Conservem o que vocês têm

Não abra mão da fé, mesmo nas piores dificuldades.

No livro de Apocalipse, as cartas de João às sete igrejas seguem um padrão, mas cada uma se adapta à situação da comunidade à qual o apóstolo escreve.

A mensagem geral é clara. A necessidade atravessa todas as fronteiras.

Conservem o que vocês têm até eu voltar.
Apocalipse 2.25 VFL

A fidelidade é a chave. Alguns precisam corrigir, arrepender-se, mudar o que está errado, a fim de ser fiéis agora e manter a fidelidade nas provações futuras.

O Senhor não coloca “nenhuma outra carga” sobre seu povo fiel, além disso: a de perseverar e vencer (versos 24, 26).

Pode vir a morte física, mas o povo vencedor da fé “de maneira nenhuma sofrerá a segunda morte” (verso 11).

Deus fiel, que eu nunca vacile, nunca desvie, que eu nunca canse da promessa daquele que vive.

Segure este pensamento: Segure a fé por mais um pouco, até que Cristo venha.

Arrastados

Deus está presente no temporal.

Veja a pergunta que fazemos: Se Deus está comigo e está usando a minha vida para o reino, por que tantas coisas ruins acontecem comigo? O apóstolo Paulo sofreu muito pelo evangelho, mas nunca fez esta pergunta, mesmo quando ficaria bem apropriado a fazê-lo, como nesse momento:

Mas agora recomendo-lhes que tenham coragem, pois nenhum de vocês perderá a vida; apenas o navio será destruído. Pois ontem à noite apareceu-me um anjo do Deus a quem pertenço e a quem adoro, dizendo-me: ‘Paulo, não tenha medo. É preciso que você compareça perante César; Deus, por sua graça, deu-lhe as vidas de todos os que estão navegando com você’. Assim, tenham ânimo, senhores! Creio em Deus que acontecerá do modo como me foi dito. Devemos ser arrastados para alguma ilha”.
Atos 27. 22-26

Se o Senhor estava guiando Paulo para comparecer perante César, por que deixou acontecer o naufrágio na ilha de Malta? Por que Deus não parou a tempestade, ou desviou-a para outra direção? Por que não fez com que o centurião e o capitão do navio ficassem convencidos pelas palavras de Paulo, para ficarem onde estavam? Tudo bem, Deus salvou a vida de todos a bordo, mas por que deixou que corressem risco de vida?

Mesmo que vejamos alguns benefícios deste mal como consequências, temos de confessar que tais perguntas não têm resposta. Mas o que se pode afirmar numa situação desta, então?

Pode-se afirmar, sim, que, embora Deus deixe de interferir (aos nossos olhos) nos assuntos humanos e nas vicissitudes da vida, ele trabalha para o nosso bem e para o progresso do evangelho.

E podemos nos confortar na soberania de Deus, pois ele nunca se esquece do seu povo. Mesmo no meio das mais bravas tempestades e nos naufrágios da vida, nos quais se perde tudo menos a vida–ou até morre também, ele está presente, garantindo-nos que as coisas mais importantes sobreviverão.

Não sei o que de mal ou bem
É destinado a mim;
Se maus ou áureos dias vêm,
Até da vida o fim.

Mas eu sei em quem tenho crido,
E estou bem certo que é poderoso
Pra guardar o meu tesouro
Até o dia final.

Pai celestial, obrigado pelas suas promessas, que me servem como âncora no meio das tempestades.

Segure este pensamento: Tenha ânimo na presença do mal, pois Deus garante o bem.

Aproveitando de tudo

Deus usa o sofrimento para o nosso bem.

SofrimentoNo movimento popular de preservar a assim chamada natureza e não desperdiçar os recursos naturais, algumas pessoas procuram aproveitar de tudo, reciclando materiais usados e, à guisa do exemplo, utilizando aquelas partes dos legumes e frutas que antes eram jogadas fora. É bom procurar aproveitar de tudo, porque é isso que Deus faz:

E também nos alegramos nos sofrimentos, pois sabemos que os sofrimentos produzem a paciência, …
Romanos 5.3 NTLH

Nós preferiríamos descartar o sofrimento, mas na economia divina ele tem sua utilidade também. Cada experiência nossa, cada evento e momento Deus usa para o nosso bem.

Portanto, ao invés de tentarmos evitar o sofrimento (tentativa impossível, vale dizer), devemos procurar aprender dele e abraçá-lo como mais um instrumento do Senhor para conduzir-nos à sua presença.

Com tal compreensão do papel das provações na obra de Deus, conseguimos nos alegrar nos sofrimentos.

Caminho fácil

Como uma estrada recém-asfaltada.

caminho de DeusO cristão que conhece os compromissos e dificuldades do caminho do Senhor Jesus se estranha com as palavras de Isaías:

O caminho das pessoas direitas é fácil; tu, ó Deus justo, tornas plano o caminho por onde elas andam.
Isaías 26.7 NTLH

Mas quando lembramos que o próprio Jesus falou do seu jugo suave e fardo leve (Mateus 11.30), e que João disse que os mandamentos divinos não são pesados (1 João 5.3), temos mais condições de apreciar a declaração do profeta.

Quando temos na nossa vida o próprio Deus e sua paz e amor, as saliências do caminho realmente se tornam mais suaves.

A ilha se chamava Malta

Perdeu o navio, ganhou uma alma.

naufrágio em MaltaA população da ilha de Malta era hospitaleira e supersticiosa. Por três meses Paulo ficou na ilha após o naufrágio do navio rumo a Roma.

Quando já estávamos em terra, sãos e salvos, soubemos que a ilha se chamava Malta.
Atos 28.1 NTLH

Aqui, Paulo curou muitos e, embora não se fale explicitamente, presume-se que pregou também o evangelho, pois as curas não foram para mera ajuda humanitária, mas para confirmação da mensagem.

Um desastre causado pela “natureza” traz o evangelho a um povo que, de outro modo, talvez não teria ouvido falar de Jesus.

O próximo naufrágio na sua vida pode ser a porta divina para grande serviço no reino de Deus.

Grande alegria

Meus irmãos, considerem motivo de grande alegria o fato de passarem por diversas provações.
Tiago 1.2

Tiago começa já virando o mundo de ponta-cabeça. As filosofias e as idéias populares encaram as dificuldades e o sofrimento como sendo negativos, maus, desvantajosos. Continue lendo “Grande alegria”