Se eu gosto, Deus deve gostar também

Quem pode ler a mente de Deus?

Jeffrey John, um religioso anglicano, diz estar em favor do casamento de homossexuais, e acrescenta: “Tenho certeza de que Deus também está a favor”. Tal afirmação parece como o que dizem alguns dos meus irmãos e muita gente religiosa: Eu gosto de instrumentos de música na adoração (ou preenche com outra preferência religiosa qualquer), então, Deus também tem de gostar. O que me agrada também agrada a Deus.

Há tantas coisas erradas com tais pensamentos, é difícil saber por onde começar.

Primeiro, quem pensa assim trata Deus como um reflexo, não de apenas um ser humano, mas de uma única pessoa, o eu. É profundamente errada a lógica que Deus deve pensar como eu, gostar das coisas de que eu gosto. As passagens de Jeremias 17.9 e Isaías 55.8-9 devem ter acabado com tais ideias, mas parece haver bastante gente ignorante da história sagrada e fadada a repeti-la.

Segundo, quem pensa assim coloca suas próprias paixões e desejos no lugar de Deus e, ainda, lhes dá o nome de deus. Fica no mesmo nível da prostituição sagrada das religiões idólatras da antiguidade ou, mais perto de nós por alguns séculos, as Cruzadas da Igreja Católica.

Tudo isso é feito do mesmo pano. A vontade própria. O reinado da paixão. Os que vivem sob ela não conhecem a Deus e não pertencem a Cristo.

“Os que pertencem a Cristo Jesus crucificaram a carne, com as suas paixões e os seus desejos” (Gálatas 5.24 NVI).

Pai santo, que o pecado não tenha mais vez comigo, mas sim a sua vontade.

Segure este pensamento: Quem é dominado pela paixão não pode agradar ao Senhor.

 

O problema não é conhecimento

Não o saber, mas sim o decidir.

O problema nunca é conhecimento. O obstáculo ao evangelho não é a compreensão. O evangelho é simples o suficiente para todos.

Qual é então o problema principal? Este versículo dá uma pista:

Os professores da lei e os líderes dos sacerdotes sabiam que aquela parábola tinha sido dita contra eles. Por isso eles procuravam um meio de prendê-lo ali mesmo, mas tinham medo do povo.
Lucas 20.19 NTLH

O problema é este: Se estamos dispostos a abrir mão da nossa vontade, da nossa ambição e da nossa visão, para que Jesus seja Senhor e Salvador.

Os líderes dos judeus entenderam muito bem o que Jesus ensinava. Seu problema foi o de rejeitar o ensino dele.

E qual a sua decisão?