Que devo fazer?

Uma boa pergunta, e uma ótima resposta.

Assim perguntei: Que devo fazer, Senhor? Disse o Senhor: ‘Levante-se, entre em Damasco, onde lhe será dito o que você deve fazer’. Atos 22.10

Saulo, o perseguidor, viu o Senhor Jesus a caminho de prender cristãos na cidade de Damasco. Quando percebeu quem era o Senhor, ele fez uma pergunta de grande importância: Que devo fazer? Mas o plano de Deus determinou que os cristãos deveriam proclamar os termos do evangelho. Mesmo Jesus o respeitou. Alguns dias depois, um homem enviado pelo Senhor diria a Saulo o que fazer para ser salvo. Continue lendo “Que devo fazer?”

Destinados

1 Tessalonicenses 5.8-9: A sobriedade é qualidade da salvação.

Nós, porém, que somos do dia, sejamos sóbrios, vestindo a couraça da fé e do amor e o capacete da esperança da salvação. Porque Deus não nos destinou para a ira, mas para recebermos a salvação por meio de nosso Senhor Jesus Cristo.
1 Tessalonicenses 5.8-9

No dia os homens trabalham. À noite, dormem e embriagam-se. No sentido espiritual, os cristãos não pertencem à noite, mas sim do dia. O desleixo, o descuido e a inatividade (sono), junto com a dissolução, a falta de autocontrole e a entrega às paixões (embriagar-se) trazem sobre a pessoa a ira de Deus. Continue lendo “Destinados”

A prioridade de Jesus

Lucas 10.20: Jesus corrige as nossas alegrias.

Contudo, alegrem-se, não porque os espíritos se submetem a vocês, mas porque seus nomes estão escritos nos céus”. Lucas 10.20

Jesus enviou seus discípulos na comissão limitada, por tempo determinado, somente dentro da terra de Israel. Esta tarefa serviu para preparar o povo e para treinar os discípulos para a missão da igreja. Jesus lhes deu poder miraculoso para confirmar sua mensagem de arrependimento e da vinda do Reino de Deus. Continue lendo “A prioridade de Jesus”

Todas as coisas possíveis

Marcos 10.27: Com esse olhar e essa resposta, quem ousa contrariar?

Jesus olhou para eles e respondeu: “Para o homem é impossível, mas para Deus não; todas as coisas são possíveis para Deus”.
Marcos 10.27

Jesus responde a uma pergunta dos discípulos: “Neste caso, quem pode ser salvo?” v. 26. A pergunta surgiu depois do jovem rico recusar a seguir Jesus e depois de o Mestre repetir a dificuldade de um rico entrar no reino de Deus. Continue lendo “Todas as coisas possíveis”

A resposta sempre foi a mesma

Acts 22.10: Jesus não responde diretamente a Saulo, mas manda alguém para dizer o que todos precisam saber.

“Assim perguntei: Que devo fazer, Senhor? Disse o Senhor: ‘Levante-se, entre em Damasco, onde lhe será dito o que você deve fazer’”. Atos 22.10

Não existe pergunta melhor que se pode fazer do que a que Saulo fez no caminho para a cidade de Damasco, quando o Senhor Jesus lhe apareceu. Continue lendo “A resposta sempre foi a mesma”

‘Quem crer e for batizado’

Marcos 16.16: Podemos saber com certeza o que fazer para receber a salvação.

Quem crer e for batizado será salvo, mas quem não crer será condenado. Marcos 16.16

Depois de dar ordem para pregar a Boa Nova no mundo todo, a todas as pessoas, Jesus manda o que se deve falar, qual o conteúdo da pregação, a resposta que as pessoas devem dar para acolher a mensagem. Continue lendo “‘Quem crer e for batizado’”

Vemos Jesus

Hebreus 2.8-9: Devemos ver Jesus como o Salvador.

Ao lhe sujeitar todas as coisas, nada deixou que não lhe estivesse sujeito. Agora, porém, ainda não vemos que todas as coisas lhe estejam sujeitas. Vemos, todavia, aquele que por um pouco foi feito menor do que os anjos, Jesus, coroado de honra e de glória por ter sofrido a morte, para que, pela graça de Deus, em favor de todos, experimentasse a morte. Hebreus 2.8-9

O escritor de Hebreus acaba de citar Salmo 8 para aplicá-lo a Jesus. A mensagem do Senhor trata de “tão grande salvação” e merece toda a nossa atenção, 2.1-4. Agora, ele explica por que foi necessário Jesus se tornar menor do que os anjos por um tempo, 2.5-18. Continue lendo “Vemos Jesus”

A saudação que contraria

Gálatas 1.1-2: Confronto desde a primeira palavra!

Quando nos apresentamos a alguém, já comunicamos muita coisa a nosso respeito. Nossas palavras, nossa expressão, até nossa postura transmitem muitas informações ao outro.

Em sua carta aos Gálatas, Paulo começa já na saudação dando sinais de que sua obra não será nem feliz nem fácil. Continue lendo “A saudação que contraria”

Batismo necessário para ser salvo

Nas coisas de Deus, o diabo quer confundir a nossa cabeça. Usa argumentos falsos. Apresenta caminhos errados como sendo bons. No lugar da fé, semeia dúvida. Revira todo o sistema da salvação. Inventa religiões falsas e denominações para as pessoas seguirem, ao invés de andarem no Caminho de Cristo.

Uma das suas artimanhas: trocar a “porta” de entrada no reino de Deus por outra. Ele cria uma realidade alternativa, bem ao modo do filme “Matrix”: a pessoa acha que está no mundo real, mas suas atividades mentais estão sendo controladas. Continue lendo “Batismo necessário para ser salvo”

O ‘pois’ da motivação e realização

Filipenses 2.12-13: Não separe os dois versos.

pois é Deus quem efetua em vocês tanto o querer quanto o realizar, de acordo com a boa vontade dele.
Filipenses 2.13

Entre alguns, Filipenses 2.12 é um verso favorito. É sim um verso bíblico maravilhoso, importante para mostrar aos outros que o esforço e a dedicação são necessários para a salvação.

“Assim, meus amados, como sempre vocês obedeceram, não apenas na minha presença, porém muito mais agora na minha ausência, ponham em ação a salvação de vocês com temor e tremor,” …

Às vezes, porém, coloca-se um ponto depois do verso 12 e esquece-se do verso 13. A tendência que separa os dois vem duma ênfase no esforço humano separado do poder que Deus dá. Mas os dois versos compõem uma unidade gramatical.

O poder de Deus abrange duas áreas de atividade humana: desejo e realização. Ele trabalha não somente para nos ajudar a desenvolver a nossa salvação, mas ele também trabalha em nossos corações e mentes para nos dar desejo e motivação.

O “pois” do verso 13 é o que nos fornece a motivação para o verso 12. Podemos levar adiante o desenvolvimento da nossa salvação somente porque sabemos que Deus trabalho em nós para nos capacitar tanto para o desejo como para a realização.