Que raiva!

Destruir a presença de Deus é o pior pecado.

Lembra a raiva dos judeus quando Jesus falava na destruição do templo e eles pensavam que ele se referisse ao templo físico em Jerusalém?

Vocês não sabem que são santuário de Deus e que o Espírito de Deus habita em vocês? Se alguém destruir o santuário de Deus, Deus o destruirá; pois o santuário de Deus, que são vocês, é sagrado.
1 Coríntios 3.16-17 NVI

Um dos argumentos mais poderosos de Paulo contra a divisão na igreja coríntia (o assunto que ele trata nestes versos) é essa: Dividir a igreja como estavam fazendo é destruir o templo de Deus.

O templo é o local onde Deus habita. Destruir a sua casa? Isso devia causar, como causou nos judeus, uma revolta. A revolta nos cristãos deve ser maior ainda, pois não se trata de uma edificação física, mas sim na pessoa deles, uma habitação profunda, pessoal e relacional.

O verso acima expressa o propósito do evangelho, a razão da Bíblia, o motivo da crucificação, o objetivo do projeto divino: Deus no meio dos homens, a presença do Senhor conosco.

Não há dom maior do que sua presença, nem catástrofe pior, do que a sua destruição na igreja.

Pai, que sua presença entre nós seja cultivada, pela obediência e pela preservação da unidade conforme o seu plano.

Segure este pensamento: Deus presente é o bem maior.