‘Sem o Pai de vocês’: a Deus nada escapa

Mateus 10.29: A Deus nada escapa.

A mente humana, por mais impressionante que seja, é limitadíssima. Em anos recentes começou-se a procurar entendê-la melhor e afirma-se frequentemente como ela tem uma capacidade enorme e subutilizada. Mas como nos deixamos distrair! Como a mente esquece! Como tantas coisas a escapam! Continue lendo “‘Sem o Pai de vocês’: a Deus nada escapa”

O agrado de Deus

Mateus 11.26: Uma oração, uma ação de graças, uma visão clara de Deus.

Em todo momento Deus demonstra seu caráter e revela sua benevolência para os homens. Temos de parar de olhar para o mundo e julgar Deus pelo que as pessoas fazem. Como podemos pensar mal de Deus quando ele não é o culpado pelas decisões das pessoas? Continue lendo “O agrado de Deus”

Efetuando em nós o querer

Fp 4.13: Deus nos dá o desejo. Mas temos de querê-lo.

O autor A.B. Simpson escreveu que a promessa de Deus em Salmo 37.4, de dar os “desejos do coração”, pode significar, não somente o cumprimento dos nossos desejos, mas até mesmo a “inspiração dos nossos desejos”. Com isso ele quer dizer que Deus instaura em nós pensamentos “de modo que nossos orações sejam de acordo com a Sua vontade e nos devolva a resposta infalível da Sua providência poderosa”. Continue lendo “Efetuando em nós o querer”

De deus a verme em 10 segundos

Por que Deus deixou Tiago morrer?

A leitura isolada duma história pode nos levar a conclusões erradas. Por exemplo, no capítulo 12 de Atos, como pode o Senhor deixar morrer o apóstolo Tiago? Nenhum motivo da parte de Herodes é dado, apenas o fato da morte às mãos do rei arrogante e tirânico.

E matou a Tiago, o irmão de João, pela espada.
Atos 12.2 NTLH

Como pode Deus deixar morrer um apóstolo e logo em seguida libertar Pedro, preso também por Herodes, vendo ele que a perseguição dos cristãos agradava aos judeus?

Neste capítulo, nesta sequência, devemos ler a história até o fim. O rei que exerce poder a seu bel-prazer chega a ser aclamado deus pelo povo de Tiro e Sidom, para logo em seguida morrer horrivelmente, comido por vermes.

Não podemos explicar o mal que acontece com a igreja. Podemos afirmar, sim, a soberania de Deus que age a seu tempo para cumprir por meio do seu povo o seu projeto de salvação. (Ver versos 24 e 25.)

Talvez aqui tenhamos um exemplo da limitação da obra de Satanás contra a igreja, acorrentado para que sua ação não devasta a obra cristã (Apocalipse 20.3). De qualquer maneira, fica evidente que Deus continua no controle.

Pai nosso que está nos céus, confiamos a cada momento na sua bondade e na sua condução das nossas vidas. Sabemos que o Senhor é rei dos reis e descansamos nos seus cuidados, por meio de Cristo. Amém.

Segue este pensamento: Deus tem todo o poder e o exerce segundo o seu bom propósito.

No tempo que lhe resta

Vivamos com outro objetivo.

tempo curtoAntes, vivíamos para satisfazer os maus desejos. Desejos egoístas. Corruptos. Imorais. Agora, como o povo de Deus, devemos viver com outro objetivo.

(…) no tempo que lhe resta, não viva mais para satisfazer os maus desejos humanos, mas sim para fazer a vontade de Deus.
1 Pedro 4.2 NVI

O tempo que desperdiçamos foi muito. O tempo que nos resta é pouco. Não há tempo de perder. O dia de começar se chama hoje.

Deus de vontade salvadora, que meu alvo seja sempre o de cessar do pecado e de continuar com a obediência. Porque Cristo o fez. Amém

[subscribe2]

Que nenhum se perca

O que o Pai quer, os filhos devem trabalhar a favor.

vontade de DeusNinguém é indispensável, mas para Deus cada um é desejável, ou seja, ele tem prazer em todos os seus filhos, mesmo os menos reconhecidos e os mais humildes.

Da mesma forma, o Pai de vocês também não quer que nenhum destes pequeninos se perca.
Mateus 18.14 VFL

Como o quarto bloco maior de discursos, o capítulo 18 do evangelho de Mateus diz respeito a vida na comunidade dos cristãos. Esta vida se rege pelos desejos do Pai de todos. Seu desejo é que todos sejam salvos. Por isso, todo esforço é pouco para manter todos dentro da graça divina.

Com isso em mente, e com a humildade duma criança (18.1-5), cientes do grande peso do pecado (18.6-9), os cristãos fazem de tudo para recuperar o irmão que comete pecado (18.15-17).

Ninguém tem prazer, por assim dizer, de seguir o procedimento estabelecido pelo Senhor Jesus de confrontar um irmão. Mas a comunidade se sente motivada pela vontade do Pai para não perder ninguém.

Isso é o que nos leva à casa do irmaõ pecador.

João consentiu

E quando minha ideia não bate com o plano de Cristo?

ObediênciaJesus sabe melhor do que eu. Tenho minhas ideias e acho que se deve proceder de certo modo. Mas o Senhor prossegue com a vontade do Pai.

Jesus, porém, lhe respondeu: “Por enquanto deixe como está! Porque devemos cumprir toda a justiça”. E João consentiu.
Mateus 3.15 BND

João tentou impedir Jesus de ser batizado, mas quando o Senhor insistiu com ele, desistiu da sua ideia e aceitou o que Jesus quis que ele fizesse.

Que eu faça assim como João.

Fazer o que poucos fazem para ter o que poucos têm

O mundo e sua cobiça passam.

Ficar. Os jovens usam o termo para a paixão que, ironicamente, não fica. Imóveis. Pergunte um japonês se a terra é imóvel. Procuramos o eterno, tentamos investir no efêmero a qualidade de permanente, enganamo-nos a nós mesmos para pensar que temos no mundo o que resiste ao tempo.

O mundo e a sua cobiça passam, mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre.
1 João 2.17 NVI

Que disputa para as coisas deste mundo! As pessoas estudam, trabalham, se matam para conseguir o mundo e tudo perde num instante. Quem deseja as coisas de Deus pode tê-las sem impedimento. “Aquele” significa qualquer pessoa disposta a fazer a vontade de Deus. Todos têm acesso igual à eternidade. E aqui há pouca concorrência, pois os que fazem a vontade de Deus são poucos.

Mas eu estou decidido a fazer o que poucos fazem para ter o que poucos têm. E você?