A recompensa da bênção de Deus

Salmo 24.5: Deus recompensa o adorador.

O homem foi criado como criatura incentivada por recompensas. No âmbito espiritual, não é diferente. O comunismo não funcionou, em parte, porque separou a recompensa do seu trabalho. Mas Deus não faz assim. Continue lendo “A recompensa da bênção de Deus”

Foi vista a arca da aliança

Você a viu no templo aberto para nossa olhada?

Livro de ApocalipseO capítulo 11 do livro de Apocalipse começa e termina pelo templo de Deus. No primeiro verso, parece representar a igreja no serviço a Deus, mas no verso 19, a habitação celestial de Deus.

Então foi aberto o santuário de Deus nos céus, e ali foi vista a arca da sua aliança. Houve relâmpagos, vozes, trovões, um terremoto e um grande temporal de granizo.
Ap 11.19 NVI

É exatamente este movimento, da terra para o céu, que João deseja que seus leitores façam. Do altar onde fazem seus sacrifícios de serviço e dos que lá adoram (verso 1), para a arca da presença de Deus e para as manifestações do seu poder que sacodem a terra. Entre estes dois templos movem-se as duas testemunhas.

No templo celestial, tudo está no seu devido lugar, mesmo a arca da aliança, não vista durante séculos, e desparecida do templo em Jerusalém. Quando na terra, ela foi escondida da visão do povo, mas agora é colocada à mostra na visão celestial para o conforto e incentivo da igreja.

A abertura do templo de Deus no céu ocorre para que o leitor possa olhar para cima e saber que Deus está presente e que exerce seu poder (verso 17), poder este evidente nos “relâmpagos, vozes, trovões, um terremoto e um grande temporal de granizo”.

Deus que faz tremer o universo em benefício do seu povo, que eu enxergue não somente a igreja na terra, cercada pelos inimigos, mas o templo triunfante no céu que aguarda a minha chegada.

Segure este pensamento: Deus estabelece os tempos e os termos do nosso serviço e garante sua conclusão e sucesso.

Separando bem as pessoas

Conheça o grande princípio separador da fé.

juízo finalO grande princípio unificador da fé cristã é bem reconhecido e promovido. Menos evidente, por causa da religiosidade que prefere ignorar verdades duras, é o princípio separador do Caminho:

É justo da parte de Deus retribuir com tribulação aos que lhes causam tribulação, e dar alívio a vocês, que estão sendo atribulados, e a nós também.
2 Tessalonicenses 1.6-7a NVI

No juízo final, haverá separação, como o próprio Jesus falou, em termos de bodes e ovelhas (Mateus 25.31-33).

Mesmo nesta vida, a igreja é ordenada a se separar dos facciosos, dos falsos mestres e, nesta carta, dos ociosos (3.6-15).

Esta é a espada da separação que Jesus trouxe ao mundo.