O Temor de Isaque

Gênesis 31.42: O que significa o título neste contexto?

jaco-labao-terror-isaque

Duas vezes na história da saída de Jacó da terra de Labão é usado o nome de Deus: “O Temor de Isaque”.

Se o Deus de meu pai, o Deus de Abraão, o Temor de Isaque, não estivesse comigo, certamente você me despediria de mãos vazias. Mas Deus viu o meu sofrimento e o trabalho das minhas mãos e, na noite passada, ele manifestou a sua decisão, Gn 31.42

Ao selar o acordo de não-agressão com Labão, Jacó “fez um juramento em nome do Temor de seu pai Isaque” v. 53.

Por que este nome é usado aqui, e somente aqui, e o que significa?

Não há nenhuma explicação do termo ou do seu uso neste capítulo, nem nada na narrativa sobre Isaque que dê uma noção. O título divino parece sugerir que foi Deus que inspirou em Isaque o temor e a reverência. Somente pelo contexto é que se pode ter uma ideia do uso do nome aqui.

A resposta de Jacó a Labão sugere que ele sentiu certo medo do sogro, v. 31. Talvez pelo uso do nome ele quisesse tirar forças para enfrentar o sogro e não se deixar intimidar. Como seu pai, ele também deve ter temor a Deus e não de nenhum homem. E serviria para lembrar o sogro que o Deus que protegeu Jacó devia inspirar nele também o temor. Seria a maneira dele de lembrar a si próprio e ao sogro de que viviam e agiam perante o Deus que merecia respeito e obediência.

O termo “temor” ou “medo” podia ter também o significado de “parente” e BJ assim o traduz. Se há um duplo sentido aqui, é sugestivo que a intimidade com Deus ocorre por meio duma atitude de reverência e temor.

Hoje, os cristãos chamam Deus de Pai, mas nem por isso devemos perder a reverência que tinham os antigos. Pelo contrário, a revelação da sua santidade ao enviar o Cristo como sacrifício pelos pecados deve suscitar mais ainda em nós o temor do Senhor.

4 pensamentos em “O Temor de Isaque”

  1. Em geral, as pessoas não tem temor de Deus; “medo”, respeito, reverência. Elas agem na verdade como se não houvesse Deus – o Criador, invisível a olhos humanos -; suas condutas denotam claramente isso. Por suas atitudes demonstram total desconhecimento da existência do Deus revelado na Bíblia; Aquele que é onisciente, onipresente e onipotente. Se houvesse temor não haveria zombaria, escárnio e ridicularização. Na verdade, estas três coisas acontecem não só por causa da falta de temor a Deus, mas também por causa da conduta irresponsável de muitos que se dizem “cristãos” motivando tais atitudes de destemor. Testemunho pessoal é uma das melhores formas de mostrar que alguém é de Cristo, mas infelizmente muitos não se preocupam com isso. Vida santa e consagrada a Deus não é apenas dentro do prédio (templo) ou em reuniões da igreja, mas em todo e qualquer lugar, dia a dia, seja em casa com familiares, seja no trabalho, na escola ou na comunidade onde se vive. o temor a Deus do cristão é visto em cada uma de suas atitudes, palavras e ações para louvor e glória do Criador.

  2. Ontem mesmo um profissional do meu conhecimento aqui na cidade postou que aqueles que dizem crer em Deus devem parar com suas palavras de baixo calão. Ilustração da verdade que você escreveu, Elcio.

Deixe uma resposta