Amarrado ao Senhor

Quem conhece a disciplina do Senhor?

disciplinaFicar amarrado sugere restrição de liberdade, perda de escolhas. É o que fazemos com animais. Prendemo-nos a nosso bel-prazer, sem consultá-los, ou por conveniência nossa, ou por segurança deles. De certa forma, o discípulo de Cristo fica amarrado ao Senhor.

Mas Deus conhece cada um dos meus passos; se ele me puser à prova, verá que sairei puro como o ouro.
Jó 23.10 NTLH

Deus nos conduz pela vida e muitas vezes não temos a menor ideia por que acontecem coisas, por que os eventos ocorrem, por que a vida leva essa ou aquela guinada.

Jó insistia na integridade dele, sabendo que Deus é soberano e ativo. Não tinha noção do que estava acontecendo, mas se sentiu, de certa forma, amarrado ao Senhor, pelo Senhor.

Tem hora que sinto uma puxada na coleira. Não sei do que se trata, não tenho ideia por que acontece, a dor é aguda e inesperada, mas uma coisa é certa: Sei que Deus faz tudo para nosso bem, para minha segurança, para o progresso do seu projeto neste mundo.

Desta forma, ficar amarrado ao Senhor é para mim um prazer. Porque eu não sei nada, além de confiar na sua infinita bondade.

Passivo divino

Deus não é nada passivo.

Os judeus evitavam usar o nome de Deus numa reverência exagerada. Colocavam os verbos na voz passiva para evitar pronunciar seu nome.

O quinto anjo tocou a sua trombeta, e vi uma estrela que havia caído do céu sobre a terra. À estrela foi dada a chave do poço do Abismo.
Apocalipse 9.1 NVI

O livro de Apocalipse está repleto do que hoje é chamado do “passivo divino”, a voz passiva indicando a ação divina. Veja só neste parágrafo do nono capítulo:

  • “lhes foi dado poder”, verso 3
  • “foi-lhes dito”, verso 4
  • “foi-lhes permitido”, verso 5

No Novo Testamento este uso do passivo divino parece indicar que, no fundo, Deus está sempre agindo, no controle dos eventos, embora não tão visível aos olhos humanos, mas de qualquer forma conduzindo a história para o fim por ele determinado.

O verbo pode estar na voz passiva, mas Deus não é nada passivo.

Deus ouviu os seus lamentos

Deus é próximo, não se esqueceu.

Deus não esquece

Por que a nossa situação não está melhor do que está? Por que perduram as nossas condições insuportáveis ou difíceis de suportar? Por que Deus não faz alguma coisa? Estas perguntas, sem dúvida, passaram pela cabeça dos israelitas durante sua longa escravidão no Egito.

Deus ouviu os seus lamentos e se lembrou de sua aliança com Abraão, Isaac e Jacó. Deus viu os filhos de Israel; Deus se apercebeu …
Êxodo 2.24-25 TEB

No meio de todas as dificuldades, contudo, não devemos perder a certeza da proximidade de Deus. Não importa quanto tempo passa, ele está ciente da nossa situação. Nunca Deus deixa de agir. Ele usa o tempo como ferramenta para o bem, mas nós vemos a passagem dos anos como inimigo. Deus não esquece de nós, nem da sua aliança, nem da sua promessa.

Então, hoje é mais um dia sob a soberania do Deus que sabe de todas as coisas e age pelo bem dos que o amam.