Vidas em sacrifíco

Filipenses 2.17: O serviço cristão é constituído por sacrifício total.

A vida que se sacrifica em prol do reino de Deus não pertence somente a apóstolos e obreiros em tempo integral. Todo cristão é chamado a se sacrificar por Cristo. Este sacrifício é a marca do seguidor dele.

A fé que vocês têm os leva a oferecer as suas vidas em sacrifício no serviço de Deus.
Filipenses 2.17 VFL

A afirmação acima, da Versão Fácil de Ler, explica a frase compacta de Paulo, ao afirmar que ele junta seus esforços aos dos filipenses em serviço a Deus. A frase é sucinta: “sobre o sacrifício e serviço da fé de vocês”.

“A fé produz uma atitude de sacrifício, a qual nos liberta a fim de entregar a nossa vida física temporária no interesse da vida eterna” (TLSB).

A fé que deixa de produzir tal serviço sacrificial não é fé nenhuma. Certamente, a fé desta natureza é a fé salvadora. Salvadora para quem se sacrifica e para quem é alvo das atenções do seu serviço.

Deus eterno, como Jesus deu sua vida por mim, dou a minha por ele e por muitos, para que sejam salvos pela cruz de Cristo.

Segure essa ideia: O servo dá a vida livremente como Cristo deu, / Pra outros receberem o que ele recebeu.

Abrindo mão dos direitos

O cristão anda por um caminho melhor.

promessas de Deus

Exija seus direitos, dizem-nos hoje. Pois se você não zelar pelo próprio bem, quem o fará? O cristão, porém, tem como agir de outra forma, como fez o patriarca Abrão com seu sobrinho Ló:

Aí está a terra inteira diante de você. Vamos separar-nos. Se você for para a esquerda, irei para a direita; se for para a direita, irei para a esquerda.
Gênesis 13.9 NVI

Como o patriarca que era, Abrão tinha a preferência da escolha. Mas abriu mão do seu direito, dando a Ló a opção de ir para o lado que achava melhor.

Abrão podia fazer isso porque tinha recebido a promessa de Deus, e nesta confiava. O Senhor tinha prometido torná-lo em grande e próspera nação.

Com esta mesma confiança, podemos também fazer o mesmo que Abrão, sem exigir nosso direito. Pois o Senhor nos prometeu a sua bênção. Podemos assim procurar fazer o bem ao próximo e cultivar a paz.

Mais ainda, podemos sofrer por Cristo, para cumprir a missão dele, certos de que a promessa de Deus, para cuidar das nossas necessidades, se cumprirá a nosso respeito.