma, têm de completar o curso. Desistir na última hora joga fora tudo o que se tinha realizado até o momento. Sem terminar o trabalho, sem chegar ao final, não haverá recompensa.

Vocês necessitam apenas de perseverança, a fim de cumprirem a vontade de Deus, e assim alcançarem o que ele prometeu.
Hebreus 10.36 EP

A salvação é condicional. A condição é a fidelidade. Quem perseverar até o fim será salvo.

Para os leitores desta carta, o perigo era abandonar a fé pelo retorno ao judaísmo, por causa da perseguição.

Para nós, o perigo maior é a tentação dos atrativos do mundo, tanto em termos da imoralidade, quanto uma forma sensual da religião.

Todos precisamos da perseverança, a atitude que recusa a desistir, não importa o perigo, as aparências nem as dificuldades.

Que todos os anjos o adorem

O Filho não fica devendo nada a ninguém.

jesus superiorValor se estabelece fazendo comparações. Constantemente, avaliamos moedas, propriedades, metais, ações na bolsa por meio de equivalências e diferenças entre eles. No mundo, estes variam a cada dia, alguns ganhando valor maior, e outros perdendo.

O autor de Hebreus faz comparação semelhante para estabelecer para os leitores o valor permanente de Jesus.

E de novo, quando introduz seu Filho primogênito no mundo, ele diz: «Que todos os anjos o adorem.»
Hebreus 1.6 Pastoral

O propósito do autor de Hebreus é o de mostrar a superioridade de Cristo a judeus convertidos que pensavam em voltar à Lei de Moisés. A perseguição os fez questionar sua decisão de abraçar a fé em Cristo.

Ele abre a carta com o argumento mais forte. Os anjos são superiores aos seres humanos. Se Jesus é superior aos anjos, então está resolvida toda a questão. Ele mostrará em seguida a superioridade de Cristo sobre Moisés (capítulo 3), mas de início estabelece a incomparabilidade do Senhor Jesus.

Entre outras passagens do Antigo Testamento, a ordem aos anjos adorarem ao Filho os coloca, todos, em posição inferior. O Filho é supremo.

Por que então abandonar aquele que é superior, melhor, mais abençoado, Líder perfeito, mais qualificado para nos conduzir a Deus?

A pergunta ainda permanece para nós.

Grande alegria

Meus irmãos, considerem motivo de grande alegria o fato de passarem por diversas provações.
Tiago 1.2

Tiago começa já virando o mundo de ponta-cabeça. As filosofias e as idéias populares encaram as dificuldades e o sofrimento como sendo negativos, maus, desvantajosos. Continue lendo “Grande alegria”

Para comigo

O Senhor cumprirá seu propósito para comigo! Teu amor, Senhor, permanece para sempre; não abandones as obras de tuas mãos!
Salmo 138.8

 

Ver além da dificuldade do momento para o “produto final”* é qualidade que poucos têm.

A confiança no amor de Deus, para continuar sua obra na vida do justo, fundamenta a visão do futuro bem-sucedido.

O propósito do Senhor é se glorificar na vida do seu povo.

As dificuldades servem para oportunidade de Deus cumprir este seu propósito.

Quando nos esquivamos delas, frustramos seu propósito.

Hoje, portanto, suportemos as aflições, abracemos as angústias, aguentemos as oposições, para nos gloriar no propósito de Deus na nossa vida.

*Derek Kidner, Salmos 73-150: introdução e comentário.